domingo, 5 de outubro de 2014

Gerindo desigualdades em saúde: como lidar com os desafios demográficos?


Para debater e obter respostas sobre este tema de tão grande relevância para a região do Alentejo, comum a tantas outras regiões europeias, a CCDR Alentejo convidou o Presidente da ARS, Dr. José Robalo, a participar na 12.ª edição dos Open Days, importante encontro de cidades e regiões europeias que ocorre anualmente na primeira semana de Outubro, em Bruxelas.
O workshop em que o Alentejo participa terá lugar no dia 7 de Outubro, entre as 9h00 e as 13h00, nas instalações da região polaca de Lodzkie, e será composto por intervenções introdutórias à temática feitas por individualidades europeias de referência na matéria, a que se seguirá um painel de intervenções e debate por personalidades convidadas de todas as regiões. 
O Dr. José Robalo fará uma intervenção sob o título Health resources management in adverse geodemographic contexts (Gestão de recursos de saúde em contextos geodemográficos adversos), temática que procurará responder à pergunta-chave comum aos participantes no workshop a que aderimos: Managing health inequalities - how to tackle the demographic challenges? (Gerindo desigualdades na saúde - como lidar com os desafios demográficos?)
Na presente edição, o Alentejo integra um conglomerado composto pelas regiões de Lodzkie (PL), que lidera, do Algarve (PT), da Extremadura (ES), da Sardinia (IT) e de Vysocina (CZ).
O objectivo do evento é, pois, a troca de conhecimentos e boas práticas sobre a forma como as regiões podem enfrentar as desigualdades em matéria de saúde e aplicar os resultados da investigação e de outras intervenções em benefício do desenvolvimento local e como ferramenta para enfrentar os desafios demográficos a nível da UE.
O tratamento desta temática, ainda nunca abordada pelo Alentejo em nenhuma das 7 edições anteriores em que participou, assume, assim, particular importância para a nossa região, dadas as suas características de território de baixa densidade que combina, negativamente, factores como um acentuado decréscimo e um forte envelhecimento populacional que colocam importantes problemas em termos de saúde pública, que neste encontro serão objecto de uma troca de informação e avaliação conjunta com outras práticas levadas a cabo em diferentes regiões europeias. 
Importará dizer que o Alentejo, no quadro das responsabilidades da ARS e em matéria de cooperação transfronteiriça - que poderíamos apelidar de segunda geração, dado o aproveitamento comum de recursos para a satisfação de necessidades e de melhoria do bem estar das população em contexto de fronteira -, leva a efeito, com a região vizinha da Extremadura, uma boa-prática no campo da assistência médica na gravidez e parto.
O evento finalizará com uma sessão de networking para analisar possíveis colaborações e parcerias para a realização de projectos europeus de interesse comum na matéria, aproveitando oportunidades abertas pela estratégia e pelos fundos comunitários associados ao Programa Europa 2020. Os temas a abordar por entre os participantes centrar-se-ão em torno do envelhecimento activo, do recurso às tecnologias móveis no campo da saúde, da segurança alimentar, da coordenação de acções em matéria de saúde e da monitorização e avaliação de projectos relacionados com a saúde.
O conglomerado possui uma página Web dedicada, http://opendays2014.lodzkie.pl/, onde se encontram, entre outros, informações sobre as regiões participantes, os temas a tratar ou o perfil dos oradores. 
Poderá obter uma informação completa, programa, registos e até seguir em directo os OD2014 em http://ec.europa.eu/regional_policy/conferences/od2014/index.cfm .(Nota de Imprensa)

4 comentários:

  1. Dr. José Ro(u)bá-lo?
    O Maçon?

    ResponderEliminar
  2. Esse senhor que tem aplicado a politica assassina do governo na area da saúde devia de ter vergonha e demitir-se,Robalo um "socialista" ao serviço do governo de extrema-direita.

    ResponderEliminar
  3. Já "vendeu " o hospital de Serpa ?

    ResponderEliminar
  4. basta por os tribunais a funcionar para os pobres se poderem defender dos fascistas e do comunistas,porque todos sao corruptos.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.