segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Irmãs Franciscanas abandonam Santa Casa da Misericórdia de Évora


COMUNICADO DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE ÉVORA
Com a participação da Congregação das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição, e com base na sua comunicação oral e escrita, a Santa Casa da Misericórdia de Évora lamenta com surpresa, e após insistências desta para alteração da sua posição, informar os Irmãos da Misericórdia e a população de Évora em geral, da saída por sua iniciativa, das Irmãs Franciscanas que têm estado ao serviço do Lar Ramalho Barahona em Évora.
Este fato deve-se, segundo a própria Congregação,... "à falta de Irmãs que possam assumir a missão associada à presença das Irmãs neste Lar. Nos tempos que correm, isso é praticamente impossível, devido à dimensão do número de Irmãs em atividade, quer por falta de vocações quer por existirem cada vez mais Irmãs limitadas pela idade ou pela doença."
A Santa Casa da Misericórdia de Évora, apreciada a situação pela sua Mesa Administrativa, lamenta e não se conforma, em ser confrontada com esta realidade, fazendo votos para que a mesma evolua em sentido mais favorável para a Igreja e para a Sociedade Portuguesa, reconhecendo a obra ímpar de enorme riqueza humana e cristã que as Irmãs têm despenhado desde a sua abertura, até ao momento, no Lar Ramalho Barahona às quais agradecerá sempre.
A Congregação das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição reafirmou... "agradecer, muito reconhecida, a colaboração prestada a todas e a cada uma das Irmãs que passaram pela Fraternidade, durante os muitos anos de serviço conjunto, em favor dos idosos."
Deus nos acompanhe e Nossa Senhora das Misericórdias nos proteja.

Provedor,
Francisco Lopes Figueira.

9 comentários:

  1. "Fato"?
    E que tal o Provedor da "Santa" Casa começar por aprender português?

    ResponderEliminar
  2. " Isto está a piorar...Deus nos acompanhe". Vá lá sr. Provedor deixe as irmãs descansarem e contrate pessoal para cuidar dos idosos do lar Barahona..."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Évora deixou de acarinhar as “consagrações femininas”! Foram as do Convento do Calvário ; as Salesianas da travessa Santo André, as do Convento Novo, as da Casa Sacerdotal, que foi extinta, não oferecendo, a Diocese aos sacerdotes doentes e idosos , um espaço com a dignidade merecida! Os seminaristas instalados na Quinta de Santo António, não podiam residir no Seminário Maior, onde tem bastante espaço? Com falta de vocações, porque são orientadas as que surgem para ordens de clausura?

      Eliminar
  3. Com a gestão por parte dos Chineses é obvio que se vão embora,a falência do BES,as brigas entre irmãos que levaram a demissão da mesa da Santa Casa,tudo isto demonstra que as misericórdias foram absorvidas pelos Abutres,como diz Francisco esta economia Mata.

    ResponderEliminar
  4. Ainda ninguém se lembrou, será que a câmara é que tem obrigação de suportar as irmãs, e construir um centro comercial e um cinema?

    A Misericórdia não tinha entregue o negócio ao Grupo Espírito Santo?
    Anda a Santíssima Trindade a contas com a justiça, e as irmãs é que pagam.

    ResponderEliminar
  5. A Maria de Belém, santa da casa, e o Santana Lopes, dono do casino, é que deviam resolver o problema.

    ResponderEliminar
  6. Contratem pessoal....é facil. Afinal recebem e em alguns casos bem.

    ResponderEliminar
  7. O que se passa na Santa Casa é uma "guerra" entre familias,os Cordovis,Torres e outros.

    ResponderEliminar
  8. Pura hipocrisia do Sr. Provedor.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.