domingo, 30 de agosto de 2015

A impunidade da EMEL


Eu, Constantino Piçarra, ontem, dia 28/8/2015, vi o meu automóvel bloqueado e multado pela EMEL (96,00€), em Lisboa, por falta de pagamento de estacionamento quando dentro do veículo, de forma bem visível, se encontrava o talão do parquímetro mostrando que o estacionamento estava pago. Chamada por mim a PSP ao local, a fim de pôr fim a este arbítrio da EMEL, os agentes da força policial referem que nada podem fazer. A EMEL pode fazer tudo. Confrontado, no mesmo dia, um jurista de apoio à administração da EMEL com esta situação e com o talão do pagamento do estacionamento, ainda me acusa de desonesto, insinuando que o dito talão deveria ter sido tirado por outra pessoa, reportando-se, assim a outro automóvel.
A EMEL é impune? Pode abusar do poder e as forças policiais têm que ficar de braços cruzados assistindo à ilegalidade? Que se passa para que isto aconteça? A explicação está nos objectivos que a empresa tem de alcançar traduzidos numa determinada quantidade de dinheiro que mensalmente têm de entrar nos seus cofres? Quem zela pelos direitos dos cidadãos?

Constantino
(recebido por email)

1 comentário:

  1. O sitema atual de prova de pagamento é um fiasco em todo o lado .

    DEVIA ser possível em todos os terminais até em Évora , meter com um teclado por exemplo de telefone ou parecido , a MATRÌCULA da viatura estacionada e sairem dois talões , um para dentro da viatura outro para dentro da carteira !


    Jorge

    ( ciclista )

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.