domingo, 4 de janeiro de 2015

Recordar um amigo: Mário Botas!


            Mário Botas nasceu na Nazaré, a 23 de Dezembro de 1952… E faleceu em Lisboa no ano de 1983… Mas eu não o esqueci, pois foi artista com que me identifiquei sobremaneira e co ideias muito, mas muito, convergentes com as minhas… A ele devo a fabulosa ilustração de um Eça de Queirós distraído cônsul de Portugal em Cuba, completamente distante da luta pela libertação do povo cubano do colonialismo espanhol, para o meu ensaio sobre o escritor (O Nosso Cônsul em Havana: Eça de Queirós, Lisboa, 1981), cuja imagem se reproduz.


            O Mário formou-se pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (1975), mas creio que não chegou a exercer ou exerceu pouco profissão de médico. Artista plástico inclassificável, possuidor de uma bagagem cultural e literária pouco habitual entre os nossos artistas plásticos, as suas ilustrações para obras de vários autores portugueses tornaram a sua arte uma verdadeira preciosidade interpretativa.
            Expôs individualmente na Galeria de S. Mamede (Lisboa) em 1973. Trabalhador incansável e diversificado, em Setembro de 1977 foi-lhe diagnosticado a doença oncológica que pôs um prazo fixo ao seu plano de vida. Mário decidiu então dedicar o tempo que lhe restava inteiramente à pintura.
De Fevereiro a Agosto de 1978 viveu em Nova Iorque, tendo exposto na Galeria Martin Sumers. A partir de 1980 voltou a Lisboa. Entre Junho e Setembro de 1983 instalou-se em Sintra, trabalhando sempre, numa ânsia constante de dar tudo de si. O agravamento da doença levou-o a voltar a Lisboa, onde veio a falecer a 29 de Setembro de 1983.
Mário Botas não pediu a demissão da vida, por isso pintou como quem vai viver muito: - E vives muito, meu bom amigo!

          Joaquim Palminha Silva


4 comentários:

  1. Á atenção dos serviços de água e Saneamento da CME.
    Na Rua D. Bosco no ponto de entrega de água à escola Salesiana, corre água a via pública há meses.
    Desleixo, incompetência por parte técnica dos serviços camarários, sabendo que a água de abastecimento está caríssima desperdiçar um bem essencial fere susceptibilidade de quem lhe é muito dificil paga-la vê.la assim a correr.
    Facto surgido últimamente já não escorre ao longo da rua vai direita para a caixa da PT, que está junto.
    Urge pôr cobro porque a situação é até pelo facto de ter meses torna-se vergonhosa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. joaquim palminha silva05 janeiro, 2015 11:12

      Oiça lá! - Não tinha outro local para fazer reparos à CME? Francamente!!! É preciso ser ou muito ignorante ou mal educado!!! Ou as duas coisas!!!

      Eliminar
  2. "Á atenção dos serviços de água e Saneamento da CME".
    Mas este blog e a sua caixa de comentários são o livro de reclamações da Câmara? Este anónimo já comunicou à Câmara aquilo que descreve aqui? Ou gosta apenas de mandar uns bitaites?

    ResponderEliminar
  3. Sr. Joaquim Palminha faz-me lembrar a velha seca e os miudos, se os miudos não se metiam com a velha a velha metia-se com eles.
    Não esteja tanto de mal com o mundo, depois insurge-se que o insultam vc também insulta, o Sr Palminha não é dono do Blog, mas também não queira mandar num blog que não é seu.
    Chamar ignorante e mal educado a uma pessoa que não o está a ofender, olhe vá para o mais Évora aí já não há ignorantes nem mal educados

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.