quarta-feira, 29 de junho de 2016

PARA REFLECTIR


António Gala, ex-toureiro, nascido em 1937, escreveu, na crónica dominical do Jornal "El País", a 30 de Julho de 1995 um artigo, no qual confessava a sua "Conversão" ao anti-taurismo: " E de repente (o touro) olhou para mim. Com a inocência reflectida nos olhos, mas também implorando. Era a revolta contra a injustiça inexplicável, a súplica face à crueldade desnecessária..."

"A comiseração com os animais está intimamente unida com a bondade de carácter, que se pode afirmar que quem é cruel com os animais não pode ser boa pessoa" - Schopenhauer.
Só os psicopatas gozam com os sofrimento dos outros, quer animais quer pessoas...
Tu és um deles? Reflecte!
O toureio é uma tradição degradante, que como qualquer outra semelhante teve e terá o seu tempo e como tal não deve continuar...
O povo culto e mais instruído acabará com ela.
A corrida de touros é matar por diversão...
A festa taurina não é uma arte, como se diz, é a ciência da tortura.
E nada na festa brava é genuíno excepto a dor...

A. Gomes

3 comentários:

  1. Só uma pergunta a quem souber responder:

    O Bloco de Esquerda já apresentou na AR alguma proposta de Lei a proibir as touradas em Portugal?

    Ou vai colocar um cartaz a anunciar que "O Bloco vai fechar as portas enquanto houver touradas em Portugal"?

    ResponderEliminar
  2. OH ANÓNIMO,
    REFLECTISTE SOBRE O POST?
    OU ÉS ANALFABETO?
    A. Gomes

    ResponderEliminar
  3. Totalmente de acordo com o texto do post.
    A Humanidade não evoluirá enquanto não houver total respeito pelos mais fracos habitantes deste planeta: crianças, deficientes, animais.
    O grau de evolução intelectual e espiritual de um povo (ou de cada pessoa) vê-se pelo modo como trata os outros, particularmente os mais fracos.
    Divertir-se com essa coisa abjecta que consiste em torturar animais, ainda por cima chamando-lhe "arte" quando arte não é nem nunca foi, é indigno de um ser humano. Nem as bestas assim procedem, já que só matam para comer ou defender o seu território, nunca por divertimento. Cabe a cada um pensar se é mais que uma besta ou menos ainda que uma besta. Cabe a cada um pensar bem se, lá no fundo, não passa de um psicopata encapotado.

    jmc

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.