sábado, 27 de fevereiro de 2016

TEMOS QUE PENSAR DE MANEIRA DIFERENTE.


ATENÇÃO ÉVORA. Estou muito preocupado com a Teresa Branquinho, a Teresa é a melhor – única – tecelã a trabalhar com teares mecânicos manuais em toda a região do Alentejo Central. Até ao fim deste mês, daqui a três dias, tem que retirar os seus teares – alguns de dimensões bastante grandes – da Mitra, um espaço cedido pela Universidade de Évora mas que terminado o contrato que tinha, apoiado pela UNESCO, não tem dinheiro para arrendar pelo bolso dela. Temos um governo de esquerda, temos uma Câmara Municipal de Évora de esquerda, uma Junta de Freguesia da Malagueira de esquerda. TEMOS QUE PENSAR DE MANEIRA DIFERENTE. Temos que nos entreajudar uns aos outros. Este problema extravasa até a questão de esquerda ou direita. TRATA-SE DE SALVAR UMA TRADIÇÃO CULTURAL MILENAR. Tudo é ecologicamente sustentável no trabalho da Teresa, desde a recolha da lã à sua lavagem, cardagem, coloração, tecelagem. Faz peças únicas e da tradição alentejana. Peço a todos que divulguem e aos que vivem em Évora que façam alguma coisa. Enquanto não há um Centro Cultural na Malagueira, onde ela tem a sua casa, que possa abrigar os teares e promover workshops para quem quiser aprender. Uma boa ideia para desempregados. Camaradas, amigos, irmãos. Isto diz respeito a nós todos. Porque não quotizar-nos todos e fazer uma colecta que permita à Junta de Freguesia da Malagueira transformar as casas emparedadas numa CASA DE CULTURA, eu serei o primeiro a contribuir – entretanto os teares podiam aguardar no espaço onde estão.

Mário Gomes (aqui)

5 comentários:

  1. É uma chatice pá, então a esquerda está no poleiro e não faz nada por esta senhora, que pelos jeitos sabe fazer umas coisitas com as lãs.
    É o Portugal no seu melhor, nada de investimentos privado, é o chupar no estado o mais possível e depois queixam-se que o estado não presta, não serve para nada.
    Olhe minha senhora, se as suas lãs são assim tão boas, e eu acredito que sim, então invista em si e crie uma empresa, e depois faça as suas malhas e venda-as, nem que seja à terça feira.
    Du Agris

    ResponderEliminar
  2. Tenho nojo de quem mandou e manda nesta cidade. V
    Há mais de 10 anos que não há cinema!!!! Nojo de quem amarrou ideologicamente a infeliz cidade de Evora.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podem sempre vir ao cinema a Beja, temos dois em que o valor vai de 3 a 5€. Com filmes dos mais recentes. Quanto aos teares da senhora, é mais difícil, mas se fosse por cá certamente que resolveriamos o problema.

      Eliminar
  3. Políticos de Esquerda, vão todos levar no cú.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.