domingo, 17 de janeiro de 2016

Centro comercial das portas de aviz: comunicado do Grupo Pro-Évora e resposta do presidente da Câmara

(Comunicado do Grupo Pro-Évora) Centro Comercial - Sobre o Caderno de Encargos
Clique na imagem para ler
*
(Comunicado da CME) Sobre o Comunicado do Grupo Pro-Évora relativo ao Empreendimento Comercial
Tendo tomado conhecimento do Comunicado do Grupo Pro-Évora, datado de 16/12/15, intitulado “Centro Comercial – Sobre o Caderno de Encargos”, somos a esclarecer:
1. No sentido de aprofundar o esclarecimento público sobre a questão da venda de terrenos municipais para a eventual construção de um Centro Comercial junto às Portas de Avis, o Presidente da Câmara participou, em 11/11/15, num debate público promovido pelo Grupo Pro-Évora, tendo saudado a iniciativa e o empenhamento do Grupo em discutir aquela matéria.
2. O Programa de Concurso e o Caderno de Encargos para o concurso público foram configurados, obviamente, no integral respeito pelo normativo legal em vigor e, nessa medida, acautelam e garantem as condições que, publicamente, o Presidente da Câmara defendeu e divulgou.
Sublinha-se que aquele concurso público define um processo de apresentação de propostas que se prolongará por 90 dias úteis, sendo as propostas objeto de esclarecimento e negociação. A decisão final recairá sobre a proposta que melhor responder às condições definidas pelo Município, admitindo-se a hipótese de não vender o terreno caso tais condições não tenham sido contempladas.
3. Na sessão de esclarecimento, o Presidente da Câmara dedicou a primeira parte da sua intervenção ao enquadramento e ao programa de revitalização do Centro Histórico, já em curso. Uma das principais componentes desse programa foi candidatada a financiamento do Alentejo 2020, no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano Sustentável. A seu tempo, e após a necessária negociação, a Câmara Municipal fará divulgação pública detalhada daquela candidatura.
O Presidente da CM Évora,
Carlos Pinto de Sá
17/12/2015

9 comentários:

  1. Li com muita atenção o comunicado do Sr Presidente da Camara.
    Não acrescenta nada que contrarie o que o grupo Pro Évora disse.
    Diria mais, nada do que diz, e é muito pouco, esclarece o que quer que seja e leva a que possamos ficar com dúvidas sobre a bondade da apreciação do Pro Évora.
    Acontece que não é só o Pro Évora a comparar o caderno de encargos com o que o Dr Pinto de Sá disse e a retirar as mesmas conclusões.
    Seria bom que o Sr Dr Pinto de Sá em vez de embrulhar o discurso no cumprimento das regras da Contratação Pública, viesse dizer aos munícipes de Évora de que forma é que o caderno de encargos garante o que anunciou.
    Maria Helena Figueiredo

    ResponderEliminar
  2. Por onde andava o ProÉvora e a Dr.a Figueiredo quando a Câmara ernestina encomendou (e julgo que pagou!) um projecto de 1 milhão de euros ao arquitecto Manuel Salgado, para construção de um centro Comercial nas portas de Avis?

    Por onde andava o ProÉvora e a Dr.a Figueiredo quando foi aprovada a revisão do PUE que contemplou a construção de um Centro Comercial nas portas de Avis, seguindo os parâmetros do projecto de Manuel Salgado?

    Estavam hibernados ou apenas distraídos?
    Agora, com o PUE aprovado, são sopas depois do almoço...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Bloco de Esquerda votou contra o PUE que permitiu a alteração do uso do solo.
      A CDU, por acaso também votou contra.
      O BE mantém a posição, quem a alterou foi a CDU que, por obra e graça sabe-se lá do quê, de opositor passou a defensor da construção do Centro Comercial nas Portas de Avis.
      Maria Helena Figueiredo

      Eliminar
    2. Votaram contra, mas o PUE foi aprovado. Enquanto não for alterado é de cumprimento obrigatório.

      PS: tivesse o BE e o ProÉvora feito na altura da aprovação do PUE, metade do barulho que agora andam a fazer e creio que a localização do CC não teria passado. Mas isso são estórias passadasque agora não convém recordar.

      Eliminar
    3. Então ainda não percebeu que a CDU é óptima a pregar quando está na oposição. Quando está no poder faz como os outros só que continua com uma presunção de "pureza" que até chega a ser tocante.

      Eliminar
    4. Tivesse a CDU mantido a coerência e o CC seria estória passada
      MHF

      Eliminar
    5. Tivesse a CDU mantido a coerência e o CC seria estória passada

      Eliminar
    6. Defende então a Dr.a Helena que o Plano de Urbanização de Évora e as propostas que ele contém, devem ser letra morta sem outro efeito que não seja enganar ou iludir os eborenses?

      Se é isso que defende, estamos esclarecidos. É que, se não for isso ou simples falta de jeito, não se percebe bem o que defende.

      Eliminar
  3. Bento Anastácio20 janeiro, 2016 12:54

    não me parece que uma decisão deste calibre possa ser tomada sem a participação dos cidadãos.Vamos exigir um referendo
    https://www.facebook.com/TENHO-Opini%C3%A3o-989206677788062/?ref=hl

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.