terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Deputado do PSD Costa da Silva contesta o "saneamento" de Palma Rita de delegado regional do IEFP

Repudio o saneamento selectivo e arbitrário do Delegado Regional do IEFP do Alentejo, Dr. José Palma Rita. Considero, também, esta prática moralmente condenável e que atinge a dignidade do profissional em questão.
Os Delegados Regionais do IEFP foram chamados ao Secretário de Estado do Emprego, que os confrontou com a notícia da exoneração das suas funções no final deste mês de dezembro de 2015, mas sem justificar devidamente as razões aos altos dirigentes abrangidos. Note-se que os Dirigentes em questão foram sujeitos a um processo de concurso público para exercerem as respectivas funções, através da CReSAP - Comissão de Recrutamento e Selecção para a Administração Pública. 
Note-se que a CReSAP é uma entidade independente que assegura com transparência, isenção, rigor e independência as funções de recrutamento e seleção de candidatos para cargos de direção superior da Administração Pública e avalia o mérito dos candidatos a gestores públicos.
Além disso não estaremos perante um dirigente designado em resultado de uma nomeação política, mas sim designado por concurso, em janeiro de 2015 por um período de 5 anos.
Por essas razões, repudio sem hesitação esta forma de tratamento, e manifesto a mais viva solidariedade para com o Delegado Regional do IEFP do Alentejo, Dr. José Palma Rita, pessoa que fez um trabalho notável em prol da Região nos últimos 4 anos. 
Reconhecido pelas diferentes instituições e empresas da região não merecia tal tratamento.
É assim que funciona este Governo do PS – Partido Socialista, apoiado pelos restantes partidos da esquerda, BE - Bloco de Esquerda e CDU – Coligação Democrática Unitária. Esta não foi a prática do anterior Governo da coligação PSD / CDS-PP, optando por opções transparentes, relevando a competência, promovendo a designação através de concursos públicos. 
Mais uma vez critico a maneira como o PS trata a administração pública, tornando-a um braço do partido.
Esperemos que este não seja mais um recuo provocado pelo Governo do PS.

António Costa da Silva

14 comentários:

  1. A nomeação do Palma Rita e de todos os outros, que a coligação nomeou foram nomeações politicas, não foram nomeações por mérito, os 5 delegados regionais do IEFP eram todos do PSD e do PP tal como 18 dos 19 Diretores da Segurança Social.
    A CRESAP era uma fantochada para atribuir às nomeações uma pretensa isenção, quem nomeava era o Governo que encomendava à CRESAP que um dos três nomes indicados por aquela comissão fosse o individuo do PSD ou do PP que eles queriam nomear, daí que num estudo publicado na comunicação social se tivesse verificado que mais de 90% dos dirigentes nomeados eram do PSD e do PP.
    O governo atual tem que alterar a lei, acabar com a CRESAP e decidir, que os cargos Regionais equivalentes a Diretor Geral e Sub-Diretor Geral devam ser de nomeação por período equivalente ao mandato de quem os nomeia, sem direito a qualquer indemnização, mesmo que o Governo não complete o seu mandato, quem aceita ser nomeado deverá fazê-lo correndo o risco de essa nomeação ser por um dia ou por 4 anos sem que isso lhe atribua 1 cêntimo de indemnização.
    O Governo anterior, com o pretexto da falsa isenção da CRESAP nomeou por 5 anos e alterou a lei para obrigar a que o estado tivesse que pagar indemnizações se fossem substituídos depois de um ano do exercício de funções. Foi só para encher os bolsos à boyada do PSD e PP.

    ResponderEliminar
  2. Mas qual concurso? Aquele em que escolhem 3 e depois o Governo escolhe 1 de entre os três? Isso não é um concurso... É brincar ao faz de conta dos concursos.....

    ResponderEliminar
  3. Esqueceram-se que em 2011 fizeram exatamente o mesmo...E que uma diretora de serviços foi saneada na véspera de Natal... São todos iguais. Vivem à conta do cartão do partido...

    ResponderEliminar
  4. Urge defender o Serviço Nacional de Saúde,é dever de Todos os Alentejanos exigirem a Demissão do Dr. Robalo.

    ResponderEliminar
  5. Ao das 11h46
    A CRESAP não tem isenção... Os concursos para Dirigentes superiores não devem existir e devem ser de nomeação política e durar enquanto durar um governo ...
    Ora aqui está a verdadeira reforma da administração só quem desconhece por completa o estatuto constitucional e o funcionamento da administração pública pode defender estas enormidades! E já agora acabem com todos os concursos porque inúteis e já agora acabe-se com a igualdade de acesso à administração e já agora deixem-nos fazer o que queremos porque os que estiveram antes também fizeram! Palavras para quê!

    ResponderEliminar
  6. Decisão justificada com a nova orientação do PS assente na promoção do emprego e no combate à precariedade o argumento não fala em cor politica ou capacidade dos demitidos,pura jogada para colocação de boys,vamos ter novamente uma senhora directora iefp que vinha de Reguengos de Monsaraz com motorista e gasóleo a conta do contribuinte que estourou milhares de euros em deslocações???O CRESAP foi criado com o apoio de todas as forças politicas e era visto como uma mudança no pula cadeiras de cartão partidário.

    ResponderEliminar
  7. Ao das 18.31
    pois era mas a realidade demonstrou o contrário, ou não concorda? Deixemos a hipocrisia para trás. Cargos como o de Delegado Regional do IEFP têm de ser de nomeação política pois não se pode ter um dirigente altamente politizado a exercer políticas sobre as quais não têm o seu apoio.Se fosse coerente ele próprio teria colocado o lugar à disposição. Não se escondam atrás de critérios técnicos para lugares que são puramente políticos.

    ResponderEliminar
  8. A CRESAP foi uma fantochada, já que após conclusão do tal concurso, esta (a CRESAP) apresentava ao Ministro da tutela três nomes, para que este pudesse escolher um. Coisa mais bizarra nunca foi vista, já que claro estava que um desses três nomes era portador de cartão do PSD ou do CDS, claro que toda a gente sabia qual seria a escolha do Ministro.
    Este esquema de concursos de brincadeira, nada mais foi do que atirar poeira para os olhos dos eleitores, pois toda a gente sabe que sempre assim foi e sempre assim será. Todos os governos assim procederam, pelo menos a nível de dirigentes de primeira linha, ou seja Directores e Subdirectores Gerais/Regionais, aliás até se compreende, pois seja qual for a área de actuação, um Ministro quer trabalhar com pessoas de sua confiança.
    Já alguém imaginou o que seria um Ministro mandar executar uma determinada politica e os seus dirigentes fazerem pura e simplesmente o seu contrário? Seria o mesmo que uma empresa contratar um director Geral, e este dar a informação à concorrência (o que infelizmente também acontece).
    Até poderíamos aceitar que estes dirigentes fossem escolhidos através de concursos, mas para isso teríamos de fazer a tal reforma da administração pública que continua por fazer, para tal era necessário que os lugares de chefia fossem de carreira, em que um director Geral/Regional fosse totalmente apartidário e seguisse as orientações recebidas e executando-as sem hesitar e sem “bufar” aos partidos da oposição. Mas para isso, para além da tal reforma da administração teríamos que fazer a reforma das mentalidades, que como toda a gente sabe, é praticamente impossível de realizar.
    Finalmente vai o meu repúdio pelo “comunicado” do senhor Deputado do PSD Costa da Silva, já que a sua função como deputado eleito pelo povo é defender esse meu povo e não os boys do seu partido.
    Aliás com esta defesa, está mais que justificado o afastamento do senhor Palma Rita do lugar de chefia, pois vem demonstrar que o esquema da criação da CRESAP, nada mais é do que um esquema para manter no poder os Boys do PSD/CDS. Ainda por cima com duração de 5 anos, tempo superior à duração de um mandato governamental e com indemnização, coisa nunca vista na Administração Pública, pois toda a gente sabe que estes senhores quando terminam a sua comissão não vão para o desemprego (como acontece no sector privado), mas sim regressando ao seu lugar e categoria de origem, onde por vezes ganham praticamente o mesmo, pois normalmente estes senhores já se encontram no topo das suas carreiras.
    Boa mesmo era a Lei anterior, de Sócrates, em que todos os dirigentes caiam, logo que o governo caia e sem serem indemnizados, mas como toda a gente sabe esse tipo de Lei não serve os interesses da Boyada…

    ResponderEliminar
  9. Veremos quem vem para o IEFP. Se vier de fora temos pena...O ceia da Silva mora cá?
    Agora o deputado está armado em virgem? O que é que ele e a equipa dele fizeram na CCDR? Por acaso o Dieb, o Roberto que agora é presidente, que tinha sido adjunto do governador civil de Portalegre,e o outro do CDS que voltou para diretor de serviços, alguma vez foram nomeados pela competência? O deputado estava nos Fundos comunitários por alma de quem?
    E para que é que iam criar uma divisão mesmo à medida de uma certa militante partidária que tinha perdido o lugar de dirigente?

    ResponderEliminar
  10. Autentico lamaçal de podridão politica de engorda,depois queixam-se da merd... de pais que temos e da troika e outras misérias,o estado e os politicos são o cancro dos portugueses!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. pois se esse mesmo Estado não existisse tu morrerias de certeza de cancro. Mas como ele existe, talvez te possa tratar esse cancro e assim não morres tão depressa... Não coloquem no mesmo saco o Estado e os Políticos...

      Eliminar
    2. Tu sabes cada coisa!... E eu que pensava que quem me tratava do "cancro" eram os médicos e os hospitais, com o dinheiro dos impostos dos meus concidadãos, e vens tu agora dizer-me que é o Estado. Será que é ele também que faz crescer as couves nas hortas e só por ele existir é que as mulheres ficam grávidas? Que o sol nasce todos os dias por causa do Estado e se ele não existisse seria difícil que houvesse chuva no Inverno e calor no Verão? Ah, ganda Estado!

      Eliminar
    3. Só te posso chamar burro.... Por acaso sabes o que é o Estado?

      Eliminar
  11. Este senhor já não se lembra o que o PR fez ao seu colega de partido e delegado regional no tempo de Durão Barroso? Já não se lembra também o que fez à sua antecessora? Aos anteriores diretores de Centro? Não sabe da quantidade de amigos políticos que espalhou pelos serviços? Alas, mulher do Dieb,…até ao seu afilhado de casamento “rifas”. Tenham vergonha na cara e não se armem em virgens ofendidas.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.