terça-feira, 10 de maio de 2016

Glifosato sem surpresas

Confesso que a conversa contestatária sobre as ervas que crescem nos passeios em espaço urbano é, para mim, um dos mais recônditos mistérios sobre a prática popular de cidadania activa.
Entendo-a perfeitamente quando a oiço a quem vive do que a terra dá e as ervas daninhas representam, por isso, uma ameaça à boa, ou melhor, colheita. Também reconheço que o lixo mais facilmente aterra num espaço em que fica preso nas ervas do que num terreiro livre delas, mas o problema aí é o lixo e quem o faz, e não as ervas que naturalmente procuram entre as pedras da calçada ou dos passeios um espaço para crescerem. E é ver o Rossio em Évora - terreiro de mercado livre de ervas, mensalmente invadido pelo lixo que quem ali negoceia, vendendo e comprando, deixa como recibo à cidade - para perceber-se no espaço urbano a diferença entre ervas e lixo.
Se o meio urbano vive muito do comércio, pelos vistos o país vive também muito do comércio do glifosato que mata depressa e barato as ervas no campo e na cidade. Só que a cidade não é o campo e o que pode servir a um pode não servir a outra. Parece-me que a questão do glifosato aplicado na agricultura ou nos passeios urbanos ou suburbanos é, por isso, diferente. E a argumentação que justificaria medidas diferenciadas deveria servir mesmo era para explicar opções, e contrariar o disparate motivado pela ignorância, e não para servir ora de megafone, ora de rolha. As pressões são mesmo assim e reagir-lhes requer aos políticos, não só o tino comum aos seres pensantes, mas uma enorme resistência ao desejo de alguns quererem agradar a todos e a qualquer preço.
As pressões em torno das ervas espontâneas nos passeios são, então, um assunto de enorme importância para os Eborenses. Sabiam-no os actuais governantes quando estavam na oposição e cavalgando a contestação se juntavam ao coro, ideologicamente polifónico, das vozes que punham o assunto no rol do que está muito mal na cidade. Sabem-no agora quando, confrontados com a falta de mão-de-obra que já antes impedia que fossem mais eficientes e eficazes os trabalhadores a arrancar as ervas, vá de usarem o glifosato em doses que coloca Évora bem posicionada no topo da lista das autarquias que, dentro de uma legalidade que me confirmaram, mais usam este tipo de herbicida muito pouco saudável para o cidadão e para os animais domésticos que circulam em espaço urbano. Afinal de contas, a solução para as ervas não revela ignorância mas uma escolha muito consciente para tratar um assunto que, em meu entender, se preocupa muito mais com a opinião pública do que com a saúde pública.
«Que importa que já o saibas? Só se sabe o que já nos não surpreende.» pensava o Vergílio Ferreira em contexto de pensar o Homem e a Vida. E eu, que já vou sabendo algumas coisitas, fico é mesmo à espera de ser surpreendida no próximo dia 18, quando a Comissão Europeia votar a reautorização da licença de uso deste herbicida na Europa. Até agora houve uma proposta para a revalidação por 15 anos, mas a Itália, a França, a Holanda e a Suécia parece que se opuseram, o que fez com que não se realizasse a votação por não estar garantida a maioria qualificada. Entretanto, parece também que o Parlamento Europeu terá feito uma recomendação, ainda que não vinculativa: que a revalidação da licença se faça apenas por sete anos e se decrete a proibição do seu uso em espaço urbano. Depois? Depois é cumprir. O que nem sempre é óbvio, e vai deixar alguma gente continuar muito incomodada com as ervas no passeio. Tenham dó!
Até para a semana.

Cláudia Sousa Pereira (crónica na rádio diana)

26 comentários:

  1. O que fez a Senhora no seu mandato ?

    as ervas foram tratadas com químicos.

    O rossio esteve e continua ao abandono(mercado mensal transformado numa imensa lixeira)

    Não reprovou o trajeto da linha de mercadorias Sines/Caia(atravessando uma vasta área urbana da cidade)

    ResponderEliminar
  2. A Senhora contribuiu para a divida de 88 milhões de euros.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E tu não? Ainda hoje contribuis.

      Eliminar
  3. Alguém me consegue explicar a fixação que esta sra tem com o Virgílio? Ou isso é mais um recôndito mistério dos dois habitantes que vivem na sua cabeça?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Qual Virgílio? O Publius Vergilius Maro? Ou o dono do café ali do bairro? Vais ter de convocar os teus T&T para responderem a esta.

      Eliminar
    2. É assim tão difícil perceber a que Virgílio me refiro?
      Um conselho: Vai imediatamente ao médico! O teu deve ter morrido de solidão!

      Eliminar
  4. Boas Notícias:

    A redução da dívida do Município, a diminuição do prazo médio de pagamentos, e o equilíbrio orçamental positivo, são três boas notícias apresentadas no documento de prestação de contas aprovado pela última sessão da Assembleia Municipal.

    O atual executivo municipal apresentou os resultados da sua gestão comparando dados apurados a 31 de Dezembro de 2015 com os da mesma data de 2013. Nesta comparação é notável a redução da divida em cerca de 12 800 000 Euros.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ó meu, não me digas que ainda acreditas em histórias da carocinha. Este Carlinhos de Montemor é danado para a brincadeira...

      Eliminar
    2. Explica lá ó inteligente como é que o Pinto de Sá conseguiu esse milagre, quando já aprovou 3 contas anuais todas com resultados líquidos negativos, isto é em todos os anos gastou mais do que as receitas que teve. Como diminuiu a dívida? Foi simples inventou que herdou um a divida superior em 14 Milhões para agora afirmar que a desceu. Os números não mentem consulta os documentos de prestação de contas onde tudo isto está claro. Mas tu sabes isso, como lambe-botas do presidente tens acesso aos números.

      Eliminar
    3. Invenções de dívidas superiores foi o que o fez o PS/Ernesto em 2002. A dívida deixada pelo PS foi apresentada com TODA a documentação anexa. E, ao que consta, ninguém contestou nos locais próprios os documentos apresentados.

      Eliminar
    4. Ninguém contestou? Levanta o cu da cadeira do gabinete, onde passas o dia a esfregar o dito e vai ao edifício da Assembleia Municipal consultar as atas, aliás não é necessário pois todos sabemos que também estás na Assembleia Municipal, o que confirma que afinal não passas dum mentiroso.

      Eliminar
  5. A extrema direita perdeu a vergonha e o tino.
    Criticam tudo a torto e a direito, por ter cão e por não o ter.

    Primeiro criticaram o despesismo e as boas intenções do governo. E agora criticam o governo porque, tal como foi contratado com as escolas privadas, não quer continuar a subsidiar o ensino privado se e quando as escolas publicas tiverem os meios suficientes e necessários para prestar o serviço que está previsto na lei.

    Primeiro criticam porque é necessário fazer obras em Lisboa. E agora fazem mais uma campanha da má lingua conduzida pela SIC, com uma menina montada numa moto, a dizer baboseiras sobre as obras que a câmara de Lisboa iniciou agora em Maio, para estarem prontas no Verão.

    Esta canalha, esta gatunagem, esta direita nacional, é da laia dos fascistas que estão dar o golpe fascista no Brasil.
    A p. que os pariu.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deve ser frustrante, não se ter argumentos válidos para refutar algo evidente... E descarregar essa frustração com ofensas, só revela o mau carácter de quem as proferiu. É esta a Esquerda que temos...

      Eliminar
    2. Quem não tem argumentos são os que se agarram a alegadas ofensas, a formalismos, a evidencia falaciosa, e a direitos divinos, para justificar o direito de roubar e a viver à custa dos contribuintes. É esta a direita que temos.

      Eliminar
    3. https://aventar.eu/2016/05/11/liberalismo-subsidio-dependente/

      Eliminar
  6. É a Esquerda desesperada!

    ResponderEliminar
  7. A extrema direita perdeu a vergonha e o tino.Eu pensava que tina sido extrema esquerda com estas contas 2 professores no publico 52 mil euros no privado 80 mil euros professores instalações alimentação etc..então no publico não somam mais refeições mais funcionários mais despesas nas instalações com agua luz etc,são brilhantes estes cálculos e mais não digo!Canalha é esta esquerda que no túnel do Marão vai pagar a uma empresa privada 160 mil euros por dia durante 30 anos numa famosa PPP,fascismo e comunismo e tudo a mesma merd...!

    ResponderEliminar
  8. Os argumentos falaciosos da direita é que são bons. Todos sabemos porque é que a direita gosta tanto da escola privada e quais são as suas intenções, a vossa principal preocupação é para com os desfavorecidos e na vossa escola privada os pobres vão ter tantas oportunidades como os vossos filhos, não é?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A direita exige que "o direito de escolha" dos ricos seja pago pelos contribuintes.
      A direita exige que o luxo deles seja pago pelo trabalho de quem paga impostos.
      Os pobres não precisam de educação. Os pobres precisam de trabalhar para poderem suportar a direita.

      (Queres argumentos? Olha para o roubo das escolas privadas)

      Eliminar
  9. comentário no aventar

    2016 d. C. Toda a Lusitânia vive sob o domínio do Sacrossanto Mercado e o do Todo-Poderoso Princípio do Utilizador-Pagador. Toda? Não! Um conjunto de aldeias chamadas Colégios-Privados-com-Contrato-de-Associação resiste, ainda e sempre!

    ResponderEliminar
  10. A direita acusa a esquerda de ser subsidio dependente.
    Acusam os outros dos pecados que eles próprios cometem à descarada.
    Não basta a fuga aos impostos (que praticam com o apoio da banca, a "cegueira" das entidades reguladoras, o beneplácito dos governos, e a bênção da igreja), e ainda querem que os contribuintes lhes suportem os vícios, os crimes e os luxos.
    P. q. os p.

    ResponderEliminar
  11. A Igreja que reclama subsídios para os seus colégios é a mesma que esteve durante 50 anos ao lado de Salazar,esta não é a Igreja de Cristo e Pedro.

    O Papa Francisco tem pela frente um trabalho árduo ,afastar os vendilhões do templo,os Abutres que vivem da industria da caridadezinha,são esses os defensores de milhões para os colégios frequentados pelos filhos da grande burguesia e pago com o dinheiro dos nossos impostos.

    ResponderEliminar
  12. Porque só devemos ter escola publica sem concorrência de privadas, claro para facilitar a manipulação e o facilitismo da não educação.
    A esquerda adora o totalismo centralista do estado,nalguns casos a escola publica fica mais cara que no ensino privado e com piores notas e mais indisciplina,mas ai silencio para o Misto Nogueira coçar a micose!O pobre só pode ter ensino na escola publica ficando condicionado a hipótese de escolha,bela democracia da igualdade!

    ResponderEliminar
  13. Já o disse aqui antes (se não leram, foi porque muitos dos meus comentários são bloqueados, só porque a liberdade de expressão não se aplica quando falamos de Extrema Direita), mas o que está a acontecer, este crescente entusiasmo pela Direita, só é motivado por um simples factor (e falo aqui a nível global, como os casos a que estamos a assistir na América, em França, ou na Áustria, por exemplo): o completo e redondo falhanço da Esquerda. A Esquerda teve a possibilidade de fazer a diferença. Foi-lhe dada de bandeja. E falhou redondamente. Desiludido, o grosso da população começa agora a virar-se para quem lhe dê garantias de que esse desastre não volte a acontecer. E é isso que a Direita promete. Políticas de emigração, o politicamente correto em relação às minorias, a subsidio-dependência com o consequente afundar das contas públicas, tudo isso levou a Esquerda ao descrédito. E agora, incapazes de reconhecerem o próprio erro, viram-se para a Direita, com ameaças, injurias (como algumas que aqui lemos regularmente) e contra argumentos que nunca o chegarão a ser por falta de fundamentação. Tal como uma criança mimada a quem lhe é retirado o chupa-chupa, que lhe foi oferecido sem que nada fizesse para o merecer, a Esquerda agora faz birra...

    ResponderEliminar
  14. Bem todos têm razão mas quanto custa cada aluno anualmente no Público e quanto custa no Privado?
    Só com esses dados concretos se podia discutir o assunto.
    Se por ventura alguém tiver esses numeros deixem aqui para se poder fazer uma avaliação séria.

    ResponderEliminar
  15. A Polícia Judiciária anunciou hoje que deteve um homem de 46 anos por suspeitas de abuso sexual da enteada.

    Segundo a PJ, os factos iniciaram-se, há cerca de quatro anos, quando a vítima tinha apenas 11 anos e foram cometidos repetidamente na residência onde ambos viviam, situada no distrito de Évora.
    A vítima tem, atualmente, 15 anos.
    O detido foi presente a primeiro interrogatório judicial, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação de prisão preventiva.

    A Polícia Judiciária anunciou hoje que deteve um homem de 52 anos e uma mulher de 35 por suspeitas de abuso sexual de uma jovem deficiente de 18 anos.
    Segundo a PJ, recaem sobre os detidos "fortes indícios" da prática do crime de abuso sexual de pessoa incapaz de resistência.
    A Polícia Judiciário indica que os factos terão ocorrido, entre 12 e 13 de Março deste ano, na casa do casal.
    Que se esta a passar no distrito de Évora a este nível é preocupante!


    A vítima, adianta a PJ, tem uma acentuada deficiência cognitiva e uma relação de parentesco com a detida.


    O casal foi presente a primeiro interrogatório judicial, tendo ambos ficado sujeitos à proibição de contactos com a vítima e a apresentações semanais no posto policial da área da residência.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.