sexta-feira, 28 de agosto de 2015

A coligação alargada?

Foto arquivo/Nuno Veiga - Lusa

Pois é. Tudo isto agora quase dá vontade de rir. O Portas que tanto lutou para que a Embraer fosse para Alverca (onde estava o pólo aeronáutico, no dizer dele, das OGMA,) de braço dado com Pinto Sá, cujo partido nem se fez representar na inauguração da Embraer e de que o PCP eborense disse cobras e lagartos (só por ter sido feito no tempo do PS)....
José Ernesto Oliveira, sempre tão caluniado e a quem se deve a vinda da Embraer para Évora (lembram-se dos terrenos comprados pela Câmara e postos à disposição da empresa, como último argumento para ela se fixar na cidade?...) terá pelo menos sido convidado para estar na apresentação deste novo investimento para a região ou só a coligação alargada PSD/CDS/PCP esteve representada?

Anónimo


Este tipo de conversa de Pinto de Sá, blá,bla, etc até já chateia. Então a função de um autarca não é a defesa da sua cidade, não deve ser "obrigação" de um autarca zelar para que a sua cidade se desenvolva? Então qual é a duvida de ter agora conseguido que uma empresa da aeronáutica se instale em Évora. Pois ainda bem que assim seja, seja ele o Pinto de Sá seja ele o Zé Ernesto ou mesmo o Zé dos Anzóis. É pena é que certa e determinada gentinha tudo faça e tudo critique para quando há alguém a zelar pela nossa cidade, foi assim no tempo do Zé Ernesto, e é agora no tempo do Pinto de Sá. Não se esqueçam que foi o próprio Pinto de Sá e o seu partido que mais criticaram a instalação da Embraer em Évora, e agora já consideram que foi um bom investimento, é pena que os nossos políticos passem o tempo com este tipo de gincana política. Penso que desde que se trate de algo importante para a nossa cidade todos, mas mesmo todos, devem dar o seu contributo e o seu apoio e não passar o tempo a desfazerem as obras de uns e outros.

19 comentários:

  1. E, dois anos depois, as AZIAS continuam!
    As azias e as mentiras compulsivas sobre a criação do Parque Aeronáutico. Felizmente os eborenses não são estúpidos e sabem muito bem distinguir o trigo do joio...

    PS:
    E, felizmente, as mentiras espalhadas na última campanha eleitoral de que os investimentos não viriam se os comunistas ganhassem a câmara, também não passaram de mentiras ressabiadas da gentinha incompetente, liderada por sua excelência o Dr. Ernesto, que levou a câmara à FALENCIA.

    ResponderEliminar
  2. «Este investimento de 30 milhões de euros, que prevê acrescentar 282 postos de trabalho diretos aos 18 já existentes na unidade da Mecachrome de Setúbal é caracterizado pelo presidente da Câmara de Évora como estruturante para a instalação do cluster aeronáutico na cidade. Carlos Pinto de Sá diz que esta nova fábrica é muito importante porque não vai depender da Embraer.»

    Ou seja: esta será a primeira fábrica a instalar no local que trabalhará para a Embraer, sem depender completamente dela, pois trabalhará também para a construção de outros motores de avião concorrentes da Embraer, bem como peças para motores de automóveis. Também por isso, a vinda desta fábrica é uma excelente notícia. O Parque Aeronáutico deixa de ser uma exclusividade da Embraer.

    ResponderEliminar
  3. Mais do que coligação, isto é namoro. O Portas recebido na Câmara pelo presidente Pinto Sá, o da conversa mansa... Longe vão os tempos em que o PC, comandado pela aguerrida Fernandes, punha as suas tropas na rua trazidas geralmente de Montemor, Mora e Vendas Novas e apupavam todo e qualquer membro do governo. Agora é mão na mão, braço no braço. Coisas da realpolitik...

    ResponderEliminar
  4. crí·ti·ca
    1. Análise, feita com maior ou menor profundidade, de qualquer produção intelectual (de natureza artística, científica, literária, etc.). = APRECIAÇÃO
    2. Capacidade de julgar.
    3. [Figurado] Opinião desfavorável. = CENSURA, CONDENAÇÃO


    As criticas do PC aos negócios da câmara PS para instalar a EMBRAER (davam escrever um livro), foram certeiras, apropriadas, e oportunas.
    As criticas dos críticos ao PC, são mentiras e calúnias.

    ResponderEliminar
  5. Conclusão:
    A EMBRAER foi um mau investimento e a MECHATRON é um bom investimento.
    Tá percebido!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A EMBRAER como a MECHATRON são bons investimentos.
      O que foi um PÉSSIMO investimento foi a negociata da compra dos terrenos agrícolas por um preço exorbitante (6 milhões de euros!) e as empreitadas de construção de infraestruturas com soluções megalómanas e a preços 2 ou 3 vezes superiores ao necessário (cerca de 10 milhões de euros!).

      Mas, há sempre quem tente tente branquear as trapalhadas ernestinas e para isso tente misturar alhos com bugalhos. Felizmente os eborenses não estúpidos e perceberam muito bem o que está em causa.

      Eliminar
  6. Infelizmente o autor do blogue que escreve os TÍTULOS continua com os neurónios fundidos...

    Ou seja:
    1. Os cidadãos elegeram uma determinada câmara e um determinado governo.
    2. Há perspectivas de um vultuoso investimento para Évora que, para se concretizar, necessita do envolvimento da "câmara" (que cede o terreno) e do "governo" (que distribui os fundos comunitários).
    3. Juntam-se, num certo dia e, em conjunto com o investidor, anunciam o investimento.
    4. Para a mente doentia que escreve o TÍTULO, trata-se de uma «coligação».

    Já nem sei o que diga sobre tais mentes pequeninas e doentias…

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Compreendi-te! A Câmara "cede" os terrenos comprados no tempo do José Ernesto Oliveira e por cuja compra foi tão caluniado pelos senhores que agora ocupam a Praça do Sertório...
      Não haverá comprimidos para avivar a memória desta gente?

      Eliminar
    2. «terrenos comprados no tempo do José Ernesto Oliveira ..», se ele os tivesse pago.
      Infelizmente, este como muito outros, estão nos incluídos nos 90 MILHÕES de euros, da dívida deixada, pois 'sua excelência' não pagou nem um cêntimo...

      Eliminar
    3. 11:27
      Terrenos agrícolas comprados à Fundação Eugénio de Almeida (FEA) a 6 euros o metro quadrado: cerca de 6 milhões euros no total.
      Euros pagos à FEA até 2013, ano final do PS na CME: zero! Nadinha de nada...

      Em resumo:
      - muita demagogia e propaganda do PS, com terrenos que comprou mas não pagou...

      Eliminar
    4. Mas se não houvesse estes terrenos na posse da Câmara como é que o Pinto Sá falinhas mansas ia agora cedê-los à Mechatron? Mandava-a assentar arraiais na Rua de Avis?

      Eliminar
    5. Quer este dizer que, valeu a pena arruinar o município para agora instalar a tal empresa.

      É com gente desta que o país está cada vez mais endividado, a economia de.pantanas, e os portugueses mais pobres.

      Estamos todos a suportar a banca e as grandes empresas, que também são da banca, e pelo meio andam as fundações dos governantes corruptos, que também vivem à custa do estado, ou seja à custa de todos nós.

      Eliminar
  7. E sobre isto:
    http://www.jn.pt/PaginaInicial/Economia/Interior.aspx?content_id=4749591
    Alguém sabe a posição da nossa Câmara sobre o assunto?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A posição da nossa Câmara sobre este e outros assuntos idênticos, está bem sintetizada no acordo do PAEL, celebrado por suas excelências: IMPOSTOS E TAXAS NO MÁXIMO, durante 20 ANOS.

      Eliminar
  8. Atenção cidadãos eborenses não se deixem ir em mentiras nem em politiquices baratas. Agora que vem aí um investimento da MECHATRON todos querem ser o Pai da criança e tirar dividendos para os seus partidos e para os seus boys, mas a verdade e o respeito pelos cidadãos eborenses isso pouco importa.
    Pois fiquem sabendo que este investimento resulta de negociações iniciadas no tempo do Ex- presidente tendo sido o papel principal da AICEP e ultimamente do PR numa das suas missões empresariais. Informem-se que deve ainda haver pessoas na camara que trabalharam na captação deste investimento. O mérito do presidente Pinto de Sá esta apenas em ter autorizado a cedência porque ate a regulamentação municipal que utilizou par tal deve ser do tempo do Ernesto.

    ResponderEliminar
  9. À mesa com 23 empresários e investidores franceses, o Presidente da República referiu que "Portugal oferece uma localização competitiva para o investimento. Tem uma mão-de-obra e quadros altamente qualificados e flexíveis, num ambiente concorrencial". O encontro serviu para Cavaco Silva falar de reformas estruturais e propriedades. Um dos 23 patrões, de uma empresa aeronáutica, anunciou ao Presidente da República, no final da reunião, um investimento para breve em Portugal. A Mecachrome vai investir numa empresa em Évora, pronta em 2016, apurou o CM junto de fonte da presidência da república.
    Afinal foi o cadáver silva como os comunistas lhe chamam que deu este investimento o atual presidente e a cidade,grande chapadão|

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os comunas nunca valeram nada

      Eliminar
  10. Está cidade não merece um presidente como Pinto de Sá . Os eborenses gostam é de trafulhas e políticos especialistas em negociatas que afundaram a câmara . Quando aparece algu sério disposto a fazer alguma coisa , caiem-lhe em cima . São incapazes de se regozijarem com um novo investimento que trará emprego . Focam- se sempre no pior , não são capazes de reconhecer quando algo é positivo para os eborenses . Ainda bem que o ciclo do PS , suportado por alguns destes comentadores frustrados, acabou ! Só espero que o Pinto de Sá continue a trabalhar para bem de todos nós como tem feito até agora

    ResponderEliminar
  11. Só ninguém diz é que este investimento só é possível graças à acção do Governo de Lisboa chefiado por um Homem que se chama Pedro Passos Coelho!

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.