quarta-feira, 8 de abril de 2015

Indignação de um Eborense.


Bem, Évora em termos políticos já parece o poder central, digamos a política do azar. Na oposição todos têm as soluções, mas no poder fazem exatamente igual. 
Quando a CDU estava na oposição fartou-se de ter soluções para o espaço entre as Portas da Lagoa e as Portas de Aviz em relação ás casas degradas anexas à muralha que delimita o Centro Histórico. Em termos técnicos a 2ªfase do programa Polis, Sub-Fase2. Fartou-se de se opor (e bem), quando o PS apresentou um plano de requalificação que incluía a reconstrução das casas velhas e abandonadas que se encontram anexadas à muralha. Defendeu assim, que toda essa construção abandonada, velha e em risco de derrocada deveria ser demolida, e a muralha nos troços inexistentes ou nas partes em que foram abertas portas e janelas das habitações para o interior (Rua do Muro,) esta deveriam ser reconstruidos com técnicas específicas. Isso sim seria a opção correta. 
Na altura em que o pequeno troço esburacado junto à rua da Lagoa foi todo ele rebocado (mandato CDU) ninguém falou, nem entidades públicas, nem mesmo os cidadãos (falta de tecnologia para divulgar provavelmente). 
A anterior Câmara PS cometeu inúmeros “golpes” contra o património histórico da cidade. Abriu buracos na muralha onde era desnecessário (entre CCDRA e Portas de Alconxel), autorizou construção como o Prédio de S. Domingos junto ao teatro com uma altura duvidosa, autorizou obras como a demolição da fachada do museu dos coches para dar lugar a uma fachada horrível do ponto de vista estético, e etc. 
A Câmara CDU, partido do qual eu sempre tive a ideia de ser dos mais respeitosos pelo património histórico cometeu assim o seu primeiro grande golpe contra o Património da Humanidade de Évora. Praticamente autorizou construção nova com materiais novos de uma habitação e com uma chaminé altíssima em frente a uma muralha medieval que delimita um Centro Histórico Património da Humanidade. 
Não sei que técnicos ou arquitectos tomam conta dos destinos da cidade. Sinceramente pior que isto não esperava desta Câmara. Évora tens mesmo AZAR, já não há quem te salve. E agora, onde andam entidades responsáveis pelo Património Histórico de Évora? E agora já não há cartas à Unesco a denunciar estas situações? Fica anexada a esta mensagem a foto que denuncia o "atentado".


44 comentários:

  1. «o PS apresentou um plano de requalificação que incluía a reconstrução das casas velhas e abandonadas que se encontram anexadas à muralha»
    ERRADO. O PS propôs a demolição de parte dos prédios anexados às muralhas. A declaração de utilidade pública, com vista à expropriação, foi aprovada e publicada em Diário da República. Porque não se concretizou a expropriação talvez alguém saiba explicar, ainda que não seja difícil de adivinhar...

    Na altura em que o pequeno troço esburacado junto à rua da Lagoa foi todo ele rebocado (mandato CDU) ninguém falou, nem entidades públicas, nem mesmo os cidadãos (falta de tecnologia para divulgar provavelmente).
    ERRADO. Tratou-se de uma iniciativa da extinta Direcção dos Monumentos do Sul (entidade pública com jurisdição sobre as muralhas), que foi objecto de várias reuniões na cidade entre diversos intervenientes (incluindo a ex-Junta Autónoma de Estradas, proprietária do edifício) e algumas delas abertas à participação da população.

    A anterior Câmara PS cometeu inúmeros “golpes” contra o património histórico da cidade. Abriu buracos na muralha onde era desnecessário (entre CCDRA e Portas de Alconxel), autorizou construção como o Prédio de S. Domingos junto ao teatro com uma altura duvidosa
    ERRADAS e mais que duvidosas são estas afirmações.

    A Câmara CDU... Praticamente autorizou construção nova com materiais novos de uma habitação e com uma chaminé altíssima em frente a uma muralha medieval que delimita um Centro Histórico Património da Humanidade.
    ERRADO. Qualquer obra no Centro Histórico tem de ter aprovações de DUAS entidades: a DRCA e a CME. Estando em conformidade com os Planos, não havendo ilegalidades nem irregularidades, nenhuma dessas entidades pode recusar a aprovação de um projecto. Muito menos com alegações subjetivas e dúbias.

    Não sei que técnicos ou arquitectos tomam conta dos destinos da cidade.
    Não sabe isso nem, com se viu, muitas outras coisas. Quem "toma conta" do Centro Histórico são a DRCA e a CME, como se referiu atrás.

    Enfim um texto repleto de desconhecimento, imprecisões e referências erradas, a merecer destaque. Sim senhor, este blogue continua por bom caminho...

    ResponderEliminar
  2. Mandar uns bitates a dizer que as casas são para demolir muito é fácil. Difícil é arranjar dinheiro para as pagar.
    Eu confesso já, que não tenho vontade nem posses para ajudar a comprar as casas e pagar as demolições. Mas gostava de saber com quanto é que o senhor que reclama, está disposto a contribuir.

    ResponderEliminar
  3. Que o senhor esteja indignado com qualquer coisa que não entendi, tenho de aceitar.
    Agora que anda uma grande confusão de datas e responsáveis, atribuições e competências, deveres e obrigações, bocas de café e declarações públicas de organizações, direito privado de propriedade e direito público de expropriação, disso não tenho quaisquer dúvidas.

    Diria mesmo, que é um post excelente para atiçar a canzoada que enxameia as caixas de comentários... Vamos a ver se me engano.

    ResponderEliminar
  4. joaquim palminha silva09 abril, 2015 02:35

    A informação comentário das 23,33 é seguramente oficiosa, pelo que não percebo porque tem de ser anónima... O importante, não é apontar erros, miudezas legalistas, desconhecimento de processos burocráticos, etc., ao
    comentário do cidadão, de forma a escapar ao essencial: - O que está efectivamente mal, seja responsabilidade directa da DRCA ou da CME!
    O cidadão não tem de saber isto e aquilo ao pormenor, quem tal tem de saber são os profissionais que trabalham nessas áreas... e os políticos profissionais que se têm habilitado a preservarem a cidade... e só tem feito disparates!
    joaquim palminha silva

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O importante é conhecer a verdade, quer ela nos venha por via anónima ou não.
      O importante é o cidadão conhecer quem são os verdadeiros responsáveis pela gestão da cidade, para na próxima oportunidade corrigir o seu voto, em vez de atribuir culpas de acordo com preconceitos e dogmas errados.
      Pelos vistos, o artigo subscrito e publicado com destaque pelo acincotons está completamente ERRADO.

      (já agora, aquele troço de muralha é medieval?)

      Eliminar
  5. Se o cidadão não tem de saber isto ou aquilo ao pormenor - e aceito que assim seja - para quê então aquele arrazoado de siglas, acusações a esmo, identificação de programas que chegam até, imagine-se, à “Sub-Fase2” (talvez para dar um ar de conhecimento profundo da matéria), ainda por cima, uma parte delas, erradas?

    Só não disse o que era importante saber: donde viria o dinheiro para compra da dita casa e pagamento da respectiva demolição!

    ResponderEliminar
  6. "Na altura em que o pequeno troço esburacado junto à rua da Lagoa foi todo ele rebocado" ainda me lembro de ter participado numa reunião pública, dirigida pelo Arq.º Fernando Pinto dos Monumentos do Sul, onde se explicou aquela solução e as razões porque foi tomada.
    Não me recordo, que tenha havido contestação dos intervenientes nem ou outras soluções em cima da mesa. Mas, pelos vistos, passados 20 anos, há quem não esteja de acordo.
    Muito bem. Venham as propostas e quem as financie.

    ResponderEliminar
  7. O Baluarte (portas de Avis) foi alvo de limpeza,mas a intervenção podia e devia ser mais profunda.

    Arranjo do portão,retirada da cerca que constitui um Atentado ao Património,e a retirada do outdor que tapa a visibilidade ao baluarte.

    derrube da barraca em tijolo.

    o espaço é propridade da JAE que não sabe cuidar de tão valioso Património.

    O espaço é propriedade da JAE,

    ResponderEliminar
  8. Quem cuida da muralha junto da escola de emfermagem?

    está a cair aos bocados,PERIGO para quem passa diariamente na av.São João de Deus.

    ResponderEliminar
  9. Diz um comentador:
    «A declaração de utilidade pública, com vista à expropriação, foi aprovada e publicada em Diário da República»

    Se está em vigor uma declaração de utilidade publica, com vista á expropriação de casas anexadas às muralhas alguém sabe responder a três perguntas simples:
    - Que entidade pública fez essa Declaração?
    - Em que ano foi feita?
    - Desde essa data, até hoje, quantas casas foram efetivamente expropriadas?

    Se tivermos respostas a estas perguntas, creio que ajudaremos o "eborense indignado" a aliviar as suas desconfianças e irritações.

    ResponderEliminar
  10. O diretor da Escola de Enfermagem deve de solicitar as entidades competentes uma intervenção no troço das muralhas.

    O PERIGO de uma tragédia pode acontecer ,ele como profissional de saúde deve ter essa sensibilidade.

    ResponderEliminar
  11. Igreja de Santo Antão ..............o desleixo,irresponsabilidade do poder central.

    ResponderEliminar
  12. Para o PCP na Câmara desde que sejam amigalhaços ou financiem o partido haverá sempre luz verde para toda a espécie de falcatrua. Tão verdade como, mesmo que não haja dinheiro para nada, haverá sempre para transportar os camaradas para comicios do partido ou manifestações de rua. Já era assim com o dr. PInto de Sá em Montemor e continua a ser em Évora. Ser camarada é o que está a dar.

    ResponderEliminar
  13. A casa em causa só pode ser dum grande amigo do vereador Luciano, ou de algum grande militante do PCP, nenhum outro eborense conseguiria ver aprovado um projeto com uma chaminé daquelas dimensões, relativamente ao prédio.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A não ser que morasse na rua de machede, fosse um amigalhaço de sua excelência, e tivesse construído um "galinheiro" no terraço. Nesse caso podia!

      Eliminar
  14. ui....tocaram na "excelência" do PCP e os funcionários ficaram nervosinhos. Como sempre aliás

    ResponderEliminar
  15. Construção nova? Aonde?
    Aquilo que vejo é a recuperação de uma construção existente há décadas.

    Já me fartei de olhar para a foto e não consegui ver o dito atentado.
    Deve ser defeito meu, pois o fotógrafo é certamente excelente.

    ResponderEliminar
  16. OS Comunistas da Câmara, das "N" desculpas:
    - A culpa é do PEL;
    - Foi uma situação que já vinha da pesada herança;
    - Esta CME não tem nada a ver com isso;
    - Os particulares é que são os responsáveis;
    - A iniciativa de criar trabalho é dos privados e não da CME que não tem que dar condições;
    - ETC

    Mas a câmara do PCP é afinal responsável pelo quê?

    ResponderEliminar
  17. Começo hoje mais uma feira Medieval. A 6ª.
    Outra iniciativa vinda da pesada Herança...

    ResponderEliminar
  18. A câmara de Évora do PCP lembra Sketch dos gato fedorento..."...ah e coiso...e tal...falam falam...mas não os vejo a afazer nada.."

    Nos meus quase 50 anos, nunca vi em Évora um poder camarário tão inconsequente, aborrecido, espertalhaço (foge das responsabilidade com todas as nanhas que a lei permite), inoperante, improdutivo...até me faltam adjetivos.
    Porra!
    Se a culpa é do PAEL, porque foram a votos??? Tinham dito ao POVO: NÃO governamos com este PAEL e por isso não vamos a jogo.

    ResponderEliminar
  19. O acincotons atira um osso, e os cães fazem uma festa.
    Também têm direito, não é?
    Mas a caravana não pára.

    ResponderEliminar
  20. Vamos lá a ver se o nosso presidente da CME resolver o problema do roubo da TOS nas taxas do gás natural por parte dos ladrões da galp. Vai haver uma reunião com a galp(ladra) Erse supostamente para regular e não ajudar o ladrão(a), mas que toma posição em favou de quem supostamente devia vigiar, bandidagem o Sr. Presidente vai tentar que os ladrões naõ roubem tanto

    ResponderEliminar
  21. Rua de Machede,em pleno Centro Histórico,antigo assessor da gestão PS,colocou na varanda um autêntico "galinheiro",passem por lá,tirem foto.

    ResponderEliminar
  22. Parque do Teatro Garcia de Resende construido um condominio na gestão PS.

    autêntico "caixote".......................nem ccdr,drc se pronunciaram............

    ResponderEliminar
  23. 83 MILHÔES de divida..................Obra Zero..............foi o legado do PS.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então era 90 milhões ou 85 milhões?

      E o legado do PCP para o PS foi de quanto? 15 milhões de contos?
      Se havia muitas dividas, porque é que o PCP concorreu prometendo mundo e fundos? Não teriam sido mais honestos e dizerem, "meus amigos, não temos condições de governar, por isso ficamos de fora"? As desculpas para tapar a incapacidade são lixadas.

      Eliminar
    2. Comunas à rasca !
      Ja perceberam que nao vao renovar o mandato nao é ?

      Eliminar
    3. As dívidas estão devidamente documentadas e aprovadas na Assembleia Municipal. Os números já foram mais que esclarecidos e nunca serão alterados, por mais repitam a mentira do senhor Dr. Ernesto.

      Quanto às promessas EFECTIVAMENTE feitas (e escritas em programa eleitoral) estão a ser cumpridas e serão avaliadas pelos eborenses na altura própria.

      E não pensem que voltam lá com MENTIRAS NOVAS! Os eborenses ficaram cansados de 12 anos de mentiras.

      Eliminar
    4. Promessas cumpridas?
      Onde?
      Para começar, já pularam fora das Aguas do Centro Alentejo?

      Eliminar
    5. 19.21
      Precisamente pelos eborenses terem ficado cansados de 12 anos de mentiras, é que voces vao embora ao fim de 4 anos. Depois de 12 anos de mentiras os eborenses nao querem mais. E voces ja vao com 2. Faltam mais 2 e depois vao fazer companhia ao Zé do cano, que estamos farto de mentiras.

      Eliminar
  24. Porque eles insistem na mentira, sou obrigado a insistir na reposição da verdade.
    Os números extraídos das contas de gerência que traduzem a evolução do endividamento da CME são os seguintes:

    2001 - 37 milhões de Euros
    2002 - 38 milhões
    2003 - 39 milhões
    2004 - 41 milhões
    2005 - 42 milhões
    2006 - 44 milhões
    2007 - 45 milhões
    2008 - 49 milhões
    2009 - 70 milhões
    2010 - 68 milhões
    2011 - 79 milhões
    2012 - 74 milhões
    2013 - 83 milhões
    2014 - 89 milhões de Euros

    Como se vê, a dívida em 2001, não era de 15 milhões de contos, mas sim de 7 milhões de contos.
    A dívida de 15 milhões de contos só foi atingida em 2011, 10 anos após o início da gestão PS.

    E, para os desconfiados, volta-se a esclarecer que, se houvesse contas enganadas, de certeza que o PS a teria corrigido logo em 2003 ou 2003, após a tomada de posse. Se não o fez é porque a dívida de 15 milhões efectivamente não existia.

    Sendo assim porque insistem?
    Porque essa gente convive com a mentira com a mesma naturalidade com que respira. Para eles não interessa se é mentira ou verdade, desde que sirva os objectivos que pretendem atingir, por mais rasteiros que sejam.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Camarada

      Há muitas maneiras de enganar ou acertar as contas.
      Se determinada "tarefa" era contabilizada à parte e posteriormente passou a integrar o rol "normal", é natural que num acerto as contas disparem.
      Só alguém do poder anterior o poderá esclarecer. Eu sou apenas um humilde cidadão, não funcionário púbico, que não quer ser enganado por funcionários partidários nem propagandas saloias.

      Pelas suas contas, no ultimo ano o PCP aumentou a divida em 7 milhões de Euros. Pelo andar da carruagem vai ultrapassar os 100 milhões até ao final do mandato. O Pinto de Sá não vinha com a missão de pagar dívidas e fazer obra? Afinal nem paga dividas nem tapa os buracos das ruas, pelo menos. O Pinto de Sá não vinha para mandar às malvas as Águas do Centro Alentejo? Ou era mais uma fantochada do PCP para caçar votos?

      A Câmara anterior fez uma mau negócio com as Águas. É certo. Mas o PCP não prometeu resolver a situação? É que muita gente votou na CDU na esperança de ver resolvida a questão da água. Não defraudam as pessoas...
      Mas se alguma dessa divida acumulada, foi para desenvolver a infraestrutura que permitiu à EMBRAER (e outras que já se seguem e outras que se seguirão), criar um pólo nacional Aeronáutico, então é uma dívida justificada, pelo menos para mim.

      Será que algum dia o seu partido PCP vai conseguir criar condições de trabalho em Évora para minimamente tornar o futuro mais risonho para a juventude?

      Eliminar
    2. Enquanto a água der um prejuízo anual de 5 milhões de euros, a dívida não poderá baixar!
      A não ser que, à boa maneira do PAEL, os 5 milhões de euros sejam incluídos nas facturas dos consumidores.

      Eliminar
    3. 08:50
      «Há muitas maneiras de enganar ou acertar as contas»

      As contas, não sei se reparaste, entre 2002 e 2013, foram feitas pelo PS.
      Se a dívida que dizem ter recebido na "pesada herança" fosse verdadeira (15 mil contos: +/-75 mil euros), tê-la-iam inscrito nas contas em 2002 ou 2003.
      O quem temos nesses anos são 38 milhões de euros, metade do que dizem que era a dívida.

      Ou seja: andaram a MENTIR aos eborenses durante todos estes anos. E, mesmo agora, com a careca bem à mostra, continuam a querer atirar areia para os nossos olhos.

      Eliminar
    4. Há realmente muitas maneiras de enganar as contas.
      Não andaria cá o PCP a esconder contas (a lei não o brigava a ser mais transparente) que depois o outro elenco foi obrigado a mostra-las em 2005/2006/2007?
      O Português andou anos e anos a mamar ilusões só porque algumas contas não contabilizavam para o deficit. Quando foram obrigados a ser transparentes, veio a bancarrota

      Eliminar
    5. Se as contas estivessem realmente enganadas, o PS, logo em 2002, no máximo em 2003, tê-las-ia corrigido, ou não?

      Ora, na verdade, o que dizem as contas é que SÓ EM 2010 (quase 10 anos depois do PS estar a dirigir a autarquia) é que a dívida atingiu os valores que o PS dizia existirem em 2002.

      Essa foi uma das GRANDES MENTIRAS do PS, ao longo de 12 anos (e, pelos vistos, mesmo perante a evidencia dos números, insistem em negá-los)... Assim não voltam lá!...

      Eliminar
    6. Se não era obrigado a corrigir nada, porque havia de voluntariamente corrigir o que supostamente o outros não fizeram?

      Nada me diz que não existiam dividas paralelas permitidas

      Eliminar
  25. a casa reconstruida junto a muralha e com aquela chaminé ou e obra clandestina ou então se aprovado só pode ser de um amigo do PCP ou do vereador Luciano

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deves estar a confundir com o tempo em que assessores do presidente faziam impunemente "galinheiros" no terraço. Só pode.

      Eliminar
    2. Ui!... tens muita, mas mesmo muitaaaaaaaa... razão. No Alentejo, as chaminés costumam ser muitoooo pequeninas e atarracadas!

      E, já agora, se tivesses lido - e não fosses um dos ressabiados que ainda não perceberam porque os eborenses decidiram o que decidiram há 2 anos - saberias que aquele projecto teve a aprovação conjunta da Câmara Municipal (e não me consta que os vereadores PS e PSD, tenham votado contra!) e da Direcção Regional de Cultura do Alentejo.
      Portanto vê se te tratas, porque assim, com comentários tão absurdos, fica ainda mais longe de atingir os teus objectivos. É que, ao contrário do que julgas, os eborenses não são estúpidos.

      Eliminar
    3. O Partido Comunista mais uma vez nunca tem culta de nada.
      O PCP já deu o quê exatamente a esta região?

      Eliminar
  26. @20:50
    Afinal as dívidas no mandato do PCP aumentam em vez de diminuir!

    A promessa, não era o Presidente Pinto de Sá - professor de economia na universidade, que disse aos seus concidadãos de Montemor o Novo antes do mandato terminar, que se ia embora da Câmara para ir dar aulas - amortizar a dívida e fazer obra?

    A mentira tem perna curta.
    Enganou os de Montemor para fazer ascender um camarada de partido desconhecido, e engana os de Évora. Nem faz obra - as vias públicas são uma miséria, as obras das arcadas apesar da propaganda não andam de maneira nenhuma, o património continua a cair de podre, a bosta das bestas nas vias é património natural, os investimentos privados inaugurados vêm ainda do tempo da pesada herança e a dívida aumentou quase 10 milhões de Euros em apenas 1 ano!

    Este elenco ainda aqui a fazer exatamente o quê?

    ResponderEliminar
  27. Afinal parece que quem escreveu o artigo até tem razão no que respeita ao "Programa Polis, 2ªfase, Sub-fase2. Se o primeiro troço entre as Portas de Alconxel e Lagoa, lhe foi dado o nome de sub-fase1, acredito que a seguinte que seria entre as Portas da Lagoa e Aviz seja a sub-fase2. Mas infelizmente apesar da evolução do ensino, existem pessoas que ainda não sabem a ordem dos números...Fica o Link para quem quiser ficar um pouco mais informado provavelmente como quem escreveu o artigo fez antes de escrever:

    http://www.consdep.pt/consdep/index.php/reabilitacao-e-patrimonio-arquitetonio/123-arranjos-exteriores-junto-as-muralhas-evora?jsn_setmobile=yes

    ResponderEliminar
  28. Com que então não houve um atentado ao Patrimonio entre a CCDRA e as Portas de Alconxel??

    http://maisevora.blogspot.pt/2010/06/agora-felizmente-que-voltaram-abrir.html

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.