segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

ESCULTOR JOÃO CUTILEIRO DOA ESPÓLIO A ÉVORA |


A cidade e a cultura alentejana ficam hoje mais ricas quando, na presença do Ministro da Cultura João Soares, o escultor e artista plástico João Cutileiro doar o seu espólio à cidade de Évora, mais concretamente à Direção Regional de Cultura do Alentejo, à Universidade de Évora e à Câmara Municipal.
João Cutileiro com 78 anos, nasceu em Lisboa, mas escolheu, em 1985, Évora e o Alentejo para viver e trabalhar. Évora é também a cidade onde está exposta a maior parte da sua obra.
Após ter estudado na Slade School of Art, em Londres, por indicação de Paula Rêgo, regressou a Portugal na década de 1960 e tornou-se num nome incontornável da estética da estatuária em Portugal com a sua forma inovadora e experimentalista de ver a arte. Recorrendo a temas como o “intimismo”, o “erotismo” e o “amor”, as obras do Mestre Cutileiro fazem parte de várias coleções públicas e privadas, quer em Portugal, quer no estrangeiro.
Este anúncio público da doação do seu espólio será o momento mais marcante da deslocação do ministro da Cultura, João Soares, esta segunda-feira ao Alentejo, onde visitará também, em Portalegre, a Manufatura e o Museu da Tapeçaria de Portalegre.

7 comentários:

  1. ... e agora quem fazem a isto!! ... se já nem para os teares têm espaço...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os teares foram doados a que entidade?

      Eliminar
  2. Não foram, mas ...

    ResponderEliminar
  3. es·pó·li·o
    (latim spolium, -ii, despojo de um animal, despojos de guerra, triunfo)
    substantivo masculino
    1. Conjunto de bens que ficam por morte de alguém.
    2. Conjunto de coisas tomadas ao inimigo durante uma guerra. = DESPOJOS
    3. O que resulta de roubo ou pilhagem. = ESPOLIAÇÃO
    4. Conjunto de bens deixados por alguém que morre. = HERANÇA


    Que consta do espólio?
    Quem faz a partilha?
    Quando é que o mestre tenciona deixar-nos?

    ResponderEliminar
  4. O João Cutileiro doou o espolio e a sua quinta para ai se fazer um museu e uma escola ligada à escultura.
    Lurdes

    ResponderEliminar
  5. Já agora convém esclarecer que João Cutileiro não doou nada a Évora. Doou ao Estado Português com a obrigação deste estabelecer um protocolo entre a Dir Reg da Cultura do Alentejo em conjunto com a Câmara e a Universidade de Évora para gerirem o espaço e o espólio.
    Portanto, de facto fica tudo em Évora e para Évora, mas o dono é o Estado.

    ResponderEliminar
  6. Mais património para privatizar.
    Se fosse para a câmara havia de ser alienado ao desbarato por um da laia do Zé Ernesto.
    Se é para o Estado,então é para ser privatizado por um da laia do Passos Coelho.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.