quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Plano e Orçamento da CME aprovados com votos a favor da CDU, contra do PSD e abstenção do PS


A Câmara de Évora vai ter em 2017 o orçamento mais baixo dos últimos nove anos, no valor de 61,5 milhões de euros.
Em relação ao de 2016, o orçamento do próximo ano representa menos cerca de 30 milhões de euros.
O plano e o orçamento da Câmara de Évora para 2017 foram aprovados ontem (dia 31/10) em reunião pública de câmara.
Os quatro eleitos da CDU votaram favoravelmente, enquanto o PS absteve-se e a coligação PSD/CDS-PP votou contra.
O presidente do município, Carlos Pinto de Sá, diz que a redução do valor do orçamento deve-se à "melhoria substancialmente da situação económica e financeira" da autarquia.
"Já conseguimos ter em 2017 um orçamento mais próximo da realidade do que tínhamos em anos anteriores, evitando termos que o engordar por causa da dívida que transitava", sustenta.
Outra das "novidades" do documento mais importante do município é a redução do imposto municipal sobre imóveis.
O IMI passa de 0,5% para 0,45%, revela Pinto de Sá, indicando que as mexidas no imposto implicam uma redução da receita "em mais de 700 mil euros".
O autarca realça que, apesar de o município estar sujeito às regras do Programa de Apoio à Economia Local (PAEL), a descida do IMI é permitida devido à proposta do Governo para o Orçamento do Estado para 2017.
No próximo ano, a câmara prevê avançar com o programa de revitalização do centro histórico e a requalificação de escolas, pagar dívidas às juntas de freguesia e aos fornecedores locais.
A contratação de trabalhadores, a ampliação de habitação social, a construção da ligação pedonal e ciclável entre o centro histórico e o Bacelo, a melhoria da limpeza e higiéne da cidade e o reforço dos apoios sociais e ao movimento associativo são outras das medidas previstas.
Do lado da oposição, o vereador do PS Silvino Costa justifica a abstenção dos socialistas por não se reverem nas opções do plano e orçamento da maioria CDU.

8 comentários:

  1. Vinte a tal comentários às patacoadas policárpicas e nenhum (até este…) para a notícia da aprovação do orçamento do concelho para 2017 ! É o reflexo da qualidade de "comentadores" que o "a cinco tons" criou e alimenta: os ressabiados de direita e os "atrevidotes da espuma dos dias".
    Belo trabalho, o deste "bando dos cinco"…
    PC

    ResponderEliminar
  2. cortar, cortar, cortar... mas ninguem apresenta novidades e trabalho util

    ResponderEliminar
  3. Patetas dos vereadores...

    ResponderEliminar
  4. Já estão com a conversa do "não há dinheiro": quando se candidataram já sabiam (todos sabíamos) que não havia dinheiro; apesar disso, prometeram às pessoas que iam fazer melhor, mesmo sem dinheiro.
    O que concluir? Apenas isto: MENTIRAM SABENDO QUE ESTAVAM A MENTIR

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Prometeram fazer melhor e... estão a fazer melhor.
      - Melhoraram a organização dos serviços.
      - Melhoraram na limpeza.
      - Melhoraram o desequilíbrio financeiro estrutural
      - Reduziram substancialmente os prazos de pagamentos a fornecedores
      - Conseguiram que a Câmara voltasse a ganhar a credibilidade que tinha perdido
      ...
      Ou seja: estão a cumprir aquilo que prometeram.

      Eliminar
    2. Melhorar de uma DOENÇA...NÃO É FICAR CURADO!

      Prolonga-se a VIDA. Mas o final é MAU.

      MENOS MAU NÃO É BOM.

      Eliminar
    3. Reposição de Serviços NÃO É INOVAÇÃO. É GARANTIA DE CONTINUIDADE DE ALGUNS SERVIÇOS MAL FEITOS

      Eliminar
  5. Já andam a planear os trabalhos de 2017 com o que NÃO QUEREM FAZER ATÉ FIM DE 2016. Eleições em 2017 e pensam ENGANAR os ELEITORES

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.