terça-feira, 7 de março de 2017

POR UMA COMUNICAÇÃO SOCIAL PLURAL

Não há Democracia sem verdadeira liberdade de informar e ser informado. Neste sentido, a informação deve ser vista como um bem público, de livre acesso a cada um e a cada uma de nós.
Uma das grandes conquistas do 25 de Abril de 1974 foi a comunicação social livre e independente. Infelizmente, ao longo dos anos, a liberdade e a independência têm sido relegadas para segundo plano à medida que os grandes grupos económicos foram tomando conta dos órgãos de comunicação social.
Também a nível local e regional o pluralismo tem vindo a ser a vítima do estrangulamento das formas de financiamento públicas. Sem formas de financiamento públicas, claras e transparentes, a tentação de ceder a pequenos grupos de interesses em troca de balões de oxigénio para sobreviver é muita.
Tenho o prazer de colaborar numa rádio local que, apesar das dificuldades que com certeza atravessa, sempre optou por fazer uma cobertura ampla e plural. Basta ver o espaço dedicado a estas crónicas: cada dia uma crónica protagonizada por uma pessoa, estando representadas diferentes sensibilidades político-partidárias.
Infelizmente, vai sendo uma excepção este tipo de critério editorial. Basta abrir os jornais locais ou ouvir outras rádios para vermos que são destinados os espaços de crónicas a pessoas pertencentes a dois ou três partidos, curiosamente pertencentes aos partidos que detêm a titularidade do poder local da zona geográfica do âmbito de cobertura do meio de comunicação em questão. Da mesma forma, as notícias selecionadas ou o destaque dado a estas apresenta critérios, muitas vezes, pouco claros, demonstrando falta de pluralidade e isenção.
Infelizmente, o empobrecimento da comunicação social local livre e plural representa empobrecimento da região e da democracia. E vendo este empobrecimento não podemos ficar calados.
Até para a semana!

Bruno Martins (crónica na radio diana)

9 comentários:

  1. Policia Judiciaria na Ordem dos Enfermeiros.

    Alerta rapaziada "social-democrata" de Évora,em vésperas de autárquicas é complicado ficam sem pessoal para as listas..........

    ResponderEliminar
  2. A Desordem na Ordem dos Enfermeiros,os Psd(s) estoiraram com a Ordem.

    A malta de Èvora parece que tem casa para os filhos estudarem em Lisboa a conta da Ordem,ser do PSD ainda continua a dar tacho.

    ResponderEliminar
  3. O PSD em nome da Transparência deve informar o que se passa com militantes seus (de èvora) na Ordem dos Enfermeiros.

    ResponderEliminar
  4. Os trabalhadores da função pública estão desmotivados,a continuar assim um dia destes nada funciona........Cãmara,Hospital,Universidade..........

    ResponderEliminar
  5. Gente fina a ser investigada pela PJ?

    Quem diria que a Prof Dr.dita social-democrata,quase "dona" da Escola de Enfermagem.........é fartar vilanagem esta malta do centrão............é preciso é calma ,a 13 de Maio vai haver um perdão geral...........a Senhora da azinheira farta-se de fazer milagres........

    ResponderEliminar
  6. Um bom exemplo de "Democracia", onde a liberdade de informar ficou na gaveta:
    http://observador.pt/2017/03/06/fcsh-cancela-conferencia-de-jaime-nogueira-pinto/

    ResponderEliminar
  7. A situação na Ordem dos Enfermeiros está a deixar as "tias" do Largo Senhora da Pobreza incomodadas.

    ResponderEliminar
  8. Foi Mau de mais o que hoje passou na Assembleia da Républica,PS e PSD deram mais um grande contributo para o POVO não votar.

    ResponderEliminar
  9. O Povo está farto deste DEMAGOGOS,CORRUPTOS e NEO-FASCISTAS.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.