quinta-feira, 23 de março de 2017

NÃO NOS DISTRAIAMOS COM O ACESSÓRIO!

A quem aproveitam as regras pouco claras e as táticas políticas desonestas? Aos pobres de espírito, digo eu.
A escolha da candidata do PPD/PSD à câmara municipal de Lisboa, não pode nem deve distrair os militantes e os simpatizantes do maior partido politico do nosso país. Independentemente de não ter sido uma primeira escolha, estou certo, no entanto, que, a Dra Teresa Leal Coelho, tudo fará para ganhar a Câmara da capital ao partido socialista.
Ora, a polémica criada à volta da escolha de Teresa Leal Coelho para cabeça de lista, pelo PPD/PSD, ao município de Lisboa, na minha opinião, tem como único objetivo descredibilizar a liderança de Pedro Passos Coelho. As críticas têm, por isso, uma origem evidente: todos aqueles que receiam que o líder do partido que ganhou as últimas eleições legislativas as possa vencer novamente. Uma parte vem da oposição interna, a outra parte, é constituída pela atual liderança governativa e os seus indefectíveis apoiantes. Isto significa que este considerável grupo, não quer mais do que o regresso do país aos anos dourados do governo Sócrates. Não vislumbro outra motivação.
Na verdade, o partido social democrata, apresentar-se-á às próximas eleições autárquicas, fortemente empenhado, para as vencer na maioria dos 308 municípios do nosso país. Disso ninguém tenha a menor réstia de dúvida. Para dar corpo ao que aqui afirmo, vejam-se as candidaturas às capitais de distrito, como, também, aos concelhos de maior peso na economia do país.
Dito isto, deverá o partido social democrata e todos os seus órgãos, sejam concelhios, sejam distritais, sejam nacionais, concentrarem-se e mobilizarem-se, num único objetivo: Vencer as eleições no maior número de concelhos. E, para que esta meta seja alcançável, o partido deverá apresentar-se ao sufrágio autárquico, com as melhores propostas de programa, a bem dos concelhos e do país. O PSD é indispensável à democracia e ao desenvolvimento do nosso país.

José Policarpo (crónica na rádio diana)

9 comentários:

  1. Continua a destruição no Centro Histórico,agora foi o Museu de Évora a ser alvo de borrarem as paredes (a poucos metros do comando da PSP).

    Um Centro Histórico com uma área bastante pequena o vandalismo continua ,isto só acontece devido as autoridades competentes não agirem.

    ResponderEliminar
  2. Deplorável,cidade Património Mundial ,das mais belas do país,é alvo diariamente de todo o tipo de vandalismo,lixo atirado para o chão,comerciantes que colocam nas arcadas embalagens,grafitagem de paredes,estacionamento selvagem e muito mais.O que fazem as autoridades ? Se não tem capacidade,demitam-se, o Senhor Ministro da Administração interna coloque no comando gente competente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É tudo resultado da política de Esquerda.
      Em Évora e no resto do país.

      Eliminar
  3. O que interessa aos Eborenses a candidatura d PSD à autarquia de Lisboa, NADA, querem lá saber se é a Teresa se é a Júlia, queremos e saber quem vai ser o/a candidato/a à autarquia de Évora, isso sim, poderá ter algum interesse, mas como já sabemos, uma vez mas o PSD vai apresentar um candidata não para ganhar, aliás, será que em Évora existe algum militante nesse partido que possa vi a merecer a escolha dos cidadãos, não, não existe e é por isso que continuamos a ter Josés Ernestos e Pintos de Sá a presidir à mesma. Para quando é que os paridos, e o PSD em especial se deixam de trincas partidárias e escolhem alguém com capacidade de gerir uma das autarquias mais importantes do nosso país.
    MdM

    ResponderEliminar
  4. também não é assim tão bela como a pintam...

    ResponderEliminar
  5. O candidato do PSD é o mais fraquinho de todos,que tristeza a direita em Évora é um deserto,betos e pegadore de touros.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece que estás com algum receio do candidato do PSD.

      Eliminar
    2. Pois, o candidato de PSD mete cá um medo que nem queiras saber...é isso e os brindes da farinha amparo.

      Eliminar
    3. Vê-se logo que és um velho antiquado que quer é mamar farinha amparo. Por isso é que votas no partido mais retrógrado da política portuguesa, o PCP.

      Eliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.