terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Mural ao 25 de Abril vandalizado em Évora


Frases alusivas ao 25 de Abril, à Liberdade e à Democracia foram apagadas do Mural ao 25 de Abril que há perto de 3 anos foi construído por vários artistas junto à Malagueira. 
A Junta da União das Freguesias da Malagueira e Horta das Figueiras denunciou o facto que considera configurar "o desejo de ameaçar a liberdade e a democracia".
"A Revolução de Abril constitui a mais importante data da História recente do nosso país e, além disso, potenciou também um assinalável momento de explosão artística que trouxe para a rua muitas manifestações de arte pública. 
Vandalizar um mural que evoca os 40 anos do 25 de Abril, apagando parte significativa da mensagem dos artistas que o ergueram, é um gesto condenável e que configura o desejo de ameaçar a liberdade e a democracia. 
É a liberdade que defendemos e celebramos. Não vamos deixar que, silenciosa e sorrateiramente, apaguem a mais importante mensagem de valores tão importantes como são a Liberdade e a Democracia.
A Junta da União das Freguesias de Malagueira e Horta das Figueiras"

17 comentários:

  1. Não concordo com a destruição de trabalho alheio, mesmo que este passe uma mensagem com a qual não me identifico. Que isso fique já claro. Agora fica a questão: Se em vez do mural ser alusivo ao 25 de Abril, fosse evocativo da governação Salazarista, será que continuaríamos a ter a tal "Liberdade", ou toda esta indignação acerca do vandalismo praticado? Não creio...

    ResponderEliminar
  2. Tudo é vandalizado,A PSP não faz serviço noturno.

    Paredes,portas,sinais de transito,bancos de jardim tudo serve para destruir e grafitar.

    Onde pára a Policia?

    ResponderEliminar
  3. O Trumpismo dá força a Direita.

    ResponderEliminar
  4. É o resultado das politicas neo-liberais de e neo-Nazis desta "Europa".

    ResponderEliminar
  5. De que se queixam?Não foi esta a sociedade que criaram com liberdades e garantias em excesso?Ainda ontem uma juíza disse que não é crime apertar o pescoço a uma mulher,fica tudo dito do caminho seguido.

    ResponderEliminar
  6. Mural ao 25 de Abril vandalizado em Évora,os terrenos públicos e espaços verdes vandalizados com cavalos barracas e fogueiras????Que tem destruído e coroe a democracia versus liberdade são os políticos que nos desgovernam.Era bom acordar senhor Russo para o mundo de hoje.

    ResponderEliminar
  7. Então e onde está a liberdade das pessoas que ali passam e gostavam de ver a parede limpa e branquinha?
    Este saudosismo dos anos 70, esta simbologia da revolução, quase meio século depois, impostos às pessoas, é uma espécie de fascismo.Há fascistas de direita mas também os há de esquerda.
    jmc

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ao menos o Chorão dá a cara.
      O que ele terá chorado, quando foi o 25 de Abril.
      Depois recompôs-se e agora a liberdade, que não tinha antes, permite-lhe opinar como bem entende.
      Até pode dizer as maiores barbaridades.Há quem lhe chame libertinagem.
      VIVA A LIBERDADE.
      A. Gomes

      Eliminar
    2. Não chorei no 25 de Abril, pelo contrário, alegrei-me muito. Por amar a Liberdade é que não concordo que alguns se julguem donos dela e a queiram impor aos outros.
      Querem murais do 25 de Abril? Excelente: façam-nos nos muros lá de casa e não nos lugares públicos, desrespeitando os outros a quem não foi perguntada a opinião. Impor a Liberdade é impedir de ser livre (já tinha pensado nisso?)

      P.S. Fazer trocadilhos com o nome de quem não se conhece é um pouco baixo, não acha?

      Eliminar
    3. Sr. professor José Manuel Chorão, a vandalização daquele mural é crime. Sabia?

      Eliminar
    4. Sim, sei, senhor Anónimo. Mas talvez o crime contra a Liberdade das pessoas tenha começado pela execução do mural. Sabia?
      Ou acha que uma junta de freguesia qualquer tem o direito de impor às pessoas (todos os eborenses) o que estas não pediram nem aprovaram em lado nenhum? O crime está em certos iluminados tentarem pensar pelos outros todos. Talvez se julguem donos da verdade. A Humanidade tem sofrido muito por causa de alguns que se julgam donos da verdade. Sabia?

      Eliminar
    5. Já agora, ainda lhe digo que, se a sua ideia era ameaçar-me, pode tirar o cavalinho da chuva que de certeza não fui eu que o vandalizei. Mas até compreendo que haja gente que não goste do mural; embora, claro, não tenha o direito de o vandalizar. Tal como ninguém tinha, inicialmente, o direito de o pintar. Mas eu não sou dono da verdade, ao contrário de outros. Esta é apenas a minha humilde opinião.

      Eliminar
    6. José Manuel Chorão pensa que a sua "liberdade" é a boa liberdade e que a liberdade dos outros não presta para nada. É um direito que lhe assiste. Felizmente este caso do mural não tem nada ver com LIBERDADE. Terá a ver com estética, com urbanismo, com legalidade, mas não com ameaças à liberdade individual de cada um. Se assim fosse também eu sentira a minha liberdade afectada porque, por exemplo, não gosto da capela dos ossos ou do monumento aos militares situado no Rossio.

      Eliminar
  8. Companheiros da concelhia de Évora do PS,é tempo de os interesses particulares serem abandonados.........a oito meses das eleições as "guerrilhas" e grupinhos pela disputa do cabeça de lista a Cãmara é vergonhoso.

    ResponderEliminar
  9. Deputado do PS abandona partido mas continua na Assembleia da Républica, (como independente)queria ser o candidato do partido a Barcelos.

    ResponderEliminar
  10. O PS Évora continua igual,as "capelinhas" uma vez mais a funcionarem,degladeiam-se pelos lugares,quem conhece a concelhia sabe da podridão que por lá reina.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Degladeiam-se? Isso é português?

      Eliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.