terça-feira, 24 de novembro de 2015

"Que diremos da longa tenebrosa e perita/Degradação das coisas que a direita pratica?"


Nestes últimos tempos é certo a esquerda fez erros
Caiu em desmandos confusões praticou injustiças
Mas que diremos da longa tenebrosa e perita
Degradação das coisas que a direita pratica?

Que diremos do lixo do seu luxo — de seu
Viscoso gozo da nata da vida — que diremos
De sua feroz ganância e fria possessão?

Que diremos de sua sábia e tácita injustiça
Que diremos de seus conluios e negócios
E do utilitário uso dos seus ócios?

Que diremos de suas máscaras álibis e pretextos
De suas fintas labirintos e contextos?

Nestes últimos tempos é certo a esquerda muita vez
Desfigurou as linhas do seu rosto
Mas que diremos da meticulosa eficaz expedita
Degradação da vida que a direita pratica?

(Sophia de Mello Breyner, "Nestes últimos tempos")

4 comentários:

  1. Fomos a falência com a esquerda o resultado dessa falência caiu nas mãos do PSD,ignorar isso é voltar o mesmo o que nos levou a três falências de esquerda socialista!
    Esses sem abrigos no terreiro do passo já tem mais de 15 anos,muitos alcoólicos e outros toxicodependentes e bom não manipular a realidade.

    ResponderEliminar
  2. Conforme consta da Constituição, o Cavaco, alegado presidente da republica, era suposto que "indigitasse" o novo primeiro ministro, ou seja aquele que garantisse ter do seu lado a maioria dos deputados eleitos pela nação.
    Porém o Cavaco não "indigitou", mas "indicou" o Costa como novo primeiro ministro.

    Em Belém, à conta da nação portuguesa, no luxo de um palácio, está alojada uma cavalgadura.

    ResponderEliminar
  3. Cavaco é contra esta farsa,com o tempo vai perceber!

    ResponderEliminar
  4. Por esta razão é que a Sra. repousa os ossos no Panteão. Sempre esteve bem relacionada com os abrilistas e esquerdistas que ditam a moral social vigente!

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.