quarta-feira, 8 de abril de 2015

Sobre os leilões de gado em Évora: esclarecimentos da entidade organizadora


Vem a Direcção da AJASUL – Associação de Jovens Agricultores do Sul, entidade organizadora dos leilões semanais de bovinos de Évora, solicitar a Vexa a publicação do seguinte texto ao abrigo do Direito de Resposta.

“ Os leilões semanais de bovinos são organizados em Évora às Terças Feiras desde há mais de 50 anos no espaço do antigo Iroma. Leilões estes que nasceram das Terças-Feiras do dia de são porco onde na Praça do Giraldo se negociava gado semanalmente.
Em 2009, por razões económicas e financeiras a entidade que os organizava deixou de existir, e os produtores pecuários ficaram órfãos desta valência na cidade. Évora não tem nenhum outro espaço agro-pecuário capaz de servir uma das mais, senão a mais representativa actividade do Município, do Concelho e do Distrito.
Em 2012 a pedido de inúmeros Agricultores, a AJASUL iniciou “démarches” para a iniciar a actividade de leilões no recinto a isso destinado na cidade. Após consultadas as entidades competentes, e haver luz verde, investimos milhares de euros e em Outubro de 2013 iniciámos actividade.
O Processo de Licenciamento do espaço deu entrada em Agosto de 2013, e segundo a legislação do NREAP é permitido às explorações funcionarem em fase de licenciamento, fase na qual ainda estamos.
Em Novembro de 2014 e Fevereiro de 2015, foi publicada em Diário da República legislação que revoga a citada pela Associação de moradores do condomínio da Rua do Iroma.
Os moradores do referido condomínio, ao momento de adquirirem as suas casas, puderam atestar a proximidade das mesmas relativamente a um espaço cuja única valência sempre foi a de acolher semanalmente animais desde há 50 anos, pelo que a realização dos mesmos não pode de forma alguma ser uma surpresa ou um espanto. Embora reconheçamos que sofrem de facto alguns incómodos, a AJASUL tenta minimizá-los ao máximo, e cumpre escrupulosamente um plano semanal de limpeza e desinfecções legalmente exigido. 
Os Leilões semanais de bovinos em Évora não são um luxo ou uma teimosia, são uma necessidade, e uma actividade que beneficia directamente os produtores pecuários, mas que traz semanalmente centenas de pessoas a Évora e dinamiza todo o tecido económico local
A AJASUL já manifestou às entidades competentes vontade de saír deste espaço, tendo para isso que se capitalizar para fazer face a um elevadíssimo investimento noutro espaço, por isso esta localização será sempre temporária.
Não estamos a pedir que nos construam um novo parque, apenas tempo para podermos ter possibilidades económicas de o fazermos nós.
Salientamos também que nunca em momento algum, qualquer morador individual, ou a dita associação de condóminos contactou a AJASUL no sentido de tentar dialogar, preferindo sempre entrar em guerilha com a AJASUL, o que muito lamentamos.
Por fim, salientamos que o título dado ao post no vosso blog “Évora contra a realização dos leilões de gado no espaço do IROMA”, é no mínimo sensacionalista e/ou falacioso, pois representa apenas a legítima opinião dos moradores do referido condomínio.

Com os melhores Cumprimentos

A Direcção

6 comentários:

  1. «Após consultadas as entidades competentes, e haver luz verde, investimos milhares de euros e em Outubro de 2013 iniciámos actividade»

    Sendo assim, se as "entidades" deram "luz verde" (no meu tempo emitiam autorizações e licenças!) está tudo bem!...

    Só gostava de saber, quem foram essas "entidades" que deram "luz verde" a que se gastassem milhares de euros numa zona que Plano de Urbanização em vigor, desde 2008, não permite?

    Enfim, mistérios insondáveis!...

    ResponderEliminar
  2. Concordo em absoluto com este comunicado, pois há pessoas que levam o tempo a lamentar-se que Évora está morta economicamente, e quando alguém investe, seja no que for, vem logo os amigos da desgraça a reclamar aqui del' rei. é uma questão de ver os comentários sobre a Ambraer, os novos hotéis, o Centro Comercial, etc, etc.Mas já estamos acostumados, aqueles que nada fazem são os maiores inimigos daqueles que pretendem construir um futuro melhor.
    MdM

    ResponderEliminar
  3. As cavalariças da GNR são outro foco de mau cheiro permanente,até quando este atentado á saúde dos cidadãos?

    ResponderEliminar
  4. Estranho, ninguém fala do maior foco de mau cheiro permanente: a merda dos cães no meio das ruas. Porque será?

    ResponderEliminar
  5. Sobre a merda dos cães pede responsabilidade aos merdosos dos donos a quem falta a educação e o sentido de cidadania.
    Olha que alguns desses donos, até são senhores doutores.
    A. Gomes

    ResponderEliminar
  6. Tem toda a razão e merece uma vénia !

    O Diretor da AJASUL está cheio de razão , a culpa de Évora não ter nada organizado em termos de Parque de Feiras e Exposições e um Centro Comercial em condições , por isso anda o comercio de centro comercial espalhado por barracões em Évora e mercados igualmente espalhados pelo Iroma e Rossio .


    Quanto mais devo acrescentar que o meu condomínio fica na rua da GNR e está lá um terreno sem construções onde precisamente as Doutoras e Doutores que moram no IROMA e se queixam da AJASUL invocando leis , elas não as cumprem porque metem os seus cães e gatos a fazerem merda aqui à nossa frente sem e como a lei invoca , as apanharem em saco .

    Primeiro , vejam o que tem em casa e depois queixem-se dos outros !

    Luis Guerra

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.