sábado, 21 de maio de 2016

No turismo, Évora continua na Idade da Pedra

.

"Quando os Agentes não têm juízo o Posto de Turismo é que paga!

.
Começa a época denominada de alta e um turista «cultural» ou mesmo visitante do dia de passagem quer ser bem saciado em termos de experiência.
No entanto a idade da pedra continua, até quando? Pergunto eu:

- Caro amigo são 17 horas, quero visitar a Catedral, a Igreja de São Francisco e a Capela dos Ossos, como é?
- Estão fechadas, não nos cabe a nós a gestão desses espaços!
- Mas vocês é que cá estão para responder!
- A quem o diz, já estamos preparados a acarretar com a culpa, as costas também se vão habituando a arcar com o peso, sabe!
- Caro amigo, dê-me o livro de reclamações, que Disneylândia é aquela num monumento com 2000 anos de história?
- Tem de perguntar a quem deu autorização a tal coisa, nós aqui fizemos algo de que se possa queixar?
- Sinceramente não!
- Então e estando até de acordo consigo, não nos faça acarretar algo de que não somos culpados!
- Que sinalização turística é esta numa cidade Património da Humanidade desde 1986?
- É a que temos, lamento muito!
- Você nem imagina há quanto tempo que ando perdido nesta cidade!
- Caro amigo fui aos serviços públicos de casa de banho e não pode ser, como é possível isto numa cidade destas?
- Não sei que lhe diga!
- Então os monumentos não têm história ou nenhuma interpretação, viemos olhar para as pedras só?
- Olhe este é deste século...blá...blá...blá, não sou historiador, mas espero que tenha ficado melhor informado!
- Agradeço a sua gentileza!
....
Poderia continuar com a lista de velhas experiências e memórias guardadas, que é grande e não muito favorável.
O Posto de Turismo é um serviço perfeito? Não.
O Posto de Turismo faz um atendimento perfeito? Também não, nenhum serviço o faz.
O Posto de Turismo tem reclamações? Por vezes tem.
O Posto de Turismo tem cartas de agradecimentos? Embora se dê menor relevância, também as tem.
O Posto de Turismo funciona até que horas? Começa às 9 e mesmo com quase já tudo fechado encerra às 19.
Como entra o espírito de um turista que vive no século XXI no Posto de Turismo em Évora? Sendo culto, exigente, informado, conhecedor de outros locais...Entra, por vezes, de tal forma defraudado, que depois mal ou bem a carga sobra para quem está no posto de turismo, este em última instância é o que não presta um bom serviço!
PS - O que vale é que os calos aparecem, e as costas começam a ficar mais largas!"

Muito pertinente.

(Comentário no facebook de um funcionário do Posto de Turismo de Évora)

Anónimo


20 maio, 2016 18:58

14 comentários:

  1. Esta cidade parou no tempo e há quem considere que a isso se chama preservação do património.

    Eu chamo-lhe incompetência dos governantes autárquicos.

    ResponderEliminar
  2. Concordo com tudo. E tenho que elogiar a coragem do funcionario ainda que o posto de turismo e a Camara nao estejam isentos de culpa. O posto de turismo nao presta um bom serviço!

    ResponderEliminar
  3. (Mais um título enganador à laia do CJ. E sem pôr os nomes nos bois)

    O turismo não "continua" na idade da pedra. O turismo "voltou" à idade da pedra, depois dos governos da incultura do Santana, Sócrates, e Coelho/Relvas.
    Estrangularam os serviços e as instituições publicas, e, sistematicamente, privatizaram tudo o que pode dar lucro e financiamento do estado aos privados. Para o estado ficam os "bancos maus".
    Foi-se a Academia de Música, foi-se o cromeleque dos Almendres, foi-se o Museu do Artesanato. Chegou a obscena fundação Eugénio de Almeida, chegaram os museus de arte sacra, chegaram as touradas, que passaram a ser financiadas pelo ministério da cultura. Ficou o Centro Histórico a desfazer-se em ruína, sem meios para se restaurar e manter.
    Fundações, igreja, tauromaquia, escolas privadas, tudo a exigir serem suportados pelo estado. Alegam que prestam serviço publico, e porque eles próprios, a extrema direita e o capital, vão sabotando o estado, e fugindo ao pagamento dos impostos.

    Está certo, os contribuintes é que têm que suportar as bestas que os exploram.

    Está certo, os eleitores é que têm que suportar as bestas que os governam.

    ResponderEliminar
  4. Parabéns ao empresário José Luis Correia Louro ,ao doar o espólio a CME para para o projeto "Diário Tipográfico",as Artes Tipográficas de Évora no séc.xix a xxi.

    Espero que os vários empresários das Artes Gráficas sigam este gesto Nobre,para que Évora tenha um núcleo museológico que engradeça a Cidade.

    ResponderEliminar
  5. Que este projeto localizado no Convento dos Remédios seja valorizado também pela parte da encandernação,Évora teve grandes Mestres,saibam os seus herdeiros contribuir para a valorização deste Grande Museu de Artes Gráficas de Évora.

    ResponderEliminar
  6. O Senhor Manuel Madeira Piçarra e Justo Maria Nabais,podem e devem contribuir para a valorização deste Museu que está a ser criado em Évora.

    Bem Hajam a Todos os Homens das Artes Gráficas,para este Projeto lançado pela Cãmara Municipal.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem hajam os comunistas que têm atrasado Évora continuamente...

      Eliminar
  7. Basta percorrer a Cidade e reparar que muitas das Igrejas (monumentos nacionais) estão fechadas e outras fecham ás 17 Horas.

    Quem é o responsável?

    Dir.Reg. de Cultura ou Diocese ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Câmara não, que é progressista!

      Eliminar
  8. Se fosse só o posto de Turismo, e o que dizer à Restauração, ainda hoje, domingo dia 22/5/2016 encontrei um casal aflito, pois queria almoçar e só encontrava restaurantes fechados. Uma Vergonha, UMA VERGONHA, senhores comerciantes da área da restauração, então não tem outro dia para o descanso semanal???? e depois querem milagres, esses hoje já não existem, só no tempo de jesus Cristo...
    Du Campo

    ResponderEliminar
  9. "A cãmara não,que é progressista"

    as Igrejas fechadas,e as poucas que abrem diariamente(encerram por volta das 17:30) é da responsabilidade da autarquia?

    ResponderEliminar
  10. A atenção da CME

    buracos nas faixas de rodagem,matagal nos passeios e bermas.

    ResponderEliminar
  11. Eu ouvi um antigo presidente da autarquia com um governador civil a discutir o turismo da cidade, a defesa era total os não invasores por desgaste das pedra e outras parvidades parecidas,claro o desenvolvidamente e divulgação do património edificado era um perigo por causa da chegada de massas para visitar e comprar habitação e consigo traziam novas ideias,o meu colega que servia a mesa só me disse será que tem parte no comercio e nos imóveis e não querem mais ninguém cá!Parece que passado 25 anos dessa conversa esta tudo igual EM ÉVORA !?

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.