quinta-feira, 5 de março de 2015

Cerimónia de Entrega do Prémio Vergílio Ferreira 2015 a Lídia Jorge


Esta quinta-feira, dia 05 de março, pelas 17h00, tem lugar na Sala de Docentes do Colégio do Espírito Santo (CES) da Universidade de Évora (UE) a cerimónia de entrega do Prémio Vergílio Ferreira 2015. Este ano o galardão distingue a autora d’ A Costa dos Murmúrios, a escritora Lídia Jorge, que vai estar a partir das 11h30 na UE para uma Sessão Aberta, juntamente com os escritores Eduardo Lourenço e Fernando Pinto do Amaral.
Ficou escrito em ata que “o júri decidiu atribuir o Prémio à escritora Lídia Jorge, autora de O Dia dos Prodígios, e à obra, que até hoje continuou, dedicada desde então a uma revitalização realista e onírica da vida e da sociedade portuguesa pós-25 de Abril, numa rara convergência entre a singularidade do tempo que é ainda o nosso e a sua vocação de universalidade.”
A cerimónia tem início às 17h00 e conta com a presença da escritora e do júri do Prémio que pretende homenagear o escritor de Aparição, este ano composto pelos Professores António Sáez Delgado (Presidente), Eduardo Lourenço, Fernando Pinto do Amaral, António Cândido Franco e Elisa Esteves, diretora do Departamento de Linguística e Literaturas da UE.
O dia que a UE dedica à entrega do Prémio começa com uma Sessão Aberta com Lídia Jorge, Eduardo Lourenço e Fernando Pinto do Amaral a partir das 11h30 na sala 131 do CES,estando previsto para as 12h30 uma Sessão de Autógrafos com Lídia Jorge, com a presença da livraria Fonte das Letras.
Após da cerimónia vai ainda ser inaugurada uma exposição evocativa dos autores galardoados com o Prémio desde o seu início, instalada no Claustro da Cisterna.
Instituído pela UE em 1997, o prémio Vergílio Ferreira foi atribuído pela primeira vez a Maria Velho da Costa, a que se seguiram, entre outros, Mia Couto, Almeida Faria, Eduardo Lourenço, Agustina Bessa Luís, Vasco Graça Moura, Mário Cláudio, Luísa Dacosta, José Gil e Hélia Correia. (nota de imprensa)

3 comentários:

  1. Tenham Vergonha,Demitam-se foram responsaveis pela Tragédia da passada sexta-feira.

    Merda de País,que não consegue PRENDER esta trupe de Mediocres e Imconpetentes que Desgoverna as instituições publicas.

    ResponderEliminar
  2. Tragédia na Universidade.


    Lamentavel a subserviência feita por alguns,a vitima da tragédia não merece.

    ResponderEliminar
  3. Branquear os acontecimentos na Universidade é uma tentativa de o CRIME passar impune.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.