quarta-feira, 18 de novembro de 2015

“A banha socialista”

A entrevista dada na segunda-feira pelo candidato a primeiro-ministro António Costa ao Canal 1, televisão do estado, reforçou a minha opinião sobre as motivações que o impelem para tomar o poder da forma como o tem feito. Não houve uma resposta dada que fosse clara e inequívoca, sobre as questões fundamentais das finanças públicas.
Às perguntas feitas se os cenários ditos macroeconómicos defendidos pelos economistas socialistas, permitem um aumento da despesa em virtude da reposição de salários dos funcionários públicos e das pensões, e, se são compagináveis com um abaixamento das taxas de alguns impostos. Respondeu de forma inconclusiva, mesmo evasiva. Em circunstância alguma se comprometeu com alguma medida que evite procedimentos por défices excessivos.
No que diz respeito ao termos dos acordos estabelecidos com os outros três partidos, manteve a argumentação absolutamente inacreditável de que o partido não vai governar como o programa dos outros partidos. Só resta saber se precisar do apoio parlamentar das outras forças que integram a coligação negativa, qual dos programas irá prevalecer. Se o do partido socialista, ou, o do comité central. Isto não faz sentido algum. De que estabilidade politica estamos a falar. As pessoas não são todas distraídas.
Espera-nos, por tudo isto, um futuro político indefinido e de grande imprevisibilidade económica. Por isso, não antevejo boas notícias para o emprego. Quer estejam empregados, quer estejam desempregados. E, tudo leva a crer que as contas públicas saiam da trajetória da consolidação, para passarem para valores muito preocupantes à semelhança do que sucedera em 2011. Ora, o abaixamento tão desejável da carga fiscal, não passará de uma verdadeira e grande miragem. Oxalá esteja eu equivocado.

José Policarpo (crónica na rádio Diana)

14 comentários:

  1. "O Presidente da República avisa, na Madeira, que vai continuar a "recolher o máximo de informação junto daqueles que conhecem bem a realidade social, económica e financeira" do país antes de tomar uma decisão sobre a situação política." [no 'Público']

    Para quem antes do dia 4 de Outubro já tinha todos os cenários estudados,... não está nada mal.

    Para quem não participou no '5 de Outubro' porque, atendendo à urgência de uma solução governativa para o país, ficou em casa a estudá-la,... a ida à Madeira, passadas 5 semanas (cinco!), e as declarações que lá produziu são um insulto à inteligência dos portugueses.

    O Presidente da - facção de direita instalada na - República portuguesa deixou cair definitivamente a máscara.
    Não passa de um embusteiro acolitado pela opinião publicada no espaço reservado ao comentário político que a direita, nos jornais e canais televisivos, diariamente distorce, manipula, descontextualiza, usa e abusa, e que nos tenta a toda a hora impingir como verdade irrebatível.

    Pode ser que se lixem..

    ResponderEliminar
  2. Este homem deve andar a passar noites horríveis, atormentado com pesadelos sobre o COMITÉ CENTRAL. Deve ser por isso que segrega textos como este, primários e bacocos. E está em tal estado que se atreve a trazê-los a público. Como nenhum dos seu conhecidos se atreve a dizer-lhe quanto é ridículo, ele publica coisas destas. Coitado.
    AC

    ResponderEliminar
  3. Quem está a provocar instabilidade é a direita. Agora, ficámos a saber que a direita advoga a estabilidade desde que esteja ela a governar. Se há a possibilidade de outros governarem então gera instabilidade sem qualquer problema.

    ResponderEliminar
  4. Senhor Policarpo os cidadãos estão preocupados e com Medo do Terrorismo que varre o Planeta,e um dos responsáveis chama-se José Manuel Durão Barroso,militante do PSD,foi ele que "abriu" as portas das lajes para a invasão do Iraque.

    ResponderEliminar
  5. Faço aqui um apelo de "apoio" a canditatura de Rui Rio temos de lutar para que a direita apresente 2 canditados ja que nos temos alguns dez e e a maneira de Marcelo, basta ir a net e preenchermos a ficha pois a extrema direita anda de cabeça perdida e isso e bom

    ResponderEliminar
  6. A banhada serviu para dar vida politica a Costa e derrubar um governo eleito de direita,mas vai sair bem caro é garantido!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Governo eleito?
      Deves ser o único português que vota para eleger um "governo". Todos os outros elegem 230 deputados.

      Eliminar
  7. Pelo nome vê-se bem ser o antigo cardeal patriarca de Lisboa a falar. Traz ideias de homem morto.

    ResponderEliminar
  8. Um presidente que não respeita a maioria parlamentar.
    Um presidente que não respeita o voto dos portugueses.
    Um presidente que anda fugido para não ter que nomear um governo de esquerda.
    Um presidente que ofende a democracia e a constituição.
    Um presidente que anda a aconselhar-se os banqueiros responsáveis pela ruína e dívida nacional.
    Um presidente que age e decide em função do seu partido único, de extrema direita.
    Um presidente fascista.

    ResponderEliminar
  9. Eu só não percebo qual é o papel do Zé do Cano neste negócio dos acordos da Esquerda.
    Os comunistas de Évora já são amigos dele outra vez?
    Então quer dizer que o Alentejo já é nosso outra vez.
    Boa!
    Assim é que é Unidade do Trabalho contra o Capital.
    Finalmente,
    VENCEREMOS!

    ResponderEliminar
  10. O abraço do urso.

    Cheio de razão está o Dr Jerónimo de Sousa quando desconfia das intenções do Costa.
    Para mim, a jogada do Costa é uma. Sabe que o PS está falido. Financeira e politicamente. Com os acordos fica com comunistas e bloquistas na mão. Amanhã surgem divergências e culpa comunistas e bloquistas de furarem os acordos. Espera com isso sacar duas fatias de militantes desses partidos que aproveitem para desertar e juntar-se às fileiras do PS, deixando o Bloco e o PCP mais fracos.
    Então pede eleições antecipadas para ganhar ao Passos/Portas.
    O Jerónimo e a Catarina que se cuidem. O Costa é especialista em dar facadas nas costas. Não olha a meios para atingir os fins.

    ResponderEliminar
  11. Nota colhida das declarações dos banqueiros, à saída das sabatinas que foram dar ao presidente cavaco: "confiança", "temos confiança no PS", "temos confiança no António Costa", confiança e mais confiança. Nós é que não temos confiança nenhuma nos banqueiros…

    ResponderEliminar
  12. Marcelo Rebelo de Sousa está a ser acusado de estar a fazer o jogo da Esquerda.

    ResponderEliminar
  13. Rui Rio é o Homem que a Direita queria como seu candidato.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.