quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Aviso de concurso público para a venda do terreno do centro comercial foi hoje publicado



Os interessados na compra do terreno, junto às Portas d'Avis, em Évora, para a construção de um centro comercial têm 90 dias para apresentarem as suas propostas.
O aviso do concurso público (apesar de ter a data de 10/2/2016)  foi publicado hoje na página da Internet da câmara e em dois jornais.
Para alienação, em propriedade plena, o terreno tem um valor base de 4,4 milhões de euros.
O terreno municipal tem uma área de 28.500 metros quadrados.



20 comentários:

  1. Servidão administrativa referente o jardim de infância???

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem estiver interessado, o Show dos " Marretas ", na antiga garagem da Rodoviária, em frente ao jardim público.

      Eliminar
  2. Lá está o Cavaco Silva a mastigar um disparate qualquer.
    O fascista nunca mais se vai embora.
    Queremos mentiras novas.
    Queremos um fascista novo.

    ResponderEliminar
  3. Esta de deixar o JI no meio do espaço aonde se vai construir o shopping, ainda que salvaguardado o acesso directo não lembra nem ao diabo,. Sr. Presidente , Sr Luciano, demitam-se mas antes demitam os técnicos incompetentes que fazem uma proposta destas. O comprador tinha que demolir e construir o JI em terreno a indicar pela câmara a custos seus ( comprador) Dr.SÁ vá para Montemor ou volte a dar umas aulitas, ta visto que não nasceu para Presidente da Câmara de Évora, o Sr. tem mesmo aptidão é para a propaganda.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando não sabe do que se fala, como é o teu caso, mais vale ficar calado...

      Eliminar
  4. Afinal, são apenas 2,8 hectares e não 9,8 hectares como andaram por aqui a papaguear e a mostrar imagens viciadas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. os terrenos da camara...e o resto não conta?

      Eliminar
    2. Qual resto?
      O que a câmara se propõe vender são 2,8 hectares. Tudo o que se disse e escreveu para além disso (e houve quem falasse em 9.8 ha), foram meras atoardas.

      Eliminar
    3. Querem que a câmara venda os terrenos municipais + os privados?

      Uma coisa são os terrenos que no plano de urbanização estão destinados ao uso "centro comercial". Outra coisa são os terrenos que pertencem ao município.

      Viciados são os ignorantes que ladram por ladrar.

      Eliminar
  5. A creche vai ficar no ar. Por baixo vão escavar o estacionamento. Acabam-se logo o salitre e as humidades na creche.
    É do camano!
    Uma obra revolucionária!
    À la Jirolmo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como escrevi atrás, quando não se sabe do que se fala, mais vale ficar calado... para não escrever asneiras.

      Eliminar
  6. A maquete projeto do forum ocupa o dobro da zona em venda,algo não bate certo,gato escondido com o rabo de fora!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que não bate certo são as asneiras que aqui deixaste.
      A não ser que o "dobro" tenha outro significado.

      Mas também não admira pois já já por aqui se leu que os 2,8 hectares que iam ser postos à venda eram 28 hectares.

      Eliminar
  7. Aos "inteligentes" que por aqui se entretêm a debitar bocas apenas com base numa imagem, sugiro que leem o caderno de encargos.
    E, se não tiverem capacidade para o compreender e interpretar, peçam ajuda a quem sabe. Desse modo contribuiriam grandemente para elevar o nível da discussão. Assim, limitam-se a fazer figura de parolos.

    ResponderEliminar
  8. 30 mil metros quadrados fazem parte do projeto de construção,aqui aparecem 28.500 a venda algo não bate certo!?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ó inteligente, quem te disse a ti que "30 mil metros quadrados fazem parte do projeto de construção" se ainda não há projecto de construção nenhum?

      Mas ainda que fosse verdade, se tiver o futuro edifício tiver 2 pisos de 15000 m2 (no total 15000x2=30000) não há razão para que 15 mil não caibam em 28 mil, pois não?.

      Eliminar
  9. Assim se vê o estado do país. É só Tónis

    ResponderEliminar
  10. tanto engenheiro que há por aqui. e arquitectos. e gente que consegue planificar um trabalho. e gente prá frentexx.. e que bloco é este... inovadores do século XIX.. "quero manter isto uma aldeia para poder dizer aos meus amigos que vivo numa cidade pacata, perdida no tempo". é por estas e outras que cá em évora, não voto no be!

    ResponderEliminar
  11. Já se está a discutir a arquitetura quando o que interessa é a implantação. A zona para o shoping é a zona envolvente do centro histórico mais frágil e aquela que permite a contemplação da muralha e aqueduto. Centro comercial sim, mas não a qualquer preço!

    ResponderEliminar
  12. sobre a cadeia LIDL:
    "No próximo ano, está prevista a abertura da nossa loja de Évora", a qual vai "nascer" no centro comercial Évora Fórum, pelo que o seu início de funcionamento "está dependente" da conclusão da construção daquele espaço comercial.


    No Alentejo, a primeira unidade do Lidl foi aberta em Grândola, há 18 anos. Hoje, a cadeia de distribuição alimentar de origem alemã já possui 18 lojas na região, onde "a procura está em linha com o resto do País".


    Trata-se de "uma região do País em desenvolvimento", na qual "a proposta do Lidl, de qualidade ao melhor preço, se enquadra e responde às necessidades identificadas junto dos consumidores".


    O administrador-delegado lembrou que, "só este ano", o grupo alemão assumiu um investimento para Portugal que totaliza os 45 milhões de euros, objectivo que deverá ser atingido.


    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.