sexta-feira, 4 de março de 2016

Assembleia Municipal de Évora dá "luz verde" a proposta da Câmara para "saneamento financeiro"


A Assembleia Municipal de Évora aprovou, na sua sessão de 29 de Fevereiro, o Estudo fundamentado da situação do Município e o Plano de Saneamento Financeiro, assim como a Contratação de empréstimo para saneamento financeiro/Relatório de avaliação das propostas. Ambos os pontos foram aprovados com 30 votos a favor (CDU, PS e BE) e três abstenções (PSD).
A autorização prévia para compromissos plurianuais, no ano de 2016, no âmbito da Lei dos Compromissos e dos Pagamentos em Atraso foi aprovada por unanimidade, o mesmo sucedendo ao ponto acerca da Dissolução da empresa municipal Évora Viva, S. R. U. – Encerramento da liquidação.
Foi ainda tomado conhecimento do relatório de auditoria nº1/2016 – 1ª s./Arf. – Auditoria ao Município de Évora, levada a cabo pelo Tribunal de Contas e prestada informação, pelo Presidente da Câmara, acerca da atividade do Município, bem como da situação financeira do mesmo.
O Presidente do Município, Carlos Pinto de Sá, destacou as comemorações do centenário do escritor Vergílio Ferreira, a assinatura da Carta de Compromisso para a criação da Casa/Atelier João Cutileiro e a preocupação camarária em relação ao Eixo Ferroviário Sines/Badajoz. Informou ainda sobre a reunião com o Ministro e o Secretário de Estado da Saúde acerca do Hospital Central de Évora e sobre o parecer do Conselho Geral da Associação Nacional de Municípios Portugueses relativo à proposta de Orçamento de Estado.
De salientar ainda a aprovação por unanimidade de duas moções propostas pelo Grupo Municipal da CDU, a primeira referente ao Eixo Ferroviário Sines-Évora-Badajoz e a segunda defendendo a construção do novo Hospital Central Público de Évora.
Na primeira moção, a Assembleia afirma a importância de se garantir a construção da ligação ferroviária de mercadorias Sines-Évora-Badajoz; exige que se encontre uma solução para o troço junto à cidade de Évora que seja compatível com a harmonia do espaço urbano e com a garantia da qualidade de vida de quem vive e trabalha naquela zona, o que significa recusar o traçado proposto pelos serviços técnicos da Infraestruturas de Portugal, uma vez que os constrangimentos e impactos negativos para a população são significativos; e apoiar as diligências já aprovadas pela Câmara Municipal, nomeadamente, reuniões solicitadas à empresa e ao Governo.
Na segunda moção, a Assembleia toma posição no sentido de exigir que se garantam as condições para o arranque da construção do novo Hospital Central de Évora, salvaguardando o modelo integralmente público, para a sua construção e gestão.
Foi também aprovado por unanimidade um voto de congratulação sobre a oferta de espólio à cidade feita pelo escultor João Cutileiro, com vista à criação de uma casa/atelier sobre a sua obra, proposto por Bernardino Páscoa (PS). 
Mereceu também aprovação o requerimento do Bloco de Esquerda para inscrição de ponto sobre a petição “Fim do Circo com Animais em Évora” na Ordem de Trabalhos da próxima Assembleia Municipal. (informação municipal)

7 comentários:

  1. Atenção da CME

    a rotunda do cruzeiro foi mal concebida,os peões tem dificuldade onde atravessar,esta semana uma idosa foi alvo de aparatosa queda que por milagre não acabou em tragédia.

    Urge requalicar todo aquele espaço,para segurança de Todos.

    ResponderEliminar
  2. Urge requalificar algumas passadeiras,muitas delas são propicias a acidentes.

    ResponderEliminar
  3. A atenção da CME

    Os plátanos da Av.São João de Deus devem ser podados,basta um pouco mais de vento para caírem uma quantidade significativa de pernadas,podem causar acidentes pessoais e danos nos veículos.

    ResponderEliminar
  4. Muitos foram os Eborenses que junto do anterior executivo pediram para que este junto do governo de Sócrates tivesse uma posição firme em relação ao traçado do eixo ferroviário,que não viesse a colidir com a zona urbana,infelizmente nada fizeram,esta foi mais uma das muitas decisões erradas do anterior executivo com custos bastante elevados para o concelho.

    ResponderEliminar
  5. Em relação ao Hospital o anterior executivo e o governo de Sócrates decidiram a sua construção perto do aterro sanitário.Autêntico erro se chegar a ser construído,pessoal que trabalha no hospital e doentes tem que andar de máscara.

    ResponderEliminar
  6. O fim do circo com animais é sem dúvida uma grande conquista do BE. Era mesmo o que mais cá faltava. O circo.

    Mas entretanto desvendou-se o mistério, porque razão o BANIF demorou tanto tempo a ser suportado (1) pelo governo do PSD/CDS, (2) pelos empréstimos de uma empresa de agiotas, e (3) finalmente ir à falência, imediatamente após a tomada de posse do PS coligado com a esquerda.
    É que, caros cidadãos que votam no PSD/CDS, a Ministra das Finanças foi agora contratada pela mesma empresa de agiotas!

    São 3 mil milhões, mais o que há de aparecer com o passar do tempo, a ser pagos por todos nós que trabalhamos e pagamos impostos.

    Qual será o melhor atributo para esta filiada no PSD?

    1

    la·drão / la.dra
    (latim latro, -onis, soldado mercenário/a, ladrão, caçador/a)
    adjectivo e substantivo
    1. Que ou quem rouba ou furta. = GATUNO, ROUBADOR
    2. Que ou quem revela desonestidade ou procede de má-fé.
    3. Agiota, usurário.
    4. Que ou o que se aproveita da desgraça dos outros.


    2
    pros·ti·tu·ta
    (latim prostituta, -ae)
    substantivo feminino
    Mulher que obtém lucro através da oferta de serviços sexuais; mulher que exerce a prostituição. = PEGA, MERETRIZ, RAMEIRA

    ResponderEliminar
  7. Os eborenses não sabem votar.
    Depois lixam-se.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.