sábado, 17 de outubro de 2015

AQUEDUTO DE ÉVORA EM RISCO


Segundo o World Monuments Fund (WMF) – uma organização internacional não-governamental que se dedica à catalogação e preservação do património cultural mundial - há dois monumentos portugueses que estão em risco de desaparecimento.
Um é a Igreja de São Cristóvão, em Lisboa, o outro é o nosso bem conhecido Aqueduto da Água da Prata, em Évora. Ambos necessitam, segundo a WMF, de obras de conservação.
Nesta lista de monumentos em risco estão mais 50 monumentos de 36 países.
Segunda a instituição, o monumento alentejano "precisa de esforços para o preservar e que ao mesmo tempo o mantenha a funcionar para irrigar parques e jardins".


13 comentários:

  1. Já há arbustos a crescer em cima dele, mas o Pinto de Sá ignora.
    A Esquerda é isto.

    ResponderEliminar
  2. Esses arbustos já ali crescem há anos.
    O PS também ignorou...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão. Mas toma nota, PCP e PS são os principais responsáveis do estado a que Évora chegou. Desde o 25 de Abril que comandam os destinos da cidade. O resultado está à vista.
      Precisávamos de um Passos Coelho na Câmara!

      Eliminar
  3. A esquerda caviar sabe lá o que são monumentos?A esquerda caviar gosta de festa,desde o 25 de Abril os gastos em animação atinge valores pornográficos,Juntando o mandato de Abílio e depois Ernesto formou-se uma divida monstruosa,só em catering aluguer de som de luzes etc...voaram mais de 1 milhão de euros,no resto nem se fala,assim chegamos os 100 milhões de divida!

    ResponderEliminar
  4. Em 40 anos só se gastou 1 milhão em catering e aluguer de som e luzes? São 25000 de euros por ano. Nem me parece muito.

    ResponderEliminar
  5. O mais interessante são os burros que ainda zurram na paisagem alentejana.
    Basta um burro zurrar e logo todos zurram em coro, a atirar culpas à câmara, por ser comunista.

    O Aqueduto não é um Monumento Nacional?
    Como tal, não é competência do Ministério (ou Secretaria de Estado) da Cultura tratar de o conservar?

    Obrigaram-nos a pagar a renovação das infraestruturas que captam e transportam a água para a seguir tomar posse, e nos roubar.
    Todos os meses somos obrigados a pagar a água que nos roubam, ao preço que os gatunos quiserem.
    Quando chove, ainda somos obrigados a pagar a água da chuva que chega à estação de tratamento de esgotos.
    Deixaram-nos as redes urbanas, velhas e a precisar de reparações.
    E ainda querem que paguemos a conservação do património monumental do Estado.

    Uma cambada de gatunos sem vergonha.
    Uma cambada de burros a zurrar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Será que não te ouves?

      Eliminar
    2. Foi a gestão CDU, do Abílio, que ligou a rede de esgotos á rede de águas pluviais com os custos que isso hoje tem para os eborenses.

      Eliminar
    3. (1. a câmara de Évora foi a primeira a elaborar planos de urbanização e directores; 2. a câmara de Évora foi a primeira a ter todas as zonas urbanas infraestruturadas; 3. antes de 74 era normal fazerem-se redes unitárias, domésticas e pluviais; 4. depois de 74 fizeram-se "descarregadores de tempestade" antes de lançar os esgotos nas ribeiras; 5. subsistem esgotos unitários em áreas urbanizadas no tempo do fascismo, em propriedade privada, como por exemplo na Senhora da Glória onde é costume haver cheias; 6. mas o pior é que, quando o munícipe ou o construtor, ligam as águas do quintal ao esgoto doméstico, estão precisamente a transformar o esgoto doméstico em unitário, e a prejudicar a cidade e a colectividade; 7. de facto, quem diz que o esgoto unitário é culpa da CDU, zurra como um burro)

      Zurra burro, zurra.

      Eliminar
    4. Explique lá isso para não ser só balbuciamento.

      Eliminar
  6. 15.51 E são de uma qualidade exelente , boa parte já teve que ser mudada,tubagem de baixo diâmetro nos esgotos e tubagem de fibrocimento na distribuição de agua é o forte.Foi tudo a pensar numa aldeia que já tinha corpo de cidade,tem sido um desastre completo esta esquerda que desgoverna a cidade,mas o povinho tem o que merece,paga e não bufa!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando não se sabe do que se fala, sai asneira pela certa. É o teu caso e o do das 15.51.

      1. Em primeiro lugar deviam saber que os esgotos unitários (domésticos e pluviais na mesma conduta) que existem em Évora, foram feitos na sua esmagadora maioria antes do 25 de Abril. Caso do CH, circular às muralhas e bairros limítrofes.

      2. Com Abílio Fernandes e a CDU os esgotos construídos são na sua esmagadora maioria, separativos: domésticos e pluviais em redes separadas.

      3. As condutas de esgotos e de água, como as redes eléctricas, telefónica, pavimentos, etc. têm um tempo de vida, findo o qual terão de ser substituídos por novas condutas. Muitas das actuais condutas estão a chegar ao fim do seu tempo de vida e terão de ir sendo substituídas. Só gente ignorante acha que se forem de "qualidade excelente" as infraestruturas não necessitam de ser substituídas e duram eternamente.

      4. O actual sistema geral de condutas, projectado para 70 mil habitantes, e construído nas décadas de 70 e 80, há mais de 30 anos, tem-se revelado na sua esmagadora maioria eficaz e tem sido suficiente para responder às necessidades de uma cidade com a dimensão de Évora.

      Eliminar
  7. 00.01 Pergunte os bombeiros eles sabem bem o que sofrem com a porcaria de esgotos criadas!

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.