sexta-feira, 15 de abril de 2016

Hoje no Salão Central em ruínas


15 de Abril, das 16h às 20h | "Fora de Horas" Festival CONDOMÍNIO | ÉVORA
O CINEMA tinha acabado de ser inventado quando o Salão Central Eborense foi erguido em 1916. Depois de alguns anos enquanto sala de espectáculos é a partir do período do Estado Novo e após uma intervenção do arquitecto Keil do Amaral que se torna formalmente uma Casa do Cinema. Foi esta a sua função até ser desactivado. Sabemos que foram projectados vários filmes de época, um deles Non son degno di te!, e que a casa de banho era particularmente longe da plateia para alguns. Contaram-nos também que no final da sua primeira vida foram os filmes pornográficos que lhe apaziguaram as maleitas. 
Cada pessoa viu um filme no Salão Central Eborense, cada pessoa fez o seu próprio filme no Salão Central Eborense. Porque é isso que o CINEMA faz às pessoas: deixa-as ser, deixa que se pensem, ensina-as a pensar. 
E é também pelo CINEMA e pelo que os filmes transportam que o Fernando Martins da Silva e o Letra Marco Balesteros criaram CADA UM AO SEU CINEMA: uma viagem sonora pela história do cinema e uma instalação efémera que se revelará no final da tarde desta 6ª feira. 
Um Dia Aberto para ser vivido por TODOS e por cada um.



1 comentário:

  1. A ruína tem condições de segurança para um espectáculo público?
    A Câmara responsabiliza-se pelo evento?

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.