terça-feira, 30 de agosto de 2016

Filme sobre a vida e obra de José Mário Branco esta quarta-feira em Évora


“Mudar de Vida: José Mário Branco, Vida e Obra”, de Pedro Fidalgo e Nelson Guerreiro (115 minutos),Praça do Sertório, 31 de Agosto, às 21,30h

Seguindo José Mário Branco em ensaios, gravações de discos, concertos e conversas, os realizadores constroem um retrato do artista que, em conjunto com outros, vincaram na arte o movimento de protesto com as músicas de intervenção – não se esqueça o tema maldito “FMI” que José Mário Branco, enquanto autor, proibiu até de ser emitido nas rádios.
Neste documentário, o artista fala de problemas encontrados em “ser português”, na emigração, pobreza e crise, que parece ter chegado há décadas para permanecer, sempre a mesma.

12 comentários:

  1. Em qual das salas do Centro Comercial Pinto de Sá é que este filme passa? Na sala 1, na 3, na 6?
    Sejam mais específicos, que eu não quero perder pitada deste filme tão importante e nada bolorento, tão virado para o futuro.
    Um verdadeiro marco da história do cinema, disputado por milhares de salas de todo o mundo e nós com este privilégio. Viva a Cóltura em Évora.
    jmc

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. jmc, não seja tótó e vá ver o filme...

      Eliminar
  2. Mas o José Mário Branco nunca foi do PCP e também não alinha com os bloquistas.
    É um homem livre!

    ResponderEliminar
  3. Tenho duvidas se as pessoas sao só parvas ou se se fazem para parecerem engraçadas...
    O filme sobre Jose Mario Branco só pode ser um grande marco de cultura pois o musico e compositor por si só já o é! Tenham vergonha na cara e respeitem um dos maiores e mais íntegros intelectuais deste país ...que ainda por cima tem tao poucos!
    Lurdes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A sério? José Mário Branco "um dos maiores intelectuais deste país? Você escreveu isto antes ou depois do jantar? Só pode ter sido depois de um jantar bem regado.
      Você deve ter 300 anos de idade e acha que isto é cultura. Mas acha que esta cultura a preto e branco,a cheirar a mofo, interessa a quem? Aos velhotes aí do seu lar, só pode ser...
      jmc

      Eliminar
    2. É preciso ser muito ignorante e muito estúpido para falar assim do José Mário Branco, ou de quem gosta do JMB.
      Já o Cavaco Silva renegava o Saramago e o Carlos do Carmo. Mas não foi por isso que eles deixaram de ser reconhecidos como expoentes da cultura portuguesa, e de ganhar inúmeros prémios e condecorações nacionais e internacionais. Na verdade, quem deu prova de incultura e de incompetência foi o próprio Cavaco Silva.
      Esta canalha, quando abre a boca é um esgoto a céu aberto. O cheiro é nauseabundo.
      Esta canalha, se tivesse consciência do que é, ficaria de boca fechada.
      Mas como lhes falta a educação, a inteligência, e a consciência, empestam o ar.

      Eliminar
    3. Pela maneira como escreve eu diria antes, livrar de si.

      Eliminar
  4. O que a malta quer mesmo é ver os transformers 4 e o star wars XIV. Enquanto estão entretidos não pensam no resto. Como pensar é coisa que já não se quer, está tudo ok...

    ResponderEliminar
  5. jmc,
    se tivesse calado não perdia nada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não se diz "tivesse", que é do verbo "Ter" e sim "estivesse", que é do verbo "Estar".
      De onde se conclui que é você, que nem português sabe escrever, que melhor figura faria em estar calado(a).
      jmc

      Eliminar
  6. Na verdade tenho de concordar consigo, sou novo e não dou a atenção merecida à forma como escrevo se não estiver em contexto que a tal me obrigue. No entanto volto a frisar, aquilo que escreve, com toda a correção, revela bem o seu nível de incultura, e como tal aconselhei-o naquele meu pequeno post a não vir para a praça pública vangloriar a sua pequeneza de espírito.
    Claro que o senhor é livre de fazer o que bem entende.

    ResponderEliminar
  7. Acerca do José Mário Branco e do filme, tal como acerca das opiniões dos que acima me criticaram, só lhes digo isto: eu sou livre e sobre o JMB e tudo o resto penso o que bem me apetecer e parecer correcto e não o que vocês gostariam de impor.
    As opiniões são como os cus: cada um tem a sua (seu). Pessoal e intransmissível.
    jmc

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.