quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

QUANDO AS BOAS NOTÍCIAS NÃO SÃO NOSSAS!

Uma rádio local sediada no nosso distrito noticiou que vários municípios do distrito de Évora pagam a fornecedores num prazo superior a sessenta dias. O município de Évora figura nesse prestigiado ranking. A mesma rádio identifica como fonte desta notícia, a direção geral das autarquias locais, por isso, este número é oficial.
Na verdade, há muito que sabíamos que o município de Évora é um péssimo pagador. Houve alturas, e, não há muito tempo, em que o prazo médio de pagamentos a fornecedores, andava muito perto dos dois anos. Porém, a informação noticiada pelo Senhor Presidente em que refere que a Câmara de Évora não tem dívidas a fornecedores, foi desmentida pela tutela. De duas, uma: A DGAL tem informação desatualizada, ou a Câmara de Évora, passou cá para fora uma informação incorreta. Assim, ambas as instituições têm o dever de repor a verdade.
Infelizmente, para os agentes económicos os incumprimentos são geradores de problemas das suas tesourarias. Na atual situação em que a obtenção de crédito está dificultada, quanto maior for o atraso nos pagamentos, pior será a saúde financeira dos prestadores de serviços ou dos fornecedores de bens. Por isso, a câmara municipal tem o dever de prover a esta situação, se ainda não fez, terá de o fazer.
Dito isto, a economia local necessita de uma câmara municipal bem gerida e com as suas contas em dias. De contrário, como agente económico de peso na economia local, passa de parceira, a cangalheira.
Como nota final, sem deixar de reconhecer uma certa melhoria na atual gestão financeira do município, até porque os números expressam essa realidade, o facto relevante que contribuiu para esta melhoria está no aumento dos impostos sobre os eborenses. E, o IMI teve um peso positivo na ainda muito debilita saúde financeira do município.
Ora, a câmara municipal de Évora arrecadou nove milhões de euros em receita fiscal com origem nos impostos pagos pelos eborenses, no de ano 2013. Diretos e indiretos. No ano de 2016 esta receita passou para quase 13 milhões de euros. Uma subida de 30%. Assim é muito fácil de dar boas notícias.

José Policarpo (crónica na radio diana)

20 comentários:

  1. Sr Policarpo,
    aproximam-se as eleições autárquicas.
    A Rede de Judiarias de Portugal tem feito um trabalho notável em prol da memória judaica por todo o país.
    Aqui bem perto de Évora, a Câmara Municipal de Elvas está a fazer as obras de recuperação da Antiga Sinagoga situada na Rua dos Açougues daquela cidade. A Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz também já tem trabalho feito na Vila Medieval de Monsaraz.
    E Évora?
    Évora que teve no séc.XV uma das maiores Judiarias de Portugal, sendo bem conhecida a sua localização...
    Évora que conhece a porta da que foi uma importante sinagoga da cidade...
    Évora que já aderiu à Rede de Judiarias de Portugal...
    Évora não avança com trabalhos de recuperação da memória judaica da cidade?
    Temos uma placa a assinalar uma das portas da Judiaria e outra em memória das vítimas da Inquisição na Praça do Geraldo. É pouco.
    A Drª Carmen Ballesteros fez um trabalho meritório que foi interrompido pelo seu falecimento.
    Temos a Universidade que tem dado um bom contributo na investigação e pode criar sinergias com a Câmara Municipal.
    Pergunto, Sr Policarpo, que contributo pode dar o PSD para evidenciar a memória judaica eborense?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Conhecer o Passado, ajuda a perceber o Presente e a Perspectivar o futuro.

      Eliminar
  2. Sr.Policarpo deve saber que devido a gestão desastrosa do Partido Socialista,o governo do seu partido obrigou as autarquias falidas a aumentar os impostos para os niveis máximos,por isso os Eborenses e muitas outras autarquias estão a pagar a má gestão dos socialistas nas várias autarquias.

    ResponderEliminar
  3. Elsa avança com toda a confiança,e "Paga" a divida que o teu partido deixou na autarquia.

    ResponderEliminar
  4. Companheiros do Partido Socialista o prazo para escolher candidato está a esgotar-se,é preciso deixar de lado lutas pelo poder,birras ..

    O tempo é de arranjar um candidato não comprometido com o passado,nada de barões nem de lideres concelhios ou distritais,tempo de gente jovem com valor e capaz de apresentar um projeto Ousado para o concelho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ólhó comuna!
      Não te safas. O Patinho vai fazer-te a folha..

      Eliminar
  5. Companheira Fernanda Ramos o Partido "deu-te" muito,chegou a Hora de "pagares" ao Partido,Candida-te............

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bolas, isso nunca. É pior a emenda que o soneto! tenham juizo , não brinquem com coisas serias.

      Eliminar
  6. «De duas, uma: A DGAL tem informação desatualizada, ou a Câmara de Évora, passou cá para fora uma informação incorreta. Assim, ambas as instituições têm o dever de repor a verdade.»

    O Sr. Policarpo devia explicar como podem «ambas a instituições» repor a verdade: Será a CME a fazer um comunicado em nome da DGAL, ou a DGAL um comunicado em nome da CME?
    E porque não o articulista, procurar informar-se junto de «ambas as instituições» sobre a verdade em causa, dando essa informação aos seus ouvintes?

    O pior é se não há informação incorreta e a CME deixou, no inicio deste ano, de ter pagamentos em atraso a fornecedores. Isso é que era uma grande chatice que dava cabo da argumentação novelística de alguns ao longo dos últimos meses.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora aqui está uma bela proposta. Creio que o senhor Policarpo pode, e deve, fazer contactos com as duas instituições e tirar a coisa a limpo.
      Todos lhe ficavam grato. Isso de atirar barro à parede e ficar a ver se ele suja a dita é muito fácil. Pois vá lá saber disso e na próxima crónica dê notícias do que soube.
      E, depois, poderemos avaliar melhor a situação.
      Obrigado.

      Eliminar
  7. 20:09,o Patinho foi conivente com a gestão desastrosa em Évora,é preciso não ter principios para se candidatar em Évora,Haja vergonha.

    ResponderEliminar
  8. Patinho usa o Diário do Sul para se promover..........quer ser ministro ou Presidente da CCDRA,em dezembro a eleições para as CCDRs e Patinho tem muitas em ser eleito.

    ResponderEliminar
  9. Patinho é o candidato do PS a ccdra,até porque o ordenado vai ser bastante elevado (cerca de 7000),bastante superior a Presidente da Autarquia.

    ResponderEliminar
  10. O "tacho" da CCDRA a partir de janeiro de 2018 vai ser bastante disputado(ordenado de 7000 euros),a serem eleitos pelos presidentes de cãmaras da região que engloba a ccdra,o PS já sabe que vai ter a maioria,assim a luta entre os barões já começou.........Patinho,Troncho,Fernanda Ramos e Melgão........

    ResponderEliminar
  11. Se a CDU perder a cãmara de Évora,o Governo pode cair,a escolha está do lado do PS,continuarem a ser poder e beneficiarem das benesses os seus Boys ou ganharem uma cãmara.

    ResponderEliminar
  12. Companheiro Patinho o lugar na CCDRA é mais apetecivel(mais massa),a cãmara de Évora os teus camaradas de partido deixaram-na na penúria,têm que passar vários mandatos para um autarca fazer obra.

    ResponderEliminar
  13. MEMÓRIA curta?

    No governo de Sócrates foi aprovado o traçado ferroviário Sines/Caia,a passar em plena cidade(Évora),a autarquia socialista aprovou o traçado o mesmo aconteceu com os principais dirigentes socialistas do distrito,entre eles Fernanda Ramos,Patinho e outros estes senhores não souberam defender os interesses dos Eborenses.

    Querem agora liderar a Autarquia?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os eborenses querem é correr com comunistas e socialistas da Câmara.
      Queremos uma pessoa séria do PSD.
      Estamos fartos de política da conversa fiada e a cidade a ficar sempre pior.
      Fora com os aldrabões!

      Eliminar
  14. ai ai mas que falta de formação economica anda por ai senhor policarpo.

    ResponderEliminar
  15. a linha do comboio já estava lá quando as pessoas construíram as casas

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.