sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

O EMBAIXADOR DO CONCELHO

Na última semana o primeiro-ministro António Costa em representação do governo português realizou uma visita à India. Segundo o noticiado pelos órgãos de comunicação social a visita teve como objetivo densificar as relações comerciais entre os dois Estados. A realçar esta questão, foram as declarações do ministro da economia, que afirmou “ A India olha para Portugal como porta para a Europa”. Aparentemente, é um boa noticia.
Com efeito, soubemos que o primeiro negócio da India no nosso país já tem sector e o loca,l para a realização do investimento. Será na indústria farmacêutica, e, a sua localização será na zona centro e empregará 200 trabalhadores. Não tenho nada contra a zona centro. Sou, aliás, um acérrimo defensor da coesão territorial. E, o desenvolvimento do país como um todo, passa por esta defesa.
Todavia, tenho o direito de saber qual ou quais, a razão ou as razões, que levaram a escolha do investimento indiano a recair na zona centro do país. Por que razão ou razões foram afastadas as outras zonas deste investimento. A zona sul, sobretudo, o Alentejo interior, precisa de investimento como de “pão para a boca”. Se queremos fixar pessoas no interior do país, só criando postos de trabalho, conseguiremos concretizar este objetivo. E, para isso, o investimento, quer privado, quer público, nacional ou estrangeiro, é prioritário.
Neste quadro, é dever do presidente de câmara municipal, diligenciar, acautelar e promover as condições para que o concelho que representa esteja na primeira linha para receber os investimentos em carteira no seu território. Tenham esses investimentos, capital nacional ou estrangeiro. Por isso, gostava de ser informado pelo executivo da Câmara Municipal de Évora, se realizou, ou se tenciona realizar contactos junto do governo português, para que o primeiro investimento indiano em território nacional, possa ser localizado no nosso concelho. Estou certo que os eborenses agradecem.

José Policarpo (crónica na radio diana)


2 comentários:

  1. Ora aqui está, finalmente, uma boa ideia do Senhor Policarpo. Já não era sem tempo…
    Claro que estamos todos a ver que, sendo a câmara de Évora presidida por um comunista, a primeira coisa de que um governo do PS se lembra de cada vez que a questão dos investimentos que de fora são feitos no país é de Évora !!!!!
    Alías os governos do PSD do Senhor Policarpo, quando é a vez deles, também não pensam noutra coisa…
    Talvez valha a pena que alguém explique ao Senhor Policarpo por que razão a Embraer veio para Évora pela mão do PS (quando a câmara era PS) e não para Beja (que era, então da CDU e onde havia estruturas aeroportuárias que mereciam esse aproveitamento), cidade, esta, Beja, onde o mesmo governo (do PS), quando a Câmara já era do PS, resolveu enterrar uns milhões com a ideia peregrina de fazer ali (nas tais estruturas) um aeroporto "internacional…com o resultado que se vê.
    Pois, senhor, Policarpo, esta câmara deve ter sido pouco diligente e, por isso, o tal investimento indiano não vem para Évora. Como você viu bem a coisa, hem…Parabéns.
    A

    ResponderEliminar
  2. E está à espera que o executivo venha aqui responder ? Ahaahahahaah . Se quer saber informações oficiais , envie um mail ou uma carta para o presidente da câmara, por certo não é aqui que vai obter respostas. Depois se conseguir saber alguma coisa diga-nos para não ficar sempre tudo só no dominio das boas intenções porque destas está o inferno cheio e de gente que só sabe falar, falar está o povo farto

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.