quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Tudo parece do avesso

Eleito à primeira volta o candidato que nos foi imposto pelos patrões da comunicação social dominante, a luta diária dos comentadores voltou-se para a demonstração de que não é possível um país soberano aprovar um orçamento livre da chantagem da comissão europeia.
Bem sei que este não é o governo da esquerda. Também sei que este não é o orçamento da esquerda. Bem sei que o governo é do PS e que o orçamento é do governo do PS, mas ainda assim não posso deixar de me espantar com a atitude da maioria dos comentadores que alinham invariavelmente com a visão mais seguidista das teorias da inevitabilidade austeritária.
Tudo estava mal na proposta de orçamento. A comissão europeia iria recusar a proposta de orçamento e cada Miguel de Vasconcelos de serviço fez questão de ir envenenar a potência ocupante com as suas profecias da desgraça proferidas por um qualquer desgraçado.
Afinal a coisa não correu tão bem para os que anunciaram o dilúvio divino sobre a soberania nacional e o orçamento parece ter sido tolerado pelos guardiães das portas do paraíso neo liberal.
Para que tal acontecesse o governo teve de o piorar, de o tornar aqui e ali incongruente, de recuar nalgumas propostas socialmente mais justas e de avançar com incompreensíveis cedências à chantagem dos euroburocratas a mando da visão mais reaccionária do conceito de integração europeia.
Todo este processo vem lembrar aos mais distraídos que o caminho da libertação passa por equacionar a nossa presença nesta União Europeia que faz da integração uma espécie de colonização dos tempos modernos, umas vezes simpática outra vezes de rosto fechado,
Não sabemos o que vai acontecer no debate sobre o orçamento na Assembleia e se o governo irá aceitar propostas que tenderão a melhorá-lo ainda que constituam um desafio a uma União Europeia que aposta tudo no reforço da austeridade tendo como alvo os rendimentos do trabalho.
Mas uma coisa é certa. Os comentadores continuarão a fustigar todas as opções que não se enquadrem na visão tosca e alinhada pelas perspectivas de um governo que já não é e continuarão a criar a artificialidade com que pretendem convencer os mais incautos de que piorou… o que se pretende melhorar.
E tudo isto por causa de um governo do PS com um orçamento de um governo do PS. Imagine-se o que seria se se tratasse de um governo de esquerda, com uma política patriótica e de esquerda e um orçamento de ruptura com os ditames dos donos europeus disto tudo.
Veremos que tempos se seguem a estes tempos estranhos. Uma coisa é certa, podem torcer os números, inventar propostas e contrapropostas e até espalhar o veneno da intriga palaciana, que dificilmente conseguirão matar a centelha de esperança que nasceu da derrota que sofreram em 4 de Outubro.
Assim todos cumpram os compromissos assumidos.

Eduardo Luciano (crónica na radio diana)

23 comentários:

  1. A atenção da CME e PSP.

    o vandalismo continua,contentores do lixo vandalizados,paredes e montras pintadas,sinais arrancados,papeleiras partidas e lixo espalhado.

    Urge tomar medidas.

    ResponderEliminar
  2. O mercado mensal no rossio é a maior das vergonhas para uma Cidade Património Mundial,o cenário repete-se mensalmente o rossio e ruas tornam-se numa Lixeira.

    Até quando ?

    ResponderEliminar
  3. O vereador viajante que acabou com o serviço de fiscalização,os problemas ficam amontoados na sua mesa enquanto o mesmo anda em turismo a conta do contribuinte,ainda queria ser presidente havia de ser giro!

    ResponderEliminar
  4. Há muito que não se via os juros de Portugal subirem mais de 70 pontos base (0,7 pontos percentuais) em apenas um dia. E ainda há mais tempo não se via as taxas aumentarem, proporcionalmente, de uma forma tão brusca quanto a dos últimos dias – de 2,9% para 4,5% em uma semana. Com o BCE a comprar dívida pública da zona euro, de forma intensa, nos mercados poucos achariam possível que a dívida portuguesa pudesse registar tamanha volatilidade, nesta altura do campeonato. Mas é precisamente o receio de que o BCE tenha de excluir Portugal do seu programa de compra de dívida – caso se perca o rating da DBRS – que está a recolocar Portugal no olho do furacão.
    A geringonça esta em pleno funcionamento de destruição esquerdista,este menino cronicas devia ficar por o Porto onde anda em turismo para nos poupar o cérebro!

    ResponderEliminar
  5. O caminho da libertação que o Sr Eduardo Luciano quer é o caminho da ditadura do PCP sobre os portugueses.
    Bem pode o Sr Eduardo Luciano alimentar o seu devaneio, mas a sociedade humana já provou desse veneno e não quer mais. Nem os militantes do PCP querem essa ditadura.
    Nem os portugueses em geral querem sequer a democradura que lhes foi imposta pelo Sr António Costa.
    Trate-se Sr Eduardo!

    ResponderEliminar
  6. ""Assim todos cumpram os compromissos assumidos" a começar pela CDU na CÂMARA!Presidente e os resto dos vereadores da CDU,mas ´há um problema e que não tem espelho e são os primeiros a faltar aos compromissos. Isto é um facto , não fizeram nada em dois anos e meio e algum compromisso deviam ter no programa ou não?

    ResponderEliminar
  7. É é Sr Eduardo. É isso mesmo. Para si o Mundo está do avesso. Só vosselência é que está no direito.
    Não tem o Sr capacidade de discernimento para perceber que vai em contramão.
    O problema é seu Sr Eduardo. Viva com ele porque foi essa a escolha miserável que fez na sua vida.

    ResponderEliminar
  8. ...e foi esta gente que amarrou a cidade de Evora ideologicamente a um missal do séc XIX. Felizmente posso pagar o gasóleo (embora eles queiram que eu viaje de carrinho rolamentos) e ir amanhã até Lisboa às compras e ao cinema.

    ResponderEliminar
  9. Alerto autarquia para a impossibilidade de atravessar a rua do rochedo vindo da rua Contemplação devido a uma barraca 1 monte de lixo 1 viatura abandonada e um espaço de fogueiras que ocupa toda a via de circulação.Pergunto onde esta o serviço de fiscalização vereador Eduardo Luciano e PSP??
    É uma das varias reclamações que andam publicadas no portal a minha rua e outras que estão em cima da sua mesa para despacho,eu como cidadão começo a perder adjetivos para qualificar o vereador e o presidente!

    ResponderEliminar
  10. São curiosos estes "democratas" como o senhor Luciano e companheiros de partido: quando o PCP perde é culpa da comunicação social e mais disto e daquilo. Quando o PCP ganha, como foi o caso da Câmara de Évora mas últimas autárquicas, os louros são do partido e do elevado discernimento dos votantes. Ora bolas para estes democratas de meia tigela.

    ResponderEliminar
  11. Mais uma noite de bebedeiras no Colégio do Espirito Santo(Universidade),os resultados são vandalismo,via rápida cheia de lixo(copos de plástico),sinais partidos.........
    Até quando ?

    responsáveis:reitoria da UE e PSP.

    ResponderEliminar
  12. Os cães ladram, ladram, ladram, só para ladrar, só para marcarem o território.
    Coitaditos.

    ResponderEliminar
  13. O registo das facturas elegíveis para a devolução do imposto.
    Há milhões de portugueses que não têm computador, nem internet, nem têm que ter.
    Há milhões de portugueses que vão ser roubados à descarada.
    Mais uma medida congeminada pelo governo do Passos/Portas, mais uma prepotência da extrema direita, mais um assalto aos cidadãos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não seja PALERMA, sim, é verdade que deveremos verificar se as facturas estão lançadas, mas em principio 99% delas estão bem, logo mesmo que as pessoas não tenham acesso à Internet, continuam a beneficiar nos impostos (apenas algumas pouca situações são necessárias rectificar) caso de facturas de saúde com/sem receita. O que é preciso é as pessoas quando vão ao supermercado, à farmácia, etc, pedir a sua factura com o número de contribuinte. Se não o fizerem, estão a contribuir para a economia paralela, que representa, infelizmente, cerca de 20% da nossa economia. E repare que não estou a defender o des-governo PaF.
      Du Campo

      Eliminar
    2. A austeridade do Governo PaF não prestava.
      A da geringonça já é boa.
      És mesmo do campo, apesar de chupares do Estado.

      Eliminar
    3. "em principio 99% delas estão bem": se está tudo bem (?), então para que serve a validação de facturas?
      "mesmo que as pessoas não tenham acesso à Internet"... "apenas algumas poucas situações são necessárias rectificar": se, como se reconhece, os cidadãos sem internet não podem rectificar as suas facturas, e são impedidos de beneficiar da devolução de impostos, será que há igualdade de direitos?
      Os cidadãos sem internet, ou seja, os cidadãos mais idosos, os que vivem no interior, os mais desprotegidos, são de facto cidadãos de segunda.
      Chamam-lhe simplex.
      Isto são governos de selvagens.
      Aos banqueiros e aos poderosos, oferecem-lhes a fuga aos impostos. Aos mais pobres, tudo lhes é roubado.

      Du Palerma

      Eliminar
    4. Não há validação de facturas, apenas temos de verificar isso sim, se os comerciantes as declararam à AT. Sabe que o Continente, levou alguns meses a efectuar esse lançamento?? deve ser por não ter dinheiro para pagar a contabilistas.... Eu não disse que não há algumas pessoas com dificuldades, mas essas tem de se deslocar às finanças, não no último de Fevereiro, mas sim TODOS os meses, ou então ir à junta de Freguesia, que deve ser para isso que tb servem.
      Du Campo

      Eliminar
    5. Ou seja, as juntas de freguesia também servem para certificar as facturas?
      Ou seja, quem vive em S.Miguel, ou Vendinha, tem que ir todos os meses, à sede de freguesia, ou às finanças de Évora?
      Ou seja, os cidadãos é que têm que fiscalizar se os comerciantes declaram as vendas?
      Santa ignorância...

      Du Palerma

      Eliminar
  14. Venham as eleições estou farto dos comunistas e do seu trabalho miserável,até os camaradas já dão porrada com fartura nunca visto por Évora!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que se façam eleições, até que a direita consiga ganhar.
      É esta a "democracia" defendida pelos fascistas.

      Eliminar
    2. E faz + sentido ser como as eleições em que Os partidos da esquerda moralista não ganham e governam?

      Eliminar
    3. Se fosse por aí não era mais que seguir o exemplo das esquerdas na IVG e referendar até se conseguir ganhar. Mas não se deve descer a esse nível

      Eliminar
  15. 17.15 já viu o amontoado de barracas que proliferam por a nossa cidade!!!?????Quando o partido socialista abandonou autarquia estava tudo limpo e o serviço de fiscalização estava activo ou não permitir acampamentos no espaço publico,chegou o pcp tem sido um chuva de tendas com tiros pessoas detidas por trafico de estupefaciente atropelamentos com tentativa de homicídio etc.. tem havido de tudo o ponto da PSP e a GNR estarem fartas de falar com o presidente Pinto de Sá e de la é só conversa mole e fraca enquanto o problema agrava e aumenta.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.