terça-feira, 21 de julho de 2015

Câmara de Évora não tem dinheiro para custear electricidade para a Semana dos Palhaços na Praça do Sertório?


Este ano não vão haver espectáculos da Semana Palhaços na Praça do Sertório.
Parece que a Organização do festival teria de custear, entre outras coisas, a electricidade, porque a Câmara Municipal não dispõe de verba para o fazer.
Uma pena, já que ano após ano, (vai já na 5ª edição) o festival tem vindo a crescer e sempre com grande adesão popular.
Mas de facto ter palhaços no largo da Câmara, é uma coisa muito desprestigiante. Talvez seja por o "palhaço" ser anarquista, desconstrutor, incómodo... talvez seja porque a "Cultura" apenas seja aceitável quando tutelada.
Vale no entanto a coragem dos edis ao manterem os circos com animais no Concelho, para que, segundo defendem, se defendam os postos de trabalho dos tratadores (atenção que isto é mesmo a sério, não é palhaçada nenhuma) e vale também a frontalidade de abrilhantar a Feira de S. João, com uma magnífica tourada, com ferros de espetar e lombos de touros disponíveis para serem espetados.
Morra o Pim! Morra! Viva a vénia! viva o desrespeito pela diferença, vivam os couratos e os contratos eleitorais e outros tratos de polé que se vão dando à cidadania.

Miguel Sampaio (aqui)

32 comentários:

  1. Quando surge Cendrev ou ação de campanha comunista nada falta por parte da autarquia ,resta-nos assistir os espetáculos dos acampamentos de ciganos no nosso espaço publico!

    ResponderEliminar
  2. Como os organizadores sao do bloco de esquerda...

    ResponderEliminar
  3. É a realidade esta equipa comunista é fraca e curta, que más escolhas partidárias foram feitas para acompanhar o Drº Pinto de Sá!

    ResponderEliminar
  4. Camarada Hollande quer uma UE formada pelos seis países fundadores..........Grande Xuxialista............

    ResponderEliminar
  5. Nem Grécia nem Portugal têm hipóteses de ficar no Euro.


    (João Ferreira do Amaral).

    ResponderEliminar
  6. Direcção nacional do PS recusa lista de Coimbra.

    ResponderEliminar
  7. Se a câmara não tem dinheiro querem o quê? Que vão roubar, para dar aos Pim's?
    Porque não pedem à EDP para pagar essa despesa da electricidade?
    Porque não usam o dinheiro dos apoios que tiveram para pagar as despesas, como fazem os outros grupos?

    Haja pachorra para aturar certa gente...

    ResponderEliminar
  8. Esclarecimento de João Palma, do PIM, no facebook:

    O que a CME não paga este ano, ao contrário do ano anterior, é a empresa que monta o som e a luz no sertório... a miséria de apoio que temos mal dá para as viagens dos artistas, alimentação e dormidas... já não falamos do pagamento aos artistas... isso era dantes... o pim, que não vê um tostão do estado desde 2012, poderia esforçar-se um pouquito e montar e desmontar todas as noites o seu equipamento de som e luz, para proporcionar ao público aqueles serões magníficos do sertório... mas o pim são pessoas, poucas, com um certo limite de resistência física... e de paciência tb limitada. Fazer serviço público é para os que recebem verbas públicas... ah pois é, mas esses pelo que ouvi dizer, desmarcam as suas iniciativas porque, apesar de receberem, nestes tempos negros, quantias que o pim nunca viu, mesmo em tempos das vacas menos magras, acham que não têm o suficiente e dão-se ao luxo de privar a cidade do tal serviço público que lhes compete... em Évora vivem-se tempos raros...

    aqui: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=981951111836655&set=a.100604973304611.1202.100000653256871&type=1&theater

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já agora podiam dizer-nos o valor do "apoio" que recebem para estas iniciativas (em dinheiro ou em espécie...) , para nós tirarmos a nossas conclusões.
      Até para concluirmos sobre a bondade da afirmação: "o pim, que não vê um tostão do estado desde 2012"...

      É que, não tenho a certeza, mas parece-me que anda por aqui muita demagogia e desinformação. Para não dizer coisas piores.

      Eliminar
  9. 18.54
    Se o governo não tem dinheiro porque é que há-de construir o novo hospital de Évora? Será falta de dinheiro ou uma questão de opções, camarada? Não será como, agora, o facto de haver ou não dinheiro para a cultura - tudo uma questão de opções? No tempo da Câmara do PS dizia o vereador Luciano que o não haver dinheiro para a cultura era uma questão de opção da câmara socialista. Hoje é o mesmo: a cultura não é prioridade para a Câmara, o PIM não é afecto ao PCP, portanto não há nada para ninguém (perdão, já há algum tempo que não ouvimos o CENDREV queixar-se, portanto agora há algo para alguém, aliás como dantes havia...sempre para os mesmos que comem da gamela)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Opções é quando há dinheiro para OPTAR! Quando não há, a opções não existem.

      No tempo da Câmara do PS houve de facto OPÇÕES no gastar do dinheiro. Não havia dinheiro para algumas coisas, mas houve uma dezena de milhões para gastar numa Praça de Touros privada. Não havia dinheiro para os artistas e grupos locais, mas houve muito dinheiro para comprar pacotes de enlatados ao exterior.

      Há pois uma diferença substancial, que só os cegos que não querem ver não distinguem.

      Já agora, também gostava de saber quantos milhares de euros vai receber o PIM para realizar esta semana dos palhaços.

      Eliminar
  10. Têm que estender as pernas à medida do lençol. Se o lençol é curto, não podem querer as pernas muito esticadas.
    Ao que ouvi dizer recebem vários milhares de euros. Façam um programa à medida das vossas posses...

    ResponderEliminar
  11. Quando O PCP não quer, o resto da esquerda extrema seca. Quando o PCP dorme na parada, a esquerda extrema até que aparece com algumas novidades fraturantes

    ResponderEliminar
  12. Afinal, não há ninguém que diga quanto receberam ou vão receber os PIM's para realizar esta semana dos palhaços?

    ResponderEliminar
  13. Haverá "associação cultural" que mais receba das câmaras CDU, do que os PIM?
    Quanto custa o alojamento na antiga escola, ao pé das piscinas municipais?
    Quem fez as obras?
    Quem paga a água e a luz?
    Que espectáculos públicos ali se fazem?
    Há quantos anos?

    Ainda por cima exigem que a câmara lhes contrate a "empresa que monta o som e a luz"!
    Luz e som para abranger um raio de 20 metros, na Praça do Sertório?
    Uma empresa para ligar as fichas da luz e do som?
    A empresa é de um amigo palhaço?

    ResponderEliminar
  14. 17,20 RACISMO????Tem vergonha na cara!
    Falamos do consumo e venda de heroína
    Falamos do consumo de álcool em espaço publico por menores de idade
    Falamos de musica em alto som a partir do horário de silencio até 2.00 da manha Falamos da saída destes locais em automóveis sem seguro inspeção e muitas vezes os condutores nem carta tem, claro é peão que ferve .etc...
    Só um ignorante ou um comprador de produto os defende da minha parte estão fod.. estive em Africa não tenho medo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "estive em Africa não tenho medo!"
      Ui, que mau que tu és...

      Eliminar
  15. O cendrev vive do pcp, sempre que estes estão na autarquia esta companhia é privilegiada vejam o contrato de luz e som entre outros benefícios que estão nos ajustes diretos .

    ResponderEliminar
  16. Somando 2014 e 2015 a semana dos palhaços deve-nos custa-nos uns 30 000€.

    ResponderEliminar
  17. 10.000€ e no ano passado 12.000€. Ha uns anos recebiam 25.000 e outro tanto do ministério da cultura e outros ainda. Ao que parece, não pagam aos artistas e esses ainda têm que pagar as viagens. A comida é oferecida por caridosos aos pim, a dormida é em tenda nas piscinas. A comunicação é da responsabilidade da camara. O material técnico é da companhia, sem necessidade de alugar. Ao que consta é isso, 80.000 para 5 eventos.

    ResponderEliminar
  18. 10.000 e 12.000 em dinheiro directo. Mais material técnico som e luz, transportes para a capital, comunicação, apoio logístico, um espaço trabalho gratuito ha anos, sem pagar agua e luz. A cena deles não parece ser a cidade ou o teatro mas a guerra com p CENDREV e o PCP. Estão no seu direito, agora receber muito dinheiro para isso... Só vêm dinheiro a frente.. Arte, pouca.

    ResponderEliminar
  19. Afinal aquilo do PIM dizer que não recebia nada desde 2012, cheirava-me a esturro e confirma-se que não corresponde à verdade.
    Não só está instalado em edifício municipal sem pagar um euro ( e só aqui vai um subsídio anual de 10 a 15 mil euros, a que juntam as contas da água de da electricidade, que devem ser mais uns milhares) , como tem recebido cerca de uma dezena de milhares de euros em subsídios para espectáculos.
    Acham pouco e querem mais?
    É natural, mas ao menos façam as contas daquilo que recebem, digam a verdade às pessoas e deixem-se mentiras e demagogias baratas...

    ResponderEliminar
  20. Pelos comentários fica evidente que a questão é colocada na base CENDREV versus PIM. Quem está interessado em colocar as coisas nestes termos há já dezenas de anos? E esta é uma discussão que nada tem a ver com a Câmara, e nem com a cidade. Mas as duas - Câmara e Évora - são arrastados, envolvidos pela persistência de quem não desistirá disto enquanto for vivo. Porque cada um tem a sua forma de se manter vivo.
    Parece pois que quer o CENDREV, quer a Câmara, quer a cidade, só podem desvalorizar e distanciar-se desta agenda que é de duas ou três pessoas.
    Louvor seja feito à honestidade de João Palma que no comentário acima, deixa bem claro que os PIM até têm meios técnicos para fazerem o som, mas se não forem pagos em separado para isso não o farão. Que o serviço público não é para eles. É para outros. Sempre para outros que supomos, ou dizemos saber que ganham bem para isso.
    E esta é a realidade em que nos movemos: Dizemos que os tempos são negros, que não recebemos dinheiro do estado para fazer o que gostamos, mas que não montaremos o som para o espectáculo senão forem pagas horas de trabalho, e aluguer de material técnico. E de caminho acrescentamos que os autarcas são isto e aquilo, todos bem piores do que os piores que já por lá passaram.
    Os que assim dizem – os PIM - recebem apoio em várias formas: instalações, apoios de logística durante todo o ano, verbas em montantes vários , e anunciam nos vários Orgãos de Comunicação Social nacionais e locais que nada recebem. Se as formas de apoio que lhes são concedidas são da cidade, da comunidade de Évora, e não de um vereador ou presidente que as assina, eu como cidadão sinto-me lesado, porque estou a contribuir para quem diz que nada recebe.
    Assim, venho propôr aos PIM que mudem o seu discurso ou caso contrário, alguns agentes culturais locais e pessoas a eles ligadas, que de facto este ano ainda não receberam nada este ano e não parece que vão receber - poderão e deverão pedir publicamente à Câmara que, em coerência com o discurso dos PIM de há já vários anos, cessem de facto todas as formas de apoio. Assim se os problemas não ficam resolvidos, ao menos ficaria reposta a verdade dos factos.

    ResponderEliminar
  21. Todos os que reinvindicam apoios para a Cultura em Portugal merecem todo o apoio e a solidariedade! contudo, só com honestidade intelectual poderão contar com isso. No ano passado, a semana dos palhaços foi a iniciartiva com mais dinheiro do Cenas ao Sul. Com este discurso desonesto de tentar escondert os apoios que realmente recebem escudam-se e não pagam cachets aos artistas que se descolam, não pagam viagens, pedem apoios e ganham a solidariedade da população e mentem, mentem com todos os dentes que têm na boca, em relação aos apoios que a CME, direta ou indiretamente mobiliza para os apoiar. Isto para não entrar pela qualidade do que fazem! E a CME continua a protegê-los e a apoiá-los como não apoio qualquer outro agente cultural. E a reboque o bloco de esquerda vai-se esbortiando todo, sem procurar estar informado e demagógicamente atrás das mentiras que estes meninos vão espalhando convencidos que são imprescindiveis para a cidade. Ainda se dfão ao luxo de se abotoar com o dinheiro para iniciativas, não pagar aos artistas que cá vêm e ameação que se vão embora. Pois vão, que façam boa viagem e vão enganar outros que estes aqui já estão fartos de aldrabices

    ResponderEliminar
  22. A brigada de cavalaria ligeira do PCP decidiu avançar e atacar os PIM e a Semana dos Palhaços. Será que os secretários não têm horário de trabalho nem período de férias? Ou são pagos a dobrar? (Esse dinheiro para os agentes culturais seria ouro sobre azul...)

    ResponderEliminar
  23. Uma coisa é serem palhaços, como lhes compete.
    Outra coisa é fazerem da câmara e dos munícipes (que os sustentam), palhaços.

    Uma coisa é fazer palhaçadas.
    Outra coisa é aldrabar e ofender.

    ResponderEliminar
  24. estes pseudo -bloquistas (que são uma vergonha para o próprio bloco) sao estanilistas na 5ª casa: se não se concorda com eles, são funcionarios do pcp. por favor.. opiniões há varias, é isso a democracia. há um problema com os fundos que a câmara consegue arranjar (ou melhor, como o gere) e na sua relação com os agentes. Este é um ponto. Outro é a questão do cendrev e, aparte de já ter dado muito à cidade, devia ser revisto (não se pode viver do passado). Outra coisa, é isso que esta aqui em causa é o trabalho mediocre dos pim e quem os defende não se tenta informar. eles vivem à custa das reclamações e dos gritos que fazem e não do seu trabalho. a sua seriedade deixa muito a desejar e o bloco devia informar-se melhor antes de os defender de caras. só tem a perder com isso porque toda a gente que os conhece sabe o trabalho que fazem. e se for preciso dar uma facada nas costas do próprio BE, descansem que não se coibem (aliás já o fizeram). do piorio.. e sempre a mamar apoios, directos, indirectos, materiais, espaços.. tudo, durante anos. e sem merecerem. e sempre a reclamar seja com quem for (estava o pcp na camara, aliaram-se ao ernesto, com telefonemas e conversas; estava o ps na camara, aliaram-se a todos que estavam descontentes, incluindo o pcp e o be; agora é anti-camara, como sempre). na falta de um bom trabalho, reclama-se. e o showoff continua a dar dinheiro (este ano 10000, fora os indirectos. confesso que também não da para perceber a câmara, quando alinha com isto e não esclarece publicamente). abusam de outros artistas locais e instituições locais com menor dimensão constantemente, enganando meio mundo. e a câmara e a s juntas (todas cdu, vejam lá como eles são!!) continua a dar-lhes dinheiro. íam para borba mas aqueles devem ter visto o que eram efectivamente em tempo util. agora parece que é para as caldas que vão (como colocam no facebook) não é? boa viagem e boas canecas.

    ResponderEliminar
  25. Só as viagens do vereador Luciano a conta da autarquia pagava esta energia! Tenham vergonha no mínimo!?

    ResponderEliminar
  26. Uns gajos que ocupam de borla instalações públicas sem pagar um euro de renda, sem pagar água, sem pagar electricidade e ainda se darem ao desplante de dizerem que não têm apoios públicos, não tem um mínimo de credibilidade.
    Uns gajos que recebem 10 mil euros (quando se sabe que quase não há dinheiro para nada), mais uns quantos milhares de euros em apoio logístico, e ainda se dão ao desplante de exigir mais, não merecem o mínimo respeito.

    ResponderEliminar
  27. O título que o acincotons deu ao post também é fresco:
    "Câmara de Évora não tem dinheiro para custear electricidade para a Semana dos Palhaços na Praça do Sertório?"

    Pelos vistos, a expressão "custear a electricidade" quer dizer "contratar uma empresa para instalar luz e som".
    Mas que grandes palhaços!

    ResponderEliminar
  28. viva o bloco .....
    Viva as Ganzas.....

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.