domingo, 19 de outubro de 2014

Em protesto pela falta de Auxiliares, esta segunda-feira os 350 alunos do Agrupamento de Escolas de Colos (Odemira) não vão às aulas.


ASSOCIAÇÃO DE PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE COLOS
NOTA DE IMPRENSA
Conforme reunião do dia 15 de outubro de 2014, onde estiveram presentes representantes da Associação de Pais, representantes de Turmas do Agrupamento e a Direção do Agrupamento, comunicamos deste modo o que foi decidido.
Paralisar todo o Agrupamento de Escolas de Colos, onde nenhum dos 350 Alunos se apresentará nas salas de aula, seja na sede do agrupamento seja nas escolas das freguesias vizinhas. Concentrando-se junto á escola sede do Agrupamento em Colos .
Atendendo à difícil situação de falta de pessoal no Agrupamento de Escolas de Colos; não havendo perspectivas de resolução do problema; estando em causa a segurança e vigilância dos alunos, a limpeza da escola, bem como o funcionamento com um mínimo de dignidade de todos os serviços do Agrupamento.
Informamos também que desde o inicio da semana os alunos das escolas do Primeiro Ciclo de Colos, não estão a frequentar as aulas. Agora é a vez de todo o Agrupamento se solidarizar com esta luta.
No dia 6 de Outubro a escola foi  encerrada a cadeado por desconhecidos e os alunos  ficaram sem aulas durante todo o dia.
Os Encarregados de Educação consideram que sem Auxiliares não existem condições de segurança para os Alunos.
Neste sentido foi lançado o seguinte desafio aos todos os Pais/Encarregados de Educação do Agrupamento:
Convidamos todos os Pais/Encarregados de Educação do Agrupamento de Escolas de Colos a estarem presentes, com os seus filhos, num protesto junto da Escola Sede, na próxima segunda-feira, dia 20 de Outubro, a partir das 8 horas .
Vamos todos manifestar o nosso descontentamento com a falta de Auxiliares nas nossas Escolas. Vamos paralisar o Agrupamento, serão 350 alunos a mostrar o seu descontentamento.
O Presidente da Associação de Pais
Pedro Gonçalves 
Colos, 16 de outubro de 2014

1 comentário:

  1. A "grande maioria" dos 350 alunos das escolas da freguesia de Colos, no concelho alentejano de Odemira, faltou hoje às aulas e manifestou-se com os pais para contestar a falta de auxiliares de ação educativa.

    O Agrupamento de Escolas de Colos, composto por quatro escolas do pré-escolar, seis do 1.º ciclo e uma dos 2.º e 3.º ciclos do Ensino Básico, está hoje "praticamente parado", porque "a grande maioria, cerca de 90%, dos alunos faltou às aulas", disse à agência Lusa o presidente da associação de país do agrupamento, Pedro Gonçalves.

    No âmbito do protesto, decidido e organizado pela associação, alunos, pais e encarregados de educação manifestaram-se hoje de manhã à porta da Escola dos 2.º e 3.º ciclos do Ensino Básico de Colos, a sede do agrupamento, para contestar a "difícil situação de falta de auxiliares" e exigir a contratação de pessoal, contou.

    Segundo Pedro Gonçalves, o protesto surgiu porque a falta de auxiliares no agrupamento, "um problema sem perspetivas de resolução", está "a pôr em causa a segurança e a vigilância dos alunos, a limpeza das escolas e o funcionamento com um mínimo de dignidade de todos os serviços do agrupamento".

    A Escola do 1.º ciclo do Ensino Básico de Colos "está sem auxiliar" desde o dia 06 deste mês e todos os 35 alunos, por decisão dos pais, faltaram às aulas durante a semana passada, "porque não há condições de segurança", e a Escola dos 2.º e 3.º ciclos do Ensino Básico de Colos "devia ter 12 auxiliares e só tem seis", lamentou.

    Hoje, dos 35 alunos da Escola do 1.º ciclo do Ensino Básico de Colos, só três compareceram e os restantes 32 faltaram às aulas, disse, referindo que a intenção dos pais é manter o protesto e não permitir que os filhos vão às aulas "até que o problema seja resolvido", através da colocação de uma auxiliar.

    Segundo Pedro Gonçalves, nos últimos dez anos, desde que a Escola do 1.º ciclo do Ensino Básico de Colos funciona no recinto da sede do agrupamento, "o Ministério da Educação nunca colocou uma auxiliar e tem sido sempre o município de Odemira a garantir o serviço e a colocar uma auxiliar".

    No passado dia 06 de outubro, a auxiliar da escola "entrou de baixa médica" e, desde então, os 35 alunos e dois professores, distribuídos por duas salas, estão sem auxiliar e há apenas uma outra funcionária disponibilizada pela Câmara de Odemira a dar apoio à hora de almoço, disse.

    Hoje de manhã, durante o protesto, o vice-diretor dos serviços regionais do Alentejo do Ministério da Educação apareceu "sem aviso prévio" na escola sede do agrupamento e disse que vai "reunir com a associação de pais para tentar resolver o problema", disse Pedro Gonçalves

    "Há um ano que a associação de pais tenta falar com os serviços e nada. Hoje, porque havia barulho, apareceram", frisou.

    A Câmara de Odemira, num comunicado enviado à Lusa, mostrou-se solidária para com a associação de pais do Agrupamento de Escolas de Colos, que exige ao Ministério da Educação a contratação de pessoal auxiliar de ação educativa para as escolas do 1.º e dos 2.º e 3.º ciclos.

    A autarquia também já aprovou, por unanimidade, na última reunião de câmara, moções apresentadas pelas freguesias de Colos e de Relíquias em defesa do ensino de qualidade e com condições para os alunos. (LUSA)

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.