domingo, 20 de dezembro de 2015

Évora: porque votei contra a venda dos terrenos municipais para a construção do Centro Comercial


Lurdes Nobre é deputada municipal da CDU em Évora. Independente, na Assembleia Municipal de sexta-feira votou contra a posição da sua bancada opondo-se à venda dos terrenos municipais para construção de um novo Centro Comercial na porta de Avis. Explica agora as razões do seu voto.

Ontem na Assembleia Municipal foram a votação duas propostas que me são muito caras.
A cidade livre do Tratado Transatlântico, TTIP (Transatlantic Trade and Investment Parternship), que foi aprovada o que me trouxe uma enorme felicidade.
E a venda dos terrenos às Portas de Avis para a construção de um grande espaço comercial, que também foi aprovado apesar do meu voto ter sido contra.
A democracia é isso mesmo, a maioria decide e eu aceito a democracia, quer ganhe como no 1º caso quer perca como no 2º.
Quanto a minha posição sobre o Centro Comercial o que tenho a dizer foi aquilo que disse na Assembleia Municipal e que aqui vos deixo!

"Não tenho certezas absolutas sobre nada, por tanto sobre este assunto também não, mas depois de todas as reuniões , especialistas que escutei e artigos que li, em nenhum consegui os argumentos que me fizessem votar favoravelmente esta proposta.
Voto contra a vendas dos terrenos às Portas de Avis por achar que um edifício comercial desta natureza não vai ser benéfico para as cidade pelas seguintes razões:
1- O estudo que serve de apoio a este projecto data de 2007. Dai ate aos dias de hoje o estado económico do mundo, do país e logicamente o nosso alterou-se consideravelmente, não vendo quais os benefícios que pode trazer à cidade este Centro Comercial.
2- Por toda a Europa e América os Centros Comerciais estão a ser deixados ao abandono e está a implementar-se em larga escala o comercio on line com entregas ao domicilio utilizando as novas tecnologias.
3-. Os centros comerciais são espaços de instalação das grandes marcas, por conseguinte corporações que utilizam mão-de-obra barata e precária, o que não vai ajudar em nada as condições de trabalho dignas ou a diminuição do desemprego na cidade e no Concelho.
4 – Por ultimo, mesmo que este espaço traga a Évora muitos visitantes eles deslocar-se-ão ao Centro Comercial, que como sabemos são as cidades perfeitas, ai farão as suas compras, comerão e no fim da tarde voltarão para casa, a visita ao Centro Histórico e a dinamização apontada pelo estudo e defendida por alguns não me convenceram.
Se por ventura eu tiver razão, e mesmo votando contra espero não ter, dentro de meia dúzia de anos teremos às portas da cidade um cemitério de betão, sem serventia manchando a paisagem e sufocando a cidade que a esta altura já só será um museu sem vida, pois durante este período tudo no seu interior se esvaziou inevitavelmente."

Muitos estão contra, outros a favor desta minha posição, é natural que assim seja, eu tomei a decisão em consciência, sem me achar dona da razão ou achando o que quer que seja sobre os outros deputados que votaram contra mim. 
Cada um de nós vota e arca com as consequências do seu voto. Pela minha parte, gostaria muito que daqui a 10 ou 20 anos tivesse que dar o braço a torcer e tivesse que admitir que tudo tinha corrido bem que eu me enganei. Que o Centro Comercial é um sucesso sem ter deixado ao abandono a cidade. E claro sem se ter transformado num condomínio às Portas da Cidade que será o seu futuro se não for rentável, ou mesmo um amontado de betão abandonado!

Lurdes Nobre (aqui)

15 comentários:

  1. BPP,BPN,BES,BANIF....................os responsaveis andam por aí,tudo gente amiga de Cavaco,Passos e Portas.

    ResponderEliminar
  2. Estou farto desta conversa. Como dizia o outro: construam-me porra.

    ResponderEliminar
  3. Escândalo Banif.

    A quem de direito,existem vagas no "condominio de Évora" os responsaveis podem e devem aguardar lá pela decisão.

    Vá lá,provem ao Povo que somos um Estado de Direito.

    ResponderEliminar
  4. BANIF.

    Governador do Banco de Portugal,ministra das Finanças e Passos são responsaveis.

    Espero que a JUSTIÇA atue.

    ResponderEliminar
  5. BPN,BPP,BES,BANIF;os Bancos dos politicos do Centrão.

    Basta,é Tempo de Julgar os CORRUPTOS.

    ResponderEliminar
  6. Évora , não é dos Cunhas dos Palorans ou dos Chineses , Évora tem direito a ter o que uma simples cidade evoluída tem e hoje nada tem !

    Nada tem que ocupe uma família numa tardada com os filhos ou tem , tem uma quantidade de "coisas" inúteis que visto está visto !

    Onde está uma estatística que possa aferir a quantidade de Eborenses e num raio de 50 km que se deslocam frequentemente a outros centros comerciais a mais de 100 km só porque Évora é de meia dúzia não de comunas mas de fascistas !

    Jorge

    ( ciclista )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. INFELIZMENTE, para além do pessoal das capelinhas que esvaziaram esta cidade, mais as políticas sectárias e caseirismo, ainda aparecem por aqui uns "ciclistas" a recomendarem construções de centros comerciais para " entreterem os filhos"...assim vai esta cidade em que os Serviços de Protecção Civil, alertam a população de aviso amarelo em véspera de natal, recomendam aos residentes a limpeza das sarjetas dos seus quintais e contrapartida, as sarjetas desta cidade estão atulhadas de lixo!!!
      Enfim...cidade que " Já ERA"...

      Eliminar
  7. BANIF.

    Todos Detidos,JÀ!

    ResponderEliminar
  8. Espero que seja respeitado e valorizado o Património.

    Depois de construido,as muralhas,o aqueduto ,o forte e o baluarte tem que ser os elementos que saiam mais valorizados.

    ResponderEliminar
  9. Évora precisa MESMO de um bom Centro Comercial. Ali ou noutro lado, mas onde se possa chegar a pé a partir do centro, sem ser de carro ou de transportes, que há poucos. Ali parece-me bem.

    ResponderEliminar
  10. Quando o entendimento de ocupação de tempo está relacionado com o passar tempo num centro comercial, então chego cada vez mais à conclusão que o mundo está mesmo de pernas para o ar. Ciclista - "Coisas inúteis" que visto está visto?! OK... admito que a montra de uma loja qualquer num centro comercial mude mais vezes do que qualquer exposição, peça de teatro, concerto, etc. Agora fazer disso entretenimento?!!? Qualquer dia começam a cobrar bilhete para que se possa assistir ao lançamento do modelo x dos calças Y. Não faço ideia se é pai ou não, mas que belo modo de entreter os seus filhos que o senhor deve ter...

    ResponderEliminar
  11. comunices...é por isto que esta cidade não descola (apesar dos comunoides terem boicotado a EMBRAER). Cassete estafada. E são artistas destes como a Lurdes que andam aqui desde o 25 de Abril: ou vivem dos subsidios do estado ou da câmara, ou são funcionarios partidários, ou boys numa repartição publica qualquer, ou funcionarios publicos aposentados. Pobre cidade....

    ResponderEliminar
  12. Um centro comercial com estas características, servirá,pelo menos para sanear a pategagem que vegeta por esta cidade e arredores e que tem rotinas que fazem desta cidade um atraso de vida descomunal.

    É evidente que eles (pategagem) tudo farão para boicotar aquilo, e nem das montras se aproximarão, preferindo o Intermarche e o mercado do Bacêlo, mas o importante é que os filhos e netos se adaptem a novos ares e contribuam para mudar a muito pobre mentalidade desta terra.

    ResponderEliminar
  13. Eu também votei contra porque em consciência não podia votar a favor.

    ResponderEliminar
  14. Uma posição de coragem. E que difícil deve ter sido ao tomá-la.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.