terça-feira, 28 de abril de 2015

Recordar António Gancho esta terça-feira na Sociedade Harmonia Eborense


3.ª feira 28 Abril. 22h15. 


Hoje, 3.ª feira, estão de volta à Sociedade Harmonia Eborense as Tertúlias de Sofá.
A conversa fluída e informal volta aos sofás da SHE.

Em Abril é um poeta eborense que nos dá as palavras – António Gancho, reconhecido como "revelação sólida da poesia". O homem enigmático que viveu quase toda a sua vida em instituições psiquiátricas e dizem, morreu a rir.
Para aguçar o apetite - o primeiro parágrafo de "As dioptrias de Elisa":
«Elisa não podia casar. As dioptrias de Elisa eram muito grandes. Na vista esquerda tinha 16 dioptrias e na direita 13. Tinha miopia e astigmatismo. Era míope. Mas esbelta, gorda, no entanto engraçada. Luís é que a pretendeu, andou atrás dela e casou com ela. Mas toda a gente dizia que Elisa não podia casar, era muito míope. Só Luís conhecia os seus sentimentos, a sua esbelteza em mulher gorda e forte, a levou para a cama e casou com ela. Luís dizia enquanto namoraram - «Eu quero-te Elisa, porque te amo muito.» Elisa aceitava e respondia, - «Luís, mas sou muito míope.» (...) Era em Évora que se passava a acção, era em Évora que isto se dava».

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.