sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Espera-se que desta vez não seja como o anúncio da decisão sobre o Centro Comercial para Agosto e o cinema no final do ano...


Em reunião pública de 14 de Outubro
Câmara de Évora inicia processo com vista ao saneamento financeiro municipal

Nesta reunião foi apresentado o Estudo Fundamentado da Situação Financeira do Município e Plano de Saneamento Financeiro, ponto aprovado por maioria com as abstenções do PS e PSD e que será posteriormente submetido a deliberação em Assembleia Municipal. Mereceu igualmente aprovação o início do processo para a Contratação de Empréstimo para Saneamento Financeiro do Município de Évora cuja proposta foi aprovada com os votos favoráveis da CDU e do PS e a abstenção do PSD.
A Câmara fará também a consulta aos bancos para conseguir a melhor proposta, por forma a poder, numa fase posterior, negociar um empréstimo no montante de até 32 milhões e quinhentos mil euros, tentando obter uma taxa de juro inferior à que está em prática no PAEL.
O empréstimo para saneamento dá um maior grau de liberdade ao Município na tomada de decisões, segundo o Presidente da Câmara Municipal de Évora, que refere poder ser conseguido o reequilíbrio financeiro sustentado no prazo de duração do referido saneamento. Este é assim preferível ao recurso ao Fundo de Apoio Municipal instituído pelo Governo que se traduz numa forte perda de autonomia do Poder Local.
O Presidente Carlos Pinto de Sá deu conhecimento de reunião mantida com a Reitoria da Universidade de Évora e Associação Académica da Universidade de Évora devido ao significativo número de reclamações da população face ao ruído e vandalismo do espaço público, decorrente da realização de eventos de cariz universitário no Centro Histórico. Reconhecendo que o diálogo com a Universidade de Évora tem sido muito produtivo, a autarquia procura chegar a um ponto de equilíbrio, conciliando o mais possível a presença de festas estudantis com o direito dos moradores ao descanso.
De destacar ainda a aprovação por unanimidade da cedência de lote no Parque da Indústria Aeronáutica de Évora à EMMAD II – Embalagens Técnicas, Lda. Trata-se de uma empresa que produz embalagens de madeira para transporte de equipamentos da indústria aeronáutica e outras, como, por exemplo, as asas de avião produzidas pela Embraer. Além desta, várias outras empresas estão em negociação com a autarquia para aquisição de lotes com vista a desenvolverem os seus negócios em Évora, referiu o Presidente da Câmara. (nota de imprensa da CME)

5 comentários:

  1. Façam as orgias estudantis na Mitra... A população agradece...

    ResponderEliminar
  2. A divida subiu e agora querem mais credito,os bancos não são loucos 32 milhões num buraco que já leva 75 milhões de divida?Só mesmo de loucos!

    ResponderEliminar
  3. O Pinto de Sá quer 32 milhões dos bancos (do capitalismo) emprestados a uma porrada de anos, mas com um ano de carência dos juros, ou seja, quer endividar mais a Câmara sem pagar juros durante um ano que é praticamente o tempo que ainda tem de mandato.
    Resumindo e concluindo quer dinheiro para gastar e quem vier a seguir que pague ao banco.
    A Esquerda quando se apanha no poleiro é isto. Só sabe gastar. Raios partam a Esquerda!

    ResponderEliminar
  4. Este empréstimo, tout court,mais o Pael é a garantia da falência do município de Évora dentro de 2/3 anos( é pegar nas chaves da câmara e ir entrega las ao governo) Atenção que os estudos/planos podem dar os resultados que se pretendem, não estando como é óbvio a dizer que é o caso,é apenas um alerta.

    ResponderEliminar
  5. o Sá Pinto que vá à Coreia do Norte procurar dinheiro, já que o dinheiro dos capitalistas Europeus é nojento

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.