quarta-feira, 1 de julho de 2015

Ontem em Évora, no Bairro da Malagueira


Roubo e esfaqueamento em pleno dia 18.30 no bairro da Malagueira.
Cada vez as zonas periféricas da nossa cidade estão a ficar verdadeiras favelas, assaltam.se e ferem-se gravemente pessoas para roubar, neste caso a vítima tinha 7 euros na carteira, o álcool a droga a falta de valores e de perspectivas de vida . Que sociedade doente estamos a construir?
Os nossos desgovernantes estão a conseguir levar por diante o seu programa de empobrecimento e miséria colectiva, não esqueçamos que Passos Coelho abraçou o programa da troika como o seu programa de governo.

Anónimo
01 julho, 2015 20:10

17 comentários:

  1. Quando autarquia deixa crescer e montar acampamentos na via publica para venda de heroína no mesmo bairro que se espera?
    A PSP através do comissario já perdeu a conta as vezes que pediu ó presidente Sá para emitir uma ordem para aplicar a lei nos acampamentos no espaço publico,mas de lá só silencio,quando morrer alguém pode ser que abram os olhos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desde quando é que a PSP precisa de autorização de uma câmara municipal para aplicar a Lei?

      PS: se a imbecilidade pagasse imposto, já não tínhamos dívida e ainda podíamos emprestar dinheiro aos alemães...

      Eliminar
  2. Desgovernantes???? A esquerdalha mete dó. Bandido é sempre bandido

    ResponderEliminar
  3. É curioso como a Malagueira é a imagem de Portugal e da Europa.
    Os gatunos roubam os cidadãos impunemente. Seguem o exemplo dos governantes que os mesmos cidadãos elegeram.
    Os bancos roubam os países, fora da lei, e não há quem lhes faça frente. Os governos são meros lacaios da finança.
    A violencia e o abuso estão latentes.
    As ameaças, as provocações, as vinganças, as mentiras, valem mais que os valores e a solidariedade humana.
    Rouba-se na Malagueira, 7 euros para comer ou para satisfazer o vicio.
    Roubam os governantes em Lisboa; roubam os bancos europeus; porque são ladrões, e nada mais sabem fazer.

    ResponderEliminar
  4. Que que tem a ver com este acontecimento o 1º ministro? Seria mais útil e sério que as pessoas que andaram afazer petições sobre a expulsão de Évora de Circos com animais, fizessem o mesmo na Assembleia Municipal reclamando policiamento conveniente... Afinal não é de Segurança Pública, a Polícia portuguesa?!
    Assim se vê a "brincadeira" que é a "esquerda" folclórica... Ainda há atrasados que lhes dão votos!!!

    ResponderEliminar
  5. A policia leva o tempo na caça a multa ou a trabalhar para o pingo-doce.

    ResponderEliminar
  6. 22:03,não venhas defender o comissário, o Foco da PSP é Multar.

    ResponderEliminar
  7. A PSP em Évora o unico objectivo é a Multa.

    ResponderEliminar
  8. Este país perdeu os valores, não há educação,não há solidariedade, são meio grunhos, arraçados de néscios, horror á reflexão e ao pensamento, estamos a ficar meio kitos(cigano): nos transportes públicos pode entrar um velhinho, que as mastronças da novas não levantam o c.......do assento, a verborreia é uma constante, o vocabulário cinge-se a meia dúzia de vocábulos, mano, tasse bem yes

    ResponderEliminar
  9. Adapatado de Carlo Collodi, autor de Pinóquio ao hostpital de Èvora.
    Diagnóstico sobre doente que se poderia encontrar em inúmeros médicos do HESE.
    Em meu entender o doente está bem morto, mas se por desgraça não estivesse morto, então seria indicio seguro de que está sempre vivo.
    Moliere numa peça "Médicos á força " retrata muitos dos nossos péssimos médicos: Morreu de quatro médicos e 2 farmaceuticos

    ResponderEliminar
  10. Uma estratégia francesa
    por VIRIATO SOROMENHO-MARQUESOntem
    Até 2010 julgávamos que a zona euro (ZE) respeitava o princípio fundamental da cooperação entre aliados: as diferenças entre membros, por muito grandes que fossem, deveriam respeitar as regras dos "jogos de soma positiva" (aqueles em que todos ganham alguma coisa, mesmo que nem todos ganhem o mesmo). Em 2010, a chanceler Merkel, além de arrastar o FMI para dentro da ZE, trouxe a lógica da guerra para o Conselho Europeu. Com a chantagem (que se revelou um tremendo bluff) de não apoiar o resgate grego, expondo a periferia da ZE à devastação da especulação financeira, Merkel utilizou a lógica bélica dos "jogos de soma nula" (a medida do que eu ganho é igual ao que tu perdes). Não admira que a austeridade tenha sido apresentada como uma punitiva "reparação de guerra" imposta aos países intervencionados pela troika. Ao contrário dos outros "vencidos", o governo de Tsipras aprendeu a lição e resolveu aceitar a lógica do conflito para defender os interesses nacionais de Atenas dentro da ZE. O referendo do próximo domingo é uma cópia adaptada da estratégia da dissuasão nuclear, formulada em 1960 pelo general Pierre Marie Gallois (1911-2010), e que levou De Gaulle a construir a force de frappe nuclear gaulesa. A estratégia designa-se como "dissuasão do fraco ao forte" (dissuasion du faible au fort). As armas atómicas francesas eram defensivas. Garantiam, contudo, que qualquer ataque a França de um gigante nuclear teria um preço demasiado elevado para quem o levasse a cabo. Tsipras não quer sair da ZE, mas não quer ficar nela como moribundo. A queda das bolsas é a melhor arma de Tsipras, pois recorda a Berlim o preço que lhe custará a saída dos gregos. O principal adversário de Tsipras, agora, não é Merkel, mas sim o medo dos eleitores gregos. Sem um "Não" rotundo no domingo, os fracos poderão ficar ainda mais desamparados.

    ResponderEliminar
  11. O agressor é familiar(filho) do santo na terra, monteiro o vidente que boa educação deu ao seu rebento. Quem sai aos seus não degenera

    ResponderEliminar
  12. O ladrão assassino é sobrinho do bruxo, fere com extrema gravidade para roubar uma euros com 7 euros

    ResponderEliminar
  13. 09.24 No espaço publico a via publica é responsabilidade da autarquia, a PSP só pode intervir com ordem da mesma.Em Borba parte destes campistas tiveram lá um dia a GNR atuou a pedido do serviço de fiscalização da autarquia de Borba, em Évora já passou um ano é uma grande diferença!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se não sabes do que falas, tenta não botar faladura, porque, senão, sai asneira.
      A PSP dispõe de todos os poderes necessários para intervir e prevenir a prática de crimes, seja na via pública seja em local privado. Se sabe que há crimes e não intervém é porque não quer e não porque não disponha dessa atribuição legal.

      Eliminar
  14. -certidões de acampamento ocasional não autorizado-,quem autoriza os acapamentos ocasionais é autarquia,no caso detectado os campistas são avisados da ilegalidade e tem x de horas para abandonar o local não o fazem autarquia publica em ata ou edital a intervenção com o apoio policial os quais são imformados atraves de certidão ou oficio a pedir e a delegar esse apoio. Percebeu?pode ajudar o vereador do pelouro e o presidente!

    ResponderEliminar
  15. problema resolve-se facilmente mudando o presidente da câmara( não manda nada ), o vereador Luciano ( imbecil e incompetente ), e o outro da torre de coelheiros ( só vaidoso ) e ja agora muda-se tambem de comandante da policia

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.