sexta-feira, 17 de julho de 2015

Hoje na livraria Fonte de Letras, em Évora


Hoje, 17 julho | 18H30 | Fátima, S.A., de Pe. Mário de Oliveira, Fonte de Letras
Lançamento do livro por Joaquim Murale com a presença do autor.

Nestes documentos oficiais, elaborados com o objectivo de dar fundamentação e credibilidade científica às chamadas “aparições” de Fátima, eu que os li e reli, com consciência crítica e à luz da teologia de Jesus, acabei por descobrir que tudo aquilo não tem pés nem cabeça. E posso garantir, sem o perigo de me equivocar, que Fátima S.A. só se mantém, porque ninguém se tem dado ao trabalho como eu me dei, ao ver que se aproximavam os cem anos desta vergonha nacional, europeia e mundial.

5 comentários:

  1. «Olho para as pessoas da geração dos meus pais e vejo-as entrar na reforma angustiadas com um fim de vida que deveria ser de descanso e lazer. Olho para a minha geração e vejo-a pôr em causa as opções que fizemos no início da nossa vida adulta, pensadas para um futuro que afinal não existiu. Olho para os meus alunos e vejo-os preparar a saída do país depois de terminarem o curso, mais resignados do que esperançosos. Perante isto, olho para os meus filhos e pergunto-lhes em pensamento: que faremos com este país?»
    Ricardo Paes Mamede
    in ladrões de bicicletas blog
    Foi Padre este cavalheiro ? o Estado Islâmico também persegue assim tudo o que lhe cheira a cristão, o sr, já tem figura de senilidade ou alzheimer, a fonte das letras também faz promoção de boas porcarias

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelas citações que faz, parece uma pessoa lúcida. Experimente ler "Fátima, S.A.". Comente depois.

      Eliminar
  2. «A humilhação a que o governo grego foi sujeito durante a interminável reunião do Conselho Europeu vai ficar na história como o dia em que se perderam todas as esperanças na bondade do projecto europeu. A Alemanha torturou um governo eleito, obrigando-o a capitular nas mais humilhantes condições para mostrar quem manda e quem obedece. (...) O que todo o processo nos ensina também é que não vale a pena prometer lutar contra a austeridade sem um plano B. Foi esse o pecado mortal do Syriza: não ter reconhecido à partida que um projecto antiausteridade não se faz dentro do euro. O Syriza foi eleito para permanecer no euro e acabar com a austeridade, dois programas incompatíveis, como agora ficou clarinho. Não vale a pena nenhum partido candidatar-se a dizer que não aceita a austeridade, como fizeram tantos socialistas, a começar por François Hollande, com resultados nulos. O momento da clarificação chegou.»
    Ana Sá lopes

    ResponderEliminar
  3. Ao comentador das 11.25:
    Aconselho-o a que antes de emitir opiniões sobre um livro tenha o cuidado de o ler "ANTES".
    Palpito que, neste caso, não teve esse cuidado, que parece de elementar bom senso.
    PL

    ResponderEliminar
  4. Este Governo só sairá com benzina!
    «Este Governo não cairá porque não é um edifício, sairá com benzina porque é uma nódoa»

    Eça de Queirós
    in O Conde D'Abranhos

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.