sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Acidente de trabalho mortal na Universidade de Évora


Um morto e dois feridos, um deles em estado grave, num acidente de trabalho esta manhã na Universidade de Évora. Uma máquina que estava a ser usada por estes trabalhadores (que efectuavam a poda de algumas árvores) terá caído numa rampa, provocando assim o acidente. Os órgãos de informação nacionais já estão a noticiar o ocorrido.

21 comentários:

  1. Demissão da vice-reitora....JÁ.

    ResponderEliminar
  2. Incúria quem fiscalizava o abate de árvores e ainda por cima em terreno inclinado sem as sapatas lançados?
    A UE alugou a máquina e arregimentou supostos jardineiros(pau para toda a colher para poupar)
    Quem é a chefia intermédia que supostamente devia verificar a segurança do trabalho?Alguém colocado pelo arco da ingovernabilidade, sem experiência sem ser colar cartazes e lamber as botas do que está imediatamente acima.A UE é algum monte rural, ou uma casa onde há especialistas, desde engenheiros a arquitectos e com doutoramentos.
    Em última instância a Sr Reitora também pelo menos a nível hierárquico é culpada pelo menos moralmente. Todavia neste desgraçado deste país a culpa vai morrer solteira.
    Todavia até o suposto líder da oposição(Tonho Costa) acha que o país está melhor, quem nos livre destes biltres, há dinheiro para quem joga na bolsa(Bancos, PT) e quejandos e não há dinheiro para o ensino para a saúde e para as pessoas mais fágeis .
    Só me resta uma consolação estes capitalistas de pacotilha vão morrer afogados em notas de euros

    ResponderEliminar
  3. Só me admira ninguém culpar a câmara pelo sucedido.

    (1 na televisão do estado dedicam grande atenção ao fim do bloqueio de Cuba, "malvados comunistas", como se Cuba é que tivesse mudado; 2 os crimes do BES, as vítimas que foram enganadas e roubadas, o prejuízo para o estado, e para nós todos, passam em branco; 3 mas podemos estar descansados porque a RTP1 vai passar a transmitir os jogos internacionais, à nossa custa, para nos manterem alienados e alheados dos crimes de que somos vítimas)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Malvados comunistas"?
      Se dúvida nenhuma e sem aspas. Olhai A "democrática" Coreia do Norte

      Eliminar
  4. Ministério publico deve constituir como arguidos vice-reitora e dir.dos ser.tecnicos,é o minimo que se exige num ESTADO de DIREITO.

    ResponderEliminar
  5. A culpa é da troika e do governo de traição nacional

    ResponderEliminar
  6. As declarações da Reitora aos orgãos de comunicação social são execráveis.


    Tenha vergonha DEMITA-SE.

    ResponderEliminar
  7. É de lamentar estes acidentes!!
    Alguém sabe o nome do Sr que faleceu?? Disseram que era de Valverde, como estudei na Universidade devia de conhecer. Obrigado!

    Pêsames à familia e colegas de trabalho.

    ResponderEliminar
  8. As Bestas estão no Poder na Universidade.

    ResponderEliminar
  9. A negociata da concessão do parque de jogos da universidade(que privou o acesso a maior parte dos alunos),acaba por estar na origem da tragédia,a Universidade nunca se preocupou com a poda dos platanos,foi feita agora por motivos de dinheiro,cair ramos secos nos campos de jogos não dá jeito,até agora podia fosse no parque de jogos ou no de estacionamento(os funcionários para esta gente não conta),com a concessão tudo mudou,o dinheiro é quem mais ordena.

    Era bom que as autoridades investigassem esta concessão do parque de jogos

    quem autorizou a poda das arvores

    quem foi o imcopetente que Obrigou os trabalhadores a fazer este serviço sem o minimo de condições de trabalho.

    A Vida para esta gente não tem valor,o dinheiro "fala" mais alto.

    ResponderEliminar
  10. Espero que desta vez os responsaveis sejam levados á justiça e Expulsos da função publica.

    ResponderEliminar
  11. Senhora Prof. Ausenda depois desta tragédia deixou de ter condições de continuar no cargo,demita-se e tenha a humildade de pedir desculpas por tamanha tragédia(a senhora é a responsavel máxima dos ser.tecnicos).

    ResponderEliminar
  12. A máquina utilizada terá sido adquirida a uma empresa falida.

    A máquina estava em condições de funcionar ?

    Esta máquina serve apenas para tranportar materiais.

    Assim sendo estamos perante um CRIME


    Responsavel:reitora.


    tudo o resto é atirar "areia" para os olhos dos cidadãos.


    Espero que se faça JUSTIÇA e a responsavel seja PUNIDA.

    ResponderEliminar
  13. A Ausenda desde o acidente desapareceu.....................Medo?

    ResponderEliminar
  14. A miuda que dirige os serviços tècnicos onde estava ?

    Ao menos conhece os trabalhadores que estão sobre a sua tutela ?

    Não admira que estas tragédias aconteçam com responsaveis destes.

    ResponderEliminar
  15. Antigamente a UE tinha um curso de Regente Agrícola.
    Agora chama-se Agronomia, que é mais fino, para filhos de proprietários.
    Cursos que em principio deveriam ensinar as boas técnicas e os cuidados a ter em todas as actividades agrícolas.
    O que este acidente questiona e indigna cidadãos e encarregados de educação é que:
    1
    Estando a universidade apetrechada com maquinaria e mão de obra, porque não faz ela os serviços, e poupa os seus recursos?
    2
    Que raio anda a universidade a ensinar aos jovens, para depois acontecerem acidentes mortais como este, dentro da própria universidade?
    3
    Que utilidade é que têm estes cursos?
    4
    Quem é que gere este manicómio?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Antigamente a UE tinha um curso de Regente Agrícola.
      Agora chama-se Agronomia, que é mais fino"
      Compara o curdo de Regente Agrícola com o de Agronomia, é compara o olho do C.. com a feira de Borba.O curso de Regentes agrícolas era ao nível de 7.º ano do Liceu ou do complementar das escolas comerciais.O curso de Agronomia, qe sempre existiu e continua a existir são cursos de licenciatura de cinco, sim cinco anos e não três como hoje há por ai.O Curso de regentes agrícolas era o chamado curso para "burros", pois normalmente quem ia para lá eram aqueles estudantes que andavam dois e três anos para tirar o 5.º ano do liceu, se o pai era remediado, os pobres não iam para o liceu, dizia eu, se os pais eram remediados esse aluno normalmente fazia-se à vida, ou seja deixava de estudar e ia para o mercado de trabalho, sim nessa altura ainda era possível ir para o mercado de trabalho, por outro lado se era filho de Lavrador ou alguém endinheirado ira tirar o curso de regente agrícola, que era dado na Mitra, em Valverde. Com o 25 de Abril, com o governo de Vasco Gonçalves ganharam o estatuto de Engenheiro Técnico Agrícola, mas normalmente eram tratados como os Senhores Engenheiros. Havia mesmo quem dissesse que esses sim eram engenheiros enquanto que os Licenciados em Agronomia não eram nada,na verdade estupidez e presunção cada um tem a que quiser.
      MdM

      Eliminar
    2. 1
      Estando a universidade apetrechada com maquinaria e mão de obra, porque não faz ela os serviços, e poupa os seus recursos?
      2
      Que raio anda a universidade a ensinar aos jovens, para depois acontecerem acidentes mortais como este, dentro da própria universidade?
      3
      Que utilidade é que têm estes cursos?
      4
      Quem é que gere este manicómio?

      Eliminar
  16. Espero que se faça Justiça e esta Escumalha seja Punida severamente.

    ResponderEliminar
  17. OS ACIDENTES DE TRABALHO MORTAIS ESTÃO A AUMENTAR NO NOSSO PAÍS

    Hoje, dia 27 de Fevereiro na Universidade de Évora ocorreu um infeliz
    acidente de trabalho que vitimou trabalhadores, entre os quais um
    mortalmente e outro em estado grave. Desde já o Sindicato dos
    Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Sul e Regiões
    Autónomas lamenta profundamente a ocorrência deste acidente e expressa
    profunda solidariedade aos familiares e colegas de trabalho das
    vítimas.

    O STFPSSRA alerta que a redução dos tempos de descanso e a
    intensificação dos ritmos de trabalho que está a pôr em causa os
    direitos dos trabalhadores e a deteriorarem as condições de trabalho,
    inclusive em matéria de segurança e saúde no trabalho, podem
    contribuir para mais situações de acidentes laborais.

    Perante a realidade da crescente sinistralidade nos locais de trabalho
    reafirmamos que é urgente e necessário começar a agir de forma mais
    drástica em relação às entidades empregadoras que, no quadro de
    crise económica regressam a práticas de incumprimento das normas SST
    desinvestindo nesta área, e voltando a considerar a prevensão dos
    riscos profissionais como um custo a reduzir ou a eliminar.

    Alertamos ainda:

    para a falta de preparação dos trabalhadores que muitas vezes
    conhecem insuficientemente o trabalho e os respectivos riscos e não
    são devidamente informados e formados para tal;

    para a imposição crescente dos horários de trabalho excessivamente
    prolongados e ritmos acelerados de trabalho;

    para a insuficiente fiscalização por parte das entidades
    competentes, nomeadamente a ACT, paralisada ou diminuída na sua acção
    por ausência de recursos humanos e materiais.

    PORQUE A VIDA HUMANA NO TRABALHO TEM O MESMO VALOR E DIGNIDADE E MERECE
    O MESMO RESPEITO DO QUE EM QUALQUER OUTRA CIRCUNSTÂNCIA DA VIDA

    Évora, 27 de Fevereiro de 2015

    A Delegação de Évora do

    Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Sul e
    Regiões Autónomas

    ResponderEliminar
  18. acincotons não deu destaque ao comunicado do sindicato..........Medo ?

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.