quarta-feira, 27 de abril de 2016

Debate: Évora, que centro histórico?


Vozes da Cidade - Ciclo de Conversas
#3 Évora, que centro histórico?
Hoje, 27 de abril, 21:30
 
Na terceira sessão das Vozes da Cidade, João Andrade Santos (economista, 73 anos) é o anfitrião que desafia Eduardo Miranda (arquitecto, CMÉ), Gaudêncio Cabral(comerciante eborense, dirigente associativo e membro do Movimento de Defesa do Centro Histórico de Évora), José Alberto Ferreira (gestor cultural, director da Colecção B, docente da Universidade de Évora), José Silva Neves (empresário, 49 anos de idade), Marcial Rodrigues (vice-Presidente da Direcção do Grupo Pró-Évora) para debater perspectivas sobre o Centro Histórico de Évora (CHE). Um debate que se quer prospectivo e inquieto, atento e futurante. 
No ano em que se comemoram os 30 anos da classificação do CHE como Património Mundial pela UNESCO; no ano em que as políticas do governo central apontam a recuperação urbana como uma das sete prioridades do Plano de Reformas estruturais, este é um debate cuja oportunidade se impõe. E o convite é para um debate mobilizador. Contamos consigo !

18 comentários:

  1. O troço da muralha(escola de enfermagem) continua a desmoronar-se,até agora nada foi feito,o(s) responsáveis vão intervir depois de acontecer algum acidente?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Está tudo a ruir, a desmoronar, lixeira, insegurança, arruaça nocturna, sei lá!
      Mas continuamos a pagar para tudo, até para a mixórdia (sem sentido). Cidade desprezada.

      Eliminar
  2. Os empresários de restauração do Centro Histórico continuam a sujar as ruas com o transporte de lixos para o contentor.

    ResponderEliminar
  3. Falta de policiamento no Centro Histórico,o vandalismo continua.Papeleiras,sinais de transito,bancos de jardim e paredes vandalizadas.

    ResponderEliminar
  4. A policia em Évora só MULTA.

    ResponderEliminar
  5. Se estão à espera que a polícia venha agir em casos de vandalismo, furtos ou outro tipo de criminalidade mais dura, bem podem esperar sentados. E acreditem que sei do que falo. E nem pensem culpar os coitados polícias de giro, que esses, coitados, sentam tanta revolta como vocês. A culpa deve ser apontada sim, às chefias, que com falinhas mansas, lá vão deixando o alerta a quem anda na rua em patrulha, para não levantar ondas. Mais vale deixar o ladrão levar a mercadoria, e depois abrir um inquérito, do que arriscar a prendê-lo em flagrante, e depois ainda levar com os noticiários todos em cima porque a detenção foi com recurso a violência desnecessária. Os agentes estão de mãos atadas, e bocas amordaçadas...

    ResponderEliminar
  6. A julgar pela pouca vergonha vejo no estacionamento no CH, onde vale tudo menos tirar olhos, acho que multa muito pouco.

    ResponderEliminar
  7. para não ficar desertico, deve ser incentivada a abertura de estabelecimentos de restauração e bebidas, bares, tabacarias com outras prestações de serviços (jogos, etc)e lojas diferenciadas que se aguentem a concorrencia do CC

    ResponderEliminar
  8. A atenção da CME

    Até quando vai permitir a poluição visual?

    A publicidade comercial(principalmente a que respeita a Tauromaquia) é uma vergonha ,muros ,entradas do Centro Histórico estão inundados de propaganda .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda ninguém lhe disse que, segundo lei de governo Passos Coelho, as câmaras deixaram de licenciar a Publicidade?
      As câmaras apenas licenciam os suportes da publicidade (quando existam) ou quando a Publicidade ocupar espaço publico. Fora disso, reina o liberalismo do "laisser faire, laisser passer".

      Eliminar
    2. E da publicidade partidária não falas?
      Dessa porcaria de cartazes das Esquerdas, PS, PCP/Verdes e BE que deixam ficar até apodrecerem.
      Malandragem!

      Eliminar
  9. No cruzamento da São João de Deus/Germano Vigal,a propoganda da Tauromaquia inunda as paredes.

    Os restos de cartazes no chão espalham-se pelos passeios.

    A cãmara devia de atuar, multando as empresas de tauromaquia que colocam publicidade ilegal e sujam a Cidade.

    ResponderEliminar
  10. Junto à CGD continua a brotar água. Só que agora vai para a sarjeta.

    ResponderEliminar
  11. 14:20,meu caro mas a cãmara tem poderes para multar as empresas de tauromaquia que sujam as paredes de edifícios públicos e privados.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com base em que lei, pode a câmara multar as empresas de tauromaquia que sujam as paredes?

      Eliminar
  12. A policia está de mãos atadas?

    Os Sindicatos de Policia tem o dever de denunciar junto da tutela a mediocridade das chefias.

    ResponderEliminar
  13. As empresas de Tauromaquia não podem continuar a Sujar a Cidade.Em qualquer parede colocam cartazes,utilizam as estruturas (mupis) públicas ,é altura de dizer Basta a propaganda de Touradas nas ruas de Évora.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E a propaganda partidária?

      Eliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.