segunda-feira, 22 de junho de 2015

Eu sou Grego

Decorre hoje em Lisboa uma Manifestação de Solidariedade com o Povo Grego. Como não estar solidário com o povo grego perante a enorme chantagem exercida pelas instituições europeias? Como não estar solidário com um governo que governa tendo em conta os interesses do povo e respeitando o programa eleitoral que foi sufragado?
O governo grego tem sido chantageado, ameaçado e caluniado, numa ofensiva sem precedentes do conjunto das instituições europeias e dos governos dos países europeus dominados pelo liberalismo radical. Dizem que a esquerda radical não cede. Que a esquerda radical é irresponsável. Uma esquerda, sim porque não sei a que radicalismo se referem, que defende as pessoas, a justiça social, o emprego, que as coloca como prioridade, que considera que quem criou a crise a deve pagar, é a verdadeira esquerda. Bem sei que constituem uma ameaça para a banca, para os interesses capitalistas. Bem sei… E por isso mesmo tem o meu total apoio.
Sabemos bem que dos 254 biliões de euros “europeus” supostamente injetados na Grécia para a retirar da crise, apenas pouco mais de 10% foram para o Estado Grego. 90% destes 254 biliões (!) ou foram direitos para o sistema financeiro (especialmente para a banca alemã e francesa) ou foram perdidos em medidas austeritárias para controlo do défice, medidas essas que falharam em toda a linha.
Sabemos bem de quem é a culpa da crise na Grécia, em Portugal, na Irlanda, em Espanha ou na Itália. Sabemos bem! E quem sabe, não pode deixar de estar de uma forma solidária e fraterna ao lado dos nossos.
Que não restem dúvidas: O problema dos gregos é também o meu problema. Um governo que está ao lado do seu povo é também o meu governo!
Que a democracia vença a chantagem. Que a coragem vença o medo.
Tenho a certeza que o vento democrático soprará o medo para o outro lado!
Até para a semana!

Bruno Martins (crónica na Radio Diana)

12 comentários:

  1. Turco porque fala sem conhecimento da realidade!

    ResponderEliminar
  2. Coitadinhos...mamaram? Agora vao ter que pagar. O melhor que faziam eta lixarem se para o euro e viver a sua própria vida e deixarem de mendigar. O que o siryza anda a fazer é mendigar fazendo jogo duplo com a Russia, para ver se a Europa se amedronta

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Segundo se sabe pela auditoria à divida grega, quem mamou não foram os gregos. Quem mamou 8 euros em cada 10 euros emprestados à grécia, foram os bancos franceses e alemães.

      Eliminar
    2. Como pago escrupulosamente o que peço emprestado, nao sou corrupto e nao engano o estado, eu nunca poderia ser Grego

      Eliminar
  3. 00,04 mas quem pediu o dinheiro?não me diga que os alemães apontaram um canhão os gregos e eles tiveram que pedir dinheiro.
    Os gregos estão assim porque trabalharam para acabar assim!

    ResponderEliminar
  4. Deus te ouça , rapaz porque em Portugal nas urnas os tugas tem vendas como colocam aos burros .

    E, um dia deitam fora os primeiros ministros , outro dia já com um copo de tinto , o metem na presidência .

    E , com os partidos é igual ou seja : vira o disco e toca o mesmo !

    Portugal tem em número a população de Paris e vai-se ver tem ao quíntuplo vezes mais políticos que a camara de Paris !

    Nem no tempo de Salazar que tinha os seus ministros para gerirem as empresas nacionais era preciso tanta gente , pois hoje tem o dobro dos políticos da altura , mais de 20 partidos e tem as empresas todas entregues a privados , para mais é a UE que dá as regras e o FMI que manda nas contas , então o que se vai fazer nas urnas ?

    Eu respondo :

    Pagar receita aos partidos e dar ordenados aos políticos para andarem a vender postas pescadas nas feiras , trabalhem !

    Jorge

    ( ciclista )

    ResponderEliminar
  5. Essa cassete deves te-la lido na site do bloco de esquerda. O facto é que foram os Gregos a bater à porta dos bancos a pedir dinheiro, fosse para submarinos, aeroportos ou para pagar luvas da corrupção.

    ResponderEliminar
  6. Eu não sou grego. O mais fácil é cavalgar a "onda de simpatia" a favor da Grécia. É o pequeno David contra o Grande Golias mau, a União Europeia. Para quem gosta de aderir a ideias fáceis, esta é muito atraente.
    No entanto é preciso dizer que não há bons e maus neste assunto. Os políticos gregos compraram durante anos os votos dos Gregos dando benesses que a economia não podia suportar, e que tinham de ser pagas à custa de pedir dinheiro aos "mercados". Estes aproveitaram a "necessidade" dos políticos para emprestarem dinheiro a juros cada vez mais altos. Os actuais credores venderam tudo e mais alguma coisa à Grécia que comprava com dinheiro emprestado.Os Gregos foram convencidos de que tinham um país próspero, até se perceber que o rei ia nu.
    Depois de um "tombo" de 27% num PIB que era artificialmente alimentado por empréstimos, os pobres Gregos ainda têm reformas mais elevadas que as dos trabalhadores portugueses, salário médio mais elevado, e uma evasão fiscal acima da portuguesa.
    Os maus da União Europeia não lhes querem emprestar mais dinheiro sem garantir que os Gregos podem ser espremidos para lhes pagarem de volta. Os bons estão solidários com os Gregos pois dizem que esta receita não funcionou, e assim os Gregos ficam mais pobres e nunca mais lhes pagam os empréstimos. Mesmo que não exijam nada em volta a Grécia nunca pagará nada a ninguém porque se não se reestruturar internamente não terá economia para sustentar tão elevado nível de despesa. E isso os Gregos parece não quererem fazer.
    Se fosse feito um referendo nos países europeus sobre a ajuda à Grécia, provavelmente teria como desfecho um NÃO, pois toda a gente perceberia que a "ajuda" viria de mais impostos a pagar pelos cidadãos europeus. É por isso que os maus da União Europeia estão a ser tão maus com a Grécia: têm medo de perder votos dos seus eleitores.
    De facto é sempre mais fácil e popular "ser grego" de boca do que de facto.

    ResponderEliminar
  7. Comentário anterior de razoável perspectiva e lucidez! Diz mais do que o cabotino do Prof. Bruno, espécie de Acácio alentejano! Todavia, deve ser salientado que os governos sociais-democratas da Grécia é que arruinaram o país... Falar todos falam, mas não apresentam alternativas, a não pagar a dívidas em "suaves prestações"... Revolucionar a economia, combater os interesses das multinacionais protegidas pela UE, isso ninguém fala... Esquerdistas que não falam ou projectam a revolução, que vestem roupa de marca (sem gravata!) e andam a botar asneiras por tudo o que é sítio é o que mais há!!!

    ResponderEliminar
  8. Nem de propósito! O Governos Grego acaba de anunciar CORTES radicais!

    Afinal o Berloque de Esquerda que convidava o Tsipras a vir espumar da boca em Portugal, situa-se exatamente onde??
    Haverá partido mais estúpido e hipócrita que o Berloque?

    ResponderEliminar
  9. POR FAVOR!
    Mandem-me calar os gajos do Bloco de Esquerda! Ainda não começaram a cega rega e já estou farto.

    ResponderEliminar
  10. Eu sou grega! Pq desde a primeira vez que pisei nessa terra mágica me apaixonei, pelo povo, pela comida, pelas ilhas. Força Grecia, do fundo do meu coração eu torço por ti!

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.