sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Clubes de Évora reclamam apoios financeiros junto da Câmara Municipal


Sete clubes desportivos de Évora reclamaram hoje apoios financeiros da Câmara Municipal, alertando que está em causa a continuidade da sua atividade na época 2016/2017, mas o município informou estar "impedido legalmente" de atribuir ajudas.
Em comunicado enviado à agência Lusa, os sete clubes desportivos revelaram que estiveram reunidos, na quarta-feira, para "debater a falta de apoio, que se verifica há mais de uma década, por parte da Câmara de Évora".
"Estando em causa a continuidade da atividade já na época desportiva 2016/2017", o objetivo do grupo de trabalho criado é "a manutenção da atividade proporcionada à população em geral e aos milhares de jovens em particular", pode ler-se no documento.
O encontro, adiantaram os clubes no comunicado, juntou dirigentes do Lusitano Ginásio Clube, Juventude Sport Clube, Aminata Évora Clube de Natação, Clube de Ténis de Évora, Sport Lisboa e Évora, Évora Andebol Clube e Grupo Desportivo e Recreativo dos Canaviais.
Contactado pela Lusa, o presidente da Câmara de Évora, Carlos Pinto de Sá (CDU), afirmou que "o município está legalmente impedido de dar apoios financeiros aos clubes", devido à sua "situação económica e financeira".
"A câmara está em desequilíbrio económico e financeiro e aderiu ao Programa de Apoio à Economia Local (PAEL), que não permite que, nestas circunstâncias, sejam atribuídos subsídios financeiros", explicou o autarca.
No comunicado, os sete clubes congratularam-se com "a existência do novo complexo desportivo da cidade e a sua utilização pela população", mas consideraram que o equipamento "coloca em causa a equidade da distribuição dos dinheiros públicos destinados ao fomento da atividade desportiva no concelho".
"Neste contexto, vão solicitar uma reunião urgente com o presidente da Câmara Municipal de Évora", indicaram os clubes, realçando que o grupo de trabalho "está aberto aos restantes clubes e associações" do concelho.

13 comentários:

  1. Factos e questões :

    1 - O complexo custou 2230000 euros;

    2 - A manutenção do mesmo custa à Câmara de Évora 15000 euros por mês;

    3 - A Câmara não é dona do complexo;

    4 - A Câmara não explora o complexo ,que será usufruído por clubes de atletismo e de rugby;

    5 - A Câmara tem dívidas e não tem dinheiro para a cultura e para o desporto;

    6 - Se o complexo não lhe pertence e não vai explorar ,porque razão vai lá gastar 180000 euros ,anualmente ,dos nossos impostos e taxas?;

    7 - Não seria mais lógico que quem se encarregasse da despesa fosse o dono?;

    8 - E porque não ,serem os clubes beneficiados a pagar a luz ,água ,gás ,pessoal e um sem número de encargos?;

    9 - É que se esses clubes usufruem de um equipamento que não é deles e estão dispensados de pagar os encargos resultantes da sua exploração ,então foram colocados, pelo executivo camarário, numa posição de favor!;

    10 - Todos nos congratularíamos com o facto ,não fosse o pormenor de todos os outros clubes terem ficado numa posição de clara desigualdade e de grande injustiça, pois não tendo a alegria de ter equipamentos desportivos novos ,têm que pagar todos os meses milhares e milhares de euros de todas as várias despesas referentes à exploração dos seus equipamentos e infraestruturas desportivas.;

    11 - Com a agravante de esta injustiça estar a ser cometida com o uso de dinheiro dos contribuintes ,que por acaso ,na esmagadora maioria ,são sócios ou praticam desporto nestes sete clubes que se sentem injustiçados e nos outros que aqui não figuram e estão em situação semelhante.;

    12 - E estes clubes também são de Évora,servem a população de Évora e têm um passado de serviço público ao longo de largas dezenas de anos que deveria ter sido mais respeitado.

    Nunca é tarde para se corrigir uma injustiça.


    ResponderEliminar
  2. As notícias, dadas desta maneira, são mera propaganda contra a câmara.
    Quem é o dono do novo complexo desportivo?
    Em que condições é que a câmara faz manutenção do complexo?
    Que é que a cidade ganha com esta despesa?
    E por outro lado:
    Quais são os 7 clubes que reivindicam os apoios da CM de Évora?
    Os 7 clubes oferecem o mesmo que o novo complexo desportivo?
    Os 7 clubes são concorrentes com o novo complexo desportivo?
    Quantos utilizadores têm os 7 clubes?
    Os 7 clubes têm as portas abertas a qualquer cidadão que queira praticar desporto?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Seguramente que os 7 clubes em questão terão o triplo, o quadruplo ou mesmo o quíntuplo dos praticantes que o complexo tem. E seguramente que os associados e simpatizantes destes clubes terão certamente um peso considerável e uma palavra a dizer nas próximas eleições quando se lembrarem o quanto foram penalizados por esta decisão da câmara

      Eliminar
    2. Talvez a diferença de praticantes não seja tão grande como imaginas. Só no mês de Agosto, segundo a CME, o complexo desportivo teve 4 mil utilizadores. Duvido que os clubes que referes tenham tido o triplo, o quadruplo ou mesmo o quíntuplo dos praticantes no mesmo período temporal.

      Eliminar
    3. Queres tu então dar a ideia que a Câmara mobiliza 4 mil praticantes em Évora? A esmagadora (diria a totalidade) maioria destes desportistas, que ali anda a correr, praticando jogging estaria ali quer o campo fosse desta ou daquela associação ou do IPDJ. Não aumentaria nem mais um nem menos um atleta. Mas talvez o complexo estivesse mais cuidado, com menos árvores mortas, já secas, e menos cheiro nauseabundo e os esgotos a correrem a céu aberto. Mas é o que temos, as mentiras orquestradas pelos secretários de serviço.

      Eliminar
  3. Côtadinha da Câmara que já não pode ser criticada nem as suas opções discutidas. Ou será que Évora entrou, mais uma vez, na lei da rolha e dos lápis azuis? Claro que as opções da Câmara, como esta, tomada sem ouvir os agentes desportivos do concelho, tem que ser discutida e avaliada. E a pergunta é pertinente: como é que uma Câmara que há 3 anos diz que não tem dinheiro para apoiar os agentes desportivos vai agora gastar, no mínimo!, 180 mil euros por ano a manter um complexo desportivo que caberia ao Estado, já que a obra é sua, manter em funcionamento, ainda para mais quando só dá resposta a uma pequenissima parcela da prática desportiva da cidade?
    E que o sr, presidente não venha com o PAEL. Não tem sido anunciado que a Câmara pediu um empréstimo para sair do PAEL?E mesmo com PAEL, se houvesse vontade, havia tanta forma de financiar a actividade amadora dos clubes. Falta vontade e sobra o eleitoralismo. A obra do Complexo Desportiva só falta ser anunciada oficialmente como obra da Câmara tal têm sido as inverdades postas a circular pelos apoiantes da actual autarquia, dando a ideia que se não fosse a Câmara aquele espaço estaria fechado ao uso dos cidadãos, o que não é verdade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. «E mesmo com PAEL, se houvesse vontade, havia tanta forma de financiar a actividade amadora dos clubes.»
      Faltou explicar como?...

      «dando a ideia que se não fosse a Câmara aquele espaço estaria fechado ao uso dos cidadãos, o que não é verdade»
      Faltou explicar quem seria a entidade que iria gerir aquele espaço, mantendo-o aberto aos cidadãos.

      Enfim, mandar umas bocas é fácil e barato. Difícil é pensar seriamente no assunto e apresentar sugestões ou propostas construtivas.

      Eliminar
    2. Como resposta e seguindo a ordem, o dono do Complexo é o IPDJ e certamente usaria as regras que já o faz no JAMOR.

      Com um esquema parecido ao que se usa para financiar as associações culturais atualmente “amigas”, exemplo disso é o projeto Évora à calma, é feito numa logica de compra de prestação de serviços.

      Eliminar
  4. O clubes reclamam tarde e a má horas.
    Deveriam ter reclamado quando foi assinado o acordo PAEL que impôs à autarquia a impossibilidade de dar apoios financeiros aos agentes desportivos, culturais e sociais da cidade.
    O mesmo acordo que impôs aos cidadãos e empresas do concelho o pagamento de taxas e impostos no máximo, para pagar a desbunda de 12 anos de gestão PS.
    Nessa altura é que eu gostava de os ver a reclamar.

    ResponderEliminar
  5. Estes clubes reclamam de barriga bem cheia. Durante anos receberam muitos milhões da autarquia, em transportes de borla, em água que não pagam, em cedência de terrenos para construir ou ampliar as instalações, em cedência de projectos, em isenções de taxas e impostos municipais, etc., etc.

    No caso de um deles, o Lusitano Ginásio Clube, até devia ter vergonha de vir reclamar o que quer que fosse da autarquia (ou dos poderes públicos), depois de a ter envolvido e arrastado para a conhecida e ruinosa negociata da Silveirinha, com os tristes resultados que se conhecem para o clube e para a cidade.

    ResponderEliminar
  6. Só uma pergunta:
    O que diria esta gente que aqui manda palpites, se a CME recusasse gerir este espaço desportivo, mantendo-o aberto aos cidadãos que o queiram utilizar?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Diria que o PCP já não era o mesmo partido que quer o mundo inteiro só para ele.

      Eliminar
  7. Neste conjunto de pessoas que atacam ou defendem a Câmara, há uma coisa que ressalta, é a subsidio dependência em que este País se encontra.
    Na verdade na hora de pagar impostos todo o mundo refila e arranja todo o tipo de esquemas para fugir aos ditos.

    Mas na hora de pedir subsídios, para isto ou para aquilo, aqui del' Rei que o Estado ou a Câmara (seja qual for a entidade, a fonte é sempre a mesma, ou seja o contribuinte pagante), não lhes dá o famigerado subsidio.

    São as escolas privadas que tanto mal falam do estado e mas não sobrevivem sem os seus subsídios, são os clubes, que na sua grande maioria nada fazem neste país a não ser mamar da teta do estado/Câmara.

    Eu como contribuinte só digo, arre que é demais, vão "Xuxar" para outra freguesia...
    MdM

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.