sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Comunicado do PS/Évora: Acabaram-se as desculpas do PAEL


O anterior executivo da Câmara Municipal de Évora, com os votos favoráveis dos eleitos do PS e do PSD, recorreu ao Programa de Apoio à Economia Local (PAEL) para obter financiamento a juros favoráveis que lhe permitissem pagar aos seus fornecedores o que lhe era devido.
O actual executivo camarário de maioria CDU tem vindo a aplicar aos Munícipes as taxas e derramas pela percentagem máxima legalmente prevista, com o argumento que só assim procede porque a legislação que este governo PSD/PP criou para o PAEL, a isso obriga.
Para ultrapassar esta situação, os eleitos do PS na Assembleia Municipal de Évora recomendaram, na sessão do passado dia 28 de novembro de 2014, à Câmara Municipal de Évora que devolvesse aos seus Munícipes, em especial aos mais carenciados, o montante total que cobra a mais em taxas e derramas, através dos seus serviços sociais e educativos contribuindo assim para melhoraras condições de vida de muitas crianças, jovens, idosos e desempregados no Concelho.
Esta recomendação teve os votos favoráveis dos 13 eleitos do PS, os votos contra dos 13 eleitos da CDU e do único eleito do Bloco de Esquerda (que assim desempatou) e as abstenções de 3 eleitos do PSD e de 1 eleito da CDU.
Infelizmente, quem perdeu foram os Munícipes.
Em contrapartida, a partir de agora sempre que a CDU vier com a conversa do PAEL, estamos conversados…
Évora, 4 de dezembro, de 2014
A Presidente da Concelhia de Évora do PS

Elsa Teigão

50 comentários:

  1. Este comunicado é a mais baixa manifestação de cinismo, e populismo, de que tenho memória. É lamentável, o estado a que chegou o PS de Évora.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é comparável ao que este executivo camarário tem feito com as Juntas de Freguesia no processo de delegação de competências. Isso sim, cinismo e populismo de quem não sabe o que anda a fazer. Programa eleitoral comunista? Onde é que ele está?

      Eliminar
  2. Tomaramos nós que fossem desculpas.
    Infelizmente os efeitos de uma governação inenarrável só acabam daqui a 19 anos!
    Até lá vamos ter de pagar, através do IMI e das taxas máximas, as incompetências e os desvarios da governação inenarrável de quem não nem vergonha na cara tem. Se tivessem um mínimo de vergonha, poupar-nos-iam a comunicados ridículos.

    ResponderEliminar
  3. A senhora militante do partido de Sócrates não venha Ofender os Eborenses.

    Fizeram divida e "amarraram" a autarquia a pagar impostos no máximo durante longos anos.

    ResponderEliminar
  4. O seu partido deixou a autarquia na bancarrota,fez Negócios Ruinosos(água) tenha Vergonha não diga disparates.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A memória é tão curta que se apagam as excentricidades e os despesismos do século passado, esses sim, hipotecaram o futuro da cidade por muitos anos.

      Eliminar
  5. Quem aprovou o PAEL ?

    ResponderEliminar
  6. O PARTIDO de Sócrates.

    ResponderEliminar
  7. O cinismo e a falta de chá deste comunicado do PS até arrepia.
    Fizeram o mal e agora fazem a caramunha.

    ResponderEliminar
  8. Tem razão a senhora Teigão, estamos conversados e bem conversados.
    Não há razões para conversas com quem nos meteu a todos nesta embrulhada e não tem a humildade (ou será capacidade?) para o reconhecer.

    Ou pensarão que o que aconteceu nas eleições de há um ano atrás resultou de um fortuito acaso?

    ResponderEliminar
  9. Não sei se devo rir com a piada deste comunicado, se devo chorar diante da desfaçatez e falta de vergonha de quem o subscreve...

    Durante 12 anos seguidos estes senhores do PS falaram e desculparam-se com uma dívida que sua excelencia, o Dr. José Ernesto inventou.
    Agora não querem que se fale de uma dívida real que eles criaram e que vai afectar todos os eborenses durante duas décadas.

    Não sei se devo rir, se chorar.

    ResponderEliminar
  10. Percebe-se que tinham de dar sinal de vida. Mas, assim, começam mal.
    Com estes argumentos estapafúrdios não convencem nem as próprias mães.

    Sugestão: Porque não começam por pedir desculpa aos eborenses pelo apoio que deram, a um pantomineiro?
    (refiro-me ao Zé de Cá e não ao Zé de Lá, agora temporariamente por Cá por razões que a justiça saberá…)
    Porque não começam por “enviar para a reforma” as Fernandas, os Capoulas e os Henriques de Cá, assim como outros espécimes que estiveram, de uma forma ou de outra, ligados à (des)graça que ocorreu por Cá, entre 2002 e 2013?
    Porque não se retractam e tentam convencer os eborenses que não voltam a repetir a (des)graça que ainda está bem viva na nossa memória colectiva?

    ResponderEliminar
  11. Só uma ou duas perguntas:
    Este PS é um partido recém criado, ou é o mesmo que esteve à frente dos destinos da CME e que amarrou os eborenses às condições leoninas do PAEL?
    Este PS é um partido recém criado, ou é o mesmo que defendia a impossibilidade de dar subsidios e apoios, sociais e culturais, devido às imposições do PAEL?

    Por favor, haja alguém que esclareça de onde veio ou quando foi fundado este PS.

    ResponderEliminar
  12. Esta tarde o secretário merece o dinheiro que recebe. Escreveu mais de uma dezena de comentários contra o PS. O Diamantino paga-lhe no fim do mês.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando as coisas não correm bem, a culpa nunca é da mensagem, é sempre do mensageiro.
      Já era assim na Antiguidade clássica.

      Eliminar
  13. Li e reli o comunicado e, confesso, não percebi onde querem chegar.
    Se calhar ainda não estão recompostos do choque da prisão do Sócrates.

    ResponderEliminar
  14. Será que a Comissão Concelhia do PS sabe realmente os efeitos e as consequências do PAEL que o PS propôs e aprovou?
    Saberá que este PAEL obriga a CME a definir taxas e impostos nos seus valores máximos durante 20 anos?
    Saberá que o PAEL obriga a CME a reduzir anulamente a carga salarial e as depesas gerais da autarquia em cerca de 3%?
    Saberá que o PAEL impede a CME de recorrer a fundos comunitários para realizar os investimentos de que precisa?

    Se não sabe, ao menos que vá ler os comunicados e as intervenções de quem avisou a tempo sobre as consequências do PAEL.

    ResponderEliminar
  15. Insinuar que se resolvem as malfeitorias do PAEL com a devolução daquilo que se cobra a mais em impostos e taxas, através de subsídios escolares ou socias, confesso que nunca me passaria pela cabeça. É mesmo preciso muita imaginação para avançar com tal proposta absurda. Mal comparado é como aqueles malucos que querem endireitar a sombra da vara torta… sem tocar na vara.

    Mas será que não há ninguém na Travessa da Alegria capaz de perceber a falta de senso deste comunicado e da votação do PS contra os valores do IMI, que resultam das obrigações assumidas e votadas por este mesmo PS?
    Há muitas maneiras de dar tiros nos pés. Esta não me passaria pela cabeça.

    ResponderEliminar
  16. Julgo poder deduzir-se do comunicado que este PS está contra o PAEL que o PS que esteve à frente da câmara negociou e aprovou. Pelo menos está contra as consequências do PAEL. De outro modo não viria propor que a CME "devolvesse aos seus Munícipes, em especial aos mais carenciados, o montante total que cobra a mais em taxas e derramas"

    No fundo é um comunicado do PS contra o PS. O PS da Elsa Teigão a acertar contas com o PS do Zé Ernesto. Se assim for, vai ter muitas contas para acertar. É que ainda páram por lá muitos daqueles que apoiaram a suportaram o PS do Zé do cano.


    Pelo menos

    ResponderEliminar
  17. Fico espantado com tanta indignação. Desta gente esperavam outra coisa? Acho que o melhor deles todos ainda é o que está a passar "férias" ali na cadeia.

    ResponderEliminar
  18. «O actual executivo camarário de maioria CDU tem vindo a aplicar aos Munícipes as taxas e derramas pela percentagem máxima legalmente prevista, com o argumento que só assim procede porque a legislação que este governo PSD/PP criou para o PAEL, a isso obriga.»

    Repare-se no cinismo e demagogia desta gentinha.
    O PAEL resulta de uma malandrice legislativa do governo PSD/PP, aplicada pelos malandros da maioria CDU. Os coitadinhos do PS não têm nada a ver com assunto. Não foram eles que levaram a câmara à falência, obrigando a pedir um empréstimo (PAEL) de 32 milhões de euros, nem foram eles que negociaram e aprovaram as condições de adesão da CME a esse empréstimo.

    «os eleitos do PS ... recomendaram ... à Câmara Municipal de Évora que devolvesse aos seus Munícipes, em especial aos mais carenciados, o montante total que cobra a mais em taxas e derramas»

    Ou seja, os (actuais) eleitos do PS estão contra os montantes que a câmara "cobra a mais" em resultado de uma decisão dos (anteriores) eleitos do PS. Uma guerra entre membros da mesma família, está-se mesmo a ver.
    Ao menos que tivessem a cautela e a dignidade de manter o conflito dentro das paredes da sede Travessa da Alegria. A vizinhança não precisava nem quer saber o estado em que se encontram as relações familiares.

    ResponderEliminar
  19. Não sei quem é a senhora (Elsa Teigão), mas se eu fosse dirigente do PS mandava-a calar imediatamente e pedia desculpa por este "comunicado" que até seria hilariante, não fosse o caso tão sério!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hilariantes são comentários como o seu que de tão comunista que quer ser acaba por cair no ridículo!

      Eliminar
  20. Espera aí a ver se percebo: Devido à anterior gestão esta Câmara é obrigada a cobrar o máximo de impostos, e a solução apresentada pela oposição (anterior gestão) é devolver via subsídios, esses impostos?! E com isso a dívida fica saldada?! Mas está tudo doido, ou a vergonha acabou de vez?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que a vergonha não acabou de vez.
      Acho muito difícil acabar aquilo que nunca existiu. Pelo menos na última década nunca lhes vi um pingo de vergonha pelas muitas mentiras proferidas nem pelos tristes resultados obtidos com as suas políticas.

      Eliminar
  21. A dez euros por comentário, o secretário da "cdu" está a ganhar a vidinha. Não faz mal que se veja que é sempre o mesmo.

    ResponderEliminar
  22. Não percebes? Olha que é fácil se perceber:
    1) Se o PC não quer o PAEL é fácil resolver o empréstimo e voltar tudo à estaca zero - ou seja acumular dívidas por não haver dinheiro para pagar;
    -2) Se o PC diz que só aumenta o IMI e outras taxas municipais porque é obrigado pelo PAEL (não porque tenha necessidade de dinheiro) é claro que a proposta do PS faz sentido - redistribuam esse valor (que nos dizem ser obrigatório por lei) na forma de prestações sociais.
    É fácil de compreender. Só que o PC e os seus secretários querem fazer a quadratura do círculo: colocar o odioso do empréstimo no PS e, ao mesmo tempo, arrebanhar os cobres do PAEL, o que é o mesmo que dizer, ganhar com as duas mãos, ainda com a vantagem acrescida de poderem sempre invocar o PAEL para não fazerem qualquer tipo de obra nem de investimento.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. «querem colocar o odioso do empréstimo no PS»
      Querem colocar?
      Então não foi o PS que fez o empréstimo PAEL e assinou o contrato que obriga a câmara e os eborenses às suas consequências... durante 20 anos?

      Eliminar
  23. É com declarações destas que se esconde o passado recente! Infelizmente a memória dos eleitores é curta!

    ResponderEliminar
  24. Ó 09:08 achas que são todos parvos?

    Esta Câmara está OBRIGADA por leis da República a cobrar o máximo de impostos!
    E isso é consequência da dívida contraída pela gestão PS.
    Se essa dívida não existisse não seria certamente cobrado o máximo, e nem seria necessária utilizar a solução idiota do PS.

    Percebeste agora que nem todos são parvos?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não são todos parvos porque alguns são mesmo burros. A dívida acumulada pelo PS acresce à herança calamitosa que a CDU do Abílio e amigos deixou! Ou acha mesmo que somos todos parvos ou burros???

      Eliminar
  25. A "solução" do PS é ilegal, equivaleria a uma não cobrança de impostos por parte da Câmara.
    Mas é útil ver o PS reconhecer que o PAEL que acordou com o governo representa, e representará por muito tempo, um agravamento da fiscalidade e um fardo odioso sobre os eborenses.

    ResponderEliminar
  26. é os 15 milhões de dividas que os comunas cá deixaram?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda não te explicaram que a mentira mil vezes repetida, não se transforma em verdade?!

      Eliminar
  27. Quem cobra impostos ao máximo é porque não têm competência nem imaginação para mais. A comunalha é assim. "Socialismo" de merda. Por eles mandavam a iniciativa privada para a privada...felizmente nada podem fazer mais senão almejar uma autarquia ali, outra acolá.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem assinou um acordo (PAEL) que obriga os eborenses a pagar impostos no máximo durante 20 anos devia estar na cadeia, a fazer companhia ao Sócrates. Eles e mais meia dúzia de fascistas que arruinaram o BES, a PT, a EDP e outras empresas que já foram portuguesas.

      Eliminar
  28. 06 Dezembro, 2014 18:57
    A tua escrita está ao nivel das tuas ideias (de merda)

    ResponderEliminar
  29. A falta de honestidade e o descaramento desta gente está à altura da desonestidade e descaramento do criminoso que está preso na cadeia de Évora.
    De facto, pertencem todos à mesma associação criminosa.

    ResponderEliminar
  30. Será que esta "cena" germinou na cabeça do Henrique naquele período em que o Zé o colocou ao seu serviço. Teve tempo para tudo !

    ResponderEliminar
  31. Gastam o pouco e as alternativas de ajudar os pobres com a CULTURA,no fim dos 4 anos vamos ver para onde foi canalizado o dinheiro da autarquia de Évora.
    O ps não tem vergonha negocio o pael teve a sua concordância,em 2010 muitas autarquias estavam a beira da falência,muitas gastaram milhões em rotundas repuxos e festas uma orgia total.

    ResponderEliminar
  32. Estava-se a ver.
    A Comunalha deixou cá 15 milhões para pagar e os que vieram sentiram-se no "dever" de continuar o despesismo sem deixar retorno. Comunismo e Socialismo é isso mesmo: torrar dinheiro à tripa forra não produzido por eles, com os correligionários e as quintinhas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. «15 milhões para pagar» e património (terrenos e infraestruturas) que davam para pagar isso e muito mais.

      Só que, após 12 anos de descalabro PS, o património que havia foi dado ao desbarato (*) e a dívida subiu para mais de 80 milhões.

      (*) só para se ter uma noção do descalabro PS, veja-se quanto recebeu, na negociação com as Águas de Portugal, a câmara de Castelo Branco pelas infraestruturas do concelho (60 milhões de euros) e quanto recebeu a câmara de Évora (cerca de 10 milhões, quando valia pelo menos 30 milhões).

      Eliminar
    2. Seja sério e recorde a herança comunista do Abílio... Hoje fala-se de 90 milhões de défice que são da responsabilidade dos socialistas, mas 70 desses 90 vêm do século passado!

      Eliminar
    3. Ser sério é coisa que as gente dos PS não sabem o que seja. Mentem e, mesmo perante a clareza dos números, repetem a mentira como se ela por ser repetida mil vezes se transformasse em verdade.
      As contas aprovadas em Assembleia municipal e confirmadas pelo revisor oficial de contas não deixam quaisquer dúvidas sobre a mentira construida e mil vezes repetida pelo mentiroso que conduziu a câmara de Évora à ruína.

      Eliminar
  33. Anónimo das 10:45
    Até podia estar de acordo, não fosse a sua afirmação "torrar à tripa forra não produzido por eles". Ora se bem sei, a grande maioria, senão a totalidade dos comunistas são trabalhadores, e os socialistas se não são a grande maioria, são no mínimo a maioria. Ou seja, comunistas e socialistas são aqueles que trabalham, logo aqueles que produzem, pois até hoje ainda não vi nenhum "capitalista" dar ao cabedal, muito pelo contrário nada produzem e são aqueles que mais roubam e fogem aos impostos.
    Du Monte

    ResponderEliminar
  34. Quem perdeu foi Évora e os Munícípes nos últimos 12 anos com o PS . Quer esta senhora branquear que foi o PS quem assinou o PAEL obrigando-nos a todos a pagar as taxas máximas ? Quer esta senhora e os responsáveis locais do PS pela assinatura do PAEL fazer crer que são estes que agora lá estão na CME que querem as taxas no máximo? A mim não me enganam porque eu lembro-me bem que quem votou a favor do PAEL foram os mesmos que agora o querem branquear : Troncho, Capoulas Santos, Paula de Deus, entre outros. Os mesmos que agora exigem que se retire dos documentos da CME as referências ao PAEL? E os outros é que apagam a memória, os outros, os estalinistas.... Os do PS não.... Depois de terem arruinado a CME, de terem esvaziado a cidade de qualquer dinâmica económica, cultural, desportiva ou social ainda devem achar que andamos todos distraídos ou que somos tolos.

    ResponderEliminar
  35. A D. Elsa, a mulher do Sr Padre Canha, acordou agora para a vida e não gostou ? Onda andava quando os seus amigos do PS Capoulas Santos ,Troncho , Zé Ernesto, Melgão e Claudia Pereira deicidiram contrair um empréstimo ruinoso chamado PAEL ?

    ResponderEliminar
  36. Depois de ler o comunicado do PS e todos os comentários que o mesmo suscitou, tenho de lamentar o nível de intervenção política a que assisti, ao ponto de se verificar uma total ausência de informação para os cidadãos, e se limitarem a ofender as pessoas, sem qualquer prurido em utilizar a vida pessoal de cada um como arma de arremesso. Não me parece descabida a proposta do PS, e gostava de ter sido informado porque é que a CDU não pode ou não quer utilizar aquele dinheiro, que cobra contrariada, para ajudar as pessoas? Isso era esclarecer os eborenses, agora o que aqui li, é deplorável, para os partidos, no caso em apreço, principalmente para a CDU e para o Sr. Presidente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se não te parece descabida a proposta do PS, então vou ali e já venho...
      Aliás vindo do PS, que nos enfiou a todos nesse rolo compressor que é o PAEL, nem admira.

      Eliminar
  37. Quem comete crimes, a primeira coisa é assumir a responsabilidade. E assim mostrar a consciência do mal praticado, o desejo de corrigir o prejuízo e de ressarcir as vítimas.
    A segunda coisa é colaborar com o executivo eleito para pagar a dívida da câmara, da sua responsabilidade, o mais depressa possível.
    A terceira coisa, se não quer ajudar, é ficar caladinho e não chatear quem está a trabalhar para libertar os eborenses das canalhices do PS.

    Se não concorda com isto, o melhor é aproveitar o fim de semana para ir visitar o Sócrates, outro criminoso que não se retrata nem se arrepende.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.