terça-feira, 31 de maio de 2016

BIME 2016 não se vai realizar apesar de protocolo firmado há um ano entre Câmara, Turismo e Direcção Regional de Cultura


A Bienal Internacional de Marionetas de Évora já não se realiza há 3 anos. A edição de 2015 foi suspensa por falta de verbas e, apesar do protocolo celebrado no ano passado entre a Câmara, a Entidade Regional de Turismo, a Direcção Regional de Cultura e o Cendrev, este ano também não haverá a Bienal prevista, anunciou hoje a entidade organizadora, em comunicado assinado por José Russo, director do Cendrev.

"Em Junho de 2015 decorreu no Teatro Garcia de Resende uma cerimónia pública de assinatura de um acordo de colaboração entre o Cendrev, a Câmara Municipal de Évora, a Direcção Regional de Cultura do Alentejo e a Entidade Regional de Turismo onde se assumiu que, em virtude da ausência dos fundos comunitários, a 14ª edição da BIME – Bienal Internacional de Marionetas de Évora, que deveria ter decorrido na cidade Património Mundial em Junho de 2015, ficou agendada para 2016, ou seja, estaria agora a acontecer, não fora a incompreensível situação do atraso nos financiamentos para área do património e da cultura do novo quadro comunitário que já devia estar a funcionar há dois anos e meio.
Os repetidos atrasos na disponibilização dos fundos comunitários para este sector de actividade está a contribuir para o estrangulamento de muitos programas de acção cultural que têm sido precursores de práticas consequentes e regulares que foram inscrevendo eventos nacionais e internacionais nos calendários da vida das nossas cidades e regiões. Estas práticas, instaladas ao longo de anos, têm constituído experiências de reconhecido mérito na valorização e preservação do património e na criação e desenvolvimento de muitos novos projectos artísticos.
Aqui chegados, e depois dos sucessivos adiamentos da abertura dos avisos das candidaturas, o Cendrev informa que está mais uma vez a desenvolver todos os esforços junto dos novos responsáveis da CCDR Alentejo e do Governo no sentido de garantir as condições para retomar o calendário regular da BIME, cuja primeira edição aconteceu em 1987 na sequência do trabalho desenvolvido com os Bonecos de Santo Aleixo.
Enquanto não chega a Bienal, o Cendrev decidiu lançar uma nova iniciativa que designa marionetas na cidade. Esta iniciativa é uma forma de afirmar a importância desta expressão artística que instalou na cidade e na região um quadro de envolvimento dos cidadãos que tem conquistado a simpatia e a atenção de um número crescente de espectadores dos diferentes escalões etários.
Os Bonecos de Santo Aleixo são os anfitriões destas visitas à cidade Património Mundial, que vão acontecer todos os meses com diferentes companhias de marionetas, até final do ano. As visitas começam já no mês de Junho com a presença do Marionetista dinamarquês Alex Jorgensen que apresenta o seu espectáculo no dia 8 de Junho, às 10:30 horas na Praça do Giraldo e às 17:30 horas no Jardim das Canas. Os Bonecos de Santo Aleixo apresentam-se também no arranque desta iniciativa, de 6 a 10 de Junho, diariamente às 18:30 horas no Teatro Garcia de Resende e voltarão em Dezembro para participar no encerramento deste ano de marionetas na cidade.
- mensagem do Director, Encenador e Actor do Cendrev José Russo"

4 comentários:

  1. Nem existe dinheiro para comprar químico para queimar as ervas quanto mais para marionetas!Estamos atravessar a miséria municipal de esquerda em pleno,35 anos de estoiro financeiro!

    ResponderEliminar
  2. Esta malta dos bonecos tem uma certa piada. E digo isto, não pela bonecada que abanam na ponta do cordel, mas pelas atitudes que têm...
    "Ah, e tal, somos artistas, e por isso, o Estado português, ou o europeu, ou alguém, tem que nos pagar para nós apresentarmos umas titaradas!"
    Meus amigos, tenho uma palavra para vocês: Trabalho! Trabalhem, e façam por merecer o dinheiro. Se realmente forem bons naquilo que fazem, de certeza que haverá gente disposta a pagar bilhete para vos ver!
    Ou têm medo de descobrir que afinal nem umas palhaçadas são capazes de fazer em condições?

    ResponderEliminar
  3. Preferes pagar milhões de euros aos bancos para enriqueceres milionários do que dar uns trocos a pessoas que fazem coisas diferentes das tuas.
    Pode ser que um dias sejas milionário para a tua conversa fazer sentido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não prefiro nada! Sejam bancos ou titareiros, vai tudo para o mesmo saco. São parasitas da sociedade. Se todo o dinheiro que fosse dado a essa gente, fosse antes canalizado para a Segurança Social, Educação e Saúde, seriamos um dos melhores países para se viver, do mundo!

      Eliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.