quarta-feira, 27 de maio de 2015

BIME adiada para o ano por falta de apoios


Como o acincotons já havia informado há alguns dias, vem agora o CENDREV confirmar que, ao contrário do que estava previsto, este ano não haverá a Bienal Internacional de Marionetas de Évora, marcada já para o início do próximo mês de Junho. Promete o CENDREV que haverá BIME em 2016 e 2017. Vamos a ver.

Comunicado do CENDREV:

Ouvirem mandar que mandava o meu xinhor qu’este ano não xe torna aqui a dar advertimentojinho nesta caja e neste pobo.
Qu’há muntos xervixinhos p‘ra xe fajere qu’inda qui xe non fijeram.

Quando afirmamos que os cortes na cultura não destroem só o que existe, destroem o que fica impedido de existir, é disto mesmo que estamos a falar.
Para que Évora possa assumir o papel de cidade de cultura, com dimensão no espaço regional, nacional e internacional, será necessário uma estratégia de intervenção cultural que deverá passar, entre outros eixos, por um calendário de eventos que a cidade já acolheu como seus, como é notoriamente o caso da BIME – Bienal Internacional de Marionetas de Évora.
Qualificar a vida cultural da cidade pressupõe apostar nas dinâmicas criadas pelos agentes e incentivar as práticas dos artistas locais e de outros que se possam cá instalar. A imagem de Évora como cidade de cultura resulta fundamentalmente das iniciativas dos programadores e criadores locais – nas artes do espectáculo (música, teatro, dança), nas artes plásticas, no cinema, na valorização do património – o mesmo se diga da própria vivência quotidiana da sociedade eborense, não negligenciando o impacto económico e turístico decorrente destas actividades.
Trabalhámos, empenhadamente, desde Outubro de 2014 no sentido de descortinar a forma de garantir as condições necessárias à concretização de mais uma edição da BIME, todavia, quando nos transmitiram que a opção seria os financiamentos do novo quadro comunitário e posteriormente conhecemos os calendários para a apresentação das candidaturas, percebemos logo que esta edição da Bienal de Évora estaria em perigo. Ainda se concretizaram mais um conjunto de contactos institucionais sem, no entanto, se conseguir encontrar uma solução.
Estranho é que, passados todos estes anos, a sua organização continue suspensa de decisões pontuais, determinadas por avaliações arbitrárias de um número infinito de interlocutores com quem recorrentemente conversamos, desde a sua primeira edição em 1987. Não nos revemos, naturalmente, numa visão da Cultura e da Arte em que se distingue agentes de público, onde se separa em compartimentos diferentes criadores e espectadores, em que a uns cabe a produção, a outros o consumo. Estamos convictos de que a experiência directa da criação cultural e da expressão estética é a garantia mais segura e rica de uma fruição profunda e plena.
Os Bonecos de Santo Aleixo são os dignos anfitriões da festa das marionetas que a cidade Património Mundial já se habituou a viver, daí que não seria esta a notícia que gostaríamos de dar, mas os caminhos tortuosos porque passa a cultura no nosso país, determinados seguramente pela malfadada crise, empurraram-nos para esta decisão: não haverá BIME este ano, mas queremos anunciar simultaneamente a concretização da sua 13ª edição em 2016, de 31 de Maio a 5 de Junho e o acerto do calendário da BIME com a 14ª edição, de 30 de Maio a 4 de Junho de 2017. Este compromisso é possível devido ao acordo firmado entre o Cendrev, a Câmara Municipal de Évora, a Entidade Regional de Turismo e a Direcção Regional de Cultura do Alentejo.
Ao tornar pública esta situação, fazemo-lo na convicção de que a vida cultural da cidade é também uma preocupação do público que dela participa, bem como de toda a sociedade eborense.

Cendrev

4 comentários:

  1. CENDREV?
    Palhaços e centro associativo do PCP é o que eles são, à conta do meu dinheiro que pago em impostos!

    Se fosse outro partido na câmara, ofendiam tudo e todos pela falta de dinheiro.

    ResponderEliminar
  2. Universidade de Èvora

    passados três meses sobre a tragédia na instituição(morreu um funcionário,o outro continua em estado grave),ainda não foram constituidos arguidos os responsaveis.

    Será que este CRIME vai ser arquivado?

    ResponderEliminar
  3. Palhaçada de comunas!
    Agora percebo porque é que o sindicalismo na Cuba é treta.

    Se fosse outro partido qualquer na câmara, não faltaria o habitual chinfrim, a busca de culpados, mais toda a bósta que lhes salta da boca quando são os outros a ter que gerir parcos recursos

    ResponderEliminar
  4. Façam agora levantamentos de rancho à porta da sede do PCP, seus cobardolas ideológicos

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.