segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Ramos Horta em conferência na Universidade de Évora com moderação de Adelino Gomes


José Ramos Horta, Prémio Nobel da Paz (1996), vai estar na Universidade de Évora (UE) no dia 20 de janeiro para falar sobre “Cooperação: Liberdade, Justiça e Paz no Mundo”, uma conferência que decorre no âmbito de um ciclo dedicado ao tema “Desenvolvimento, Direitos Humanos e Segurança”.
A 1.ª conferência, proferida pelo ex-Presidente da República Timorense, tem lugar no auditório da UE, a partir das 09h00, cabendo a moderação ao jornalista Adelino Gomes.
Este ciclo de conferências, organizado pelo Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais – CICS.NOVA.UÉvora, que comemora agora um ano de existência, é motivado pelo facto de 2016 ser o Ano Internacional do Entendimento Global.
Após a conferência inaugural segue-se uma Mesa Redonda, moderada por Maria da Saudade Baltazar, docente da Universidade de Évora, sobre “Agenda 2030 – Objetivos do Desenvolvimento Sustentável: novos e emergentes”, que conta com as seguintes apresentações de investigadores do CICS.NOVA.UÉvora:
· Desigualdades Sociais e Pobreza – Fernando Diogo | Universidade dos Açores;
· Igualdade de Género – Manuel Lisboa | FCSH-Universidade Nova de Lisboa;
· Cidades e Comunidades Sustentáveis – Teresa Mora | Universidade do Minho;
· Trabalho Digno, Crescimento Económico e Migrações – José C. Marques | Instituto Politécnico de Leiria.
O Ano Internacional do Entendimento Global (IYGU) é uma iniciativa conjunta do Conselho Internacional de Ciências Naturais (ICSU), do Conselho Internacional das Ciências Sociais (ISSC) e do Conselho Internacional de Filosofia e Ciências Humanas (CIPSH), que visa promover a integração dos conhecimentos científicos nos estilos de vida, que se pretende que sejam mais sustentáveis, e num reforço das prioridades estabelecidas pela ONU.
A participação na conferência é gratuita, sendo contudo necessário proceder a inscrição.

3 comentários:

  1. Universidade

    Foi você que pediu um concurso para técnico superior?

    não é para Todos(apenas afilhado(a)).

    ResponderEliminar
  2. Concursos e avaliações a grande Farsa,uma maneira de promover os afilhados na função pública.

    ResponderEliminar
  3. O concurso para Tecnico Superior não passa de uma FARSA,toda a instituição sabe que já foi ganho por uma senhora próxima do poder vigente .

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.