domingo, 21 de setembro de 2014

Notícia do Correio da Manhã: Universidade de Évora sob investigação


Denúncia refere que há professores sem alunos que recebem ordenado.

O Ministério Público está a investigar a Universidade de Évora (UE). O inquérito foi instaurado pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Évora, depois de uma denúncia de eventuais irregularidades, confirmou ao Correio da Manhã fonte da Procuradoria-Geral da República (PGR).
Ao que o CM apurou, a denúncia refere que departamentos, como os de Química, Geociências, Pedagogia ou História, terão 15 a 17 docentes em excesso, uma vez que não há turmas suficientes. "Passaram a ter aquilo que agora se chama horários zero. Mais grave ainda é que estas pessoas não lecionam, não fazem investigação e passam os dias em casa recebendo o seu vencimento", lê-se na denúncia, em que é descrita também uma alegada falsificação de horários no departamento de Geociências para disfarçar a falta de aulas.
Segundo a denúncia, haverá ainda situações de "docentes que têm turmas muito reduzidas e horários com 5 ou 6 horas semanais". O departamento de Geologia terá cerca de 40 docentes quando no curso terão entrado apenas três alunos.
Além disto, são apontadas eventuais irregularidades nas contratações de professores para a universidade, sublinhando-se o facto de a atual reitora, Ana Costa Freitas, ter alegadamente contratado familiares para várias vagas. A mesma denúncia aponta estas irregularidades ao anterior reitor, Jorge Araújo.
O documento que serve de base ao inquérito do DIAP termina com a descrição de alegados churrascos ao fim de semana numa herdade que fica a oito quilómetros de Évora, onde a universidade tem um polo e onde viverá o administrador Rui Pingo.
O CM solicitou ontem ao final da manhã um esclarecimento à reitoria da Universidade de Évora, que até ao fecho da edição não respondeu.


Mal-estar entre os docentes

A investigação está a causar mal-estar entre o corpo docente e a reitoria. Há suspeitas de que as denúncias tenham partido de dentro da instituição. O CM sabe que os responsáveis da UE alegam que as mesmas não têm fundamento, pois nos últimos dois anos a Inspeção-Geral da Educação fez auditorias à UE que nada revelaram.


Universitários estão atentos
As denúncias estão a ser seguidas com atenção pelos estudantes neste arranque do ano letivo. "O conteúdo das denúncias é comentado. Mas, para já, não passam de especulação. Cabe às autoridades decidir se há matéria para investigação", referiu Luís Pardal, presidente da Associação Académica da Universidade de Évora.

Por Alexandre M. Silva, Sónia Trigueirão (aqui)

sobre este assunto ver também aqui

31 comentários:

  1. Afinal parece que onde há fumo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É evidente. Os docentes do ensino superior ainda perpetuam a ideia de que são elite, ou seja, a lista VIP, logo diferentes nos estatutos. Se nos outros níveis de ensino há horários 0 e mobilidade, porque não no ensino superior?!

      Eliminar
  2. o DIAP de Évora ?

    Não tem a mínima qualidade e capacidade para o assunto !

    Devia ter começado na PJ .


    Espero já : ARQUIVADO !
    Jorge

    ( ciclista )

    ResponderEliminar
  3. A "nomeação" da diretora dos serviços tecnicos já está a ser Investigado pelo DIAP ?

    ResponderEliminar
  4. A quadrilha de bandidos que faz lavagem de dinheiro com a igreja Metodista de Angola chefiada pela Ausenda Balbino e pelo Luís Sebastião tem que ser investigada pela Polícia Judiciária. Estes dois delinquentes têm que ser presos.

    ResponderEliminar
  5. EUREKA! Finalmente botaram a boca no trombone. Todo o mundo sabe que Ausenda Cascalheira Balbino e Luís Santos Sebastião dirigem uma quadrilha de lavagem de dinheiro com a Igreja Metodista de Angola. E a história das malas? Ninguém conta? E o dinheiro da obra dos Leões que Ausenda Cascalheira Balbino roubou? Ninguém fala?

    ResponderEliminar
  6. Ultima Hora:

    Serviços técnicos da Universidade estão a ser investigados,várias obras realizadas terão sido alvo de irregularidades dirigentes da UE podem vie a ser constituidos Arguidos.

    ResponderEliminar
  7. Balbina nomeia á socapa prof. sem horário para diretora dos serviços tecnicos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem é que ela nomeou? A que departamento pertence?

      Eliminar
  8. Esta gente não tem um PINGO de Vergonha.

    ResponderEliminar
  9. Prof.sem horário nomeada diretora de serviços.

    ResponderEliminar
  10. Afilhada da Balbina.

    ResponderEliminar
  11. Foda-se! Digam logo o nome da gaja porra. A Ausenda nomeou para diretora dos serviços técnicos a Maria Teresa Pinheiro-Alves porque a tipa não tinha horário e estava a receber sem fazer a ponta de um corno. Tenho o dito.

    ResponderEliminar
  12. é tudo dor de cotovelo, pelo que leio. Esta gente seria mais útil se arranjassem umas hortinhas para se dedicarem à agricultura. Não tem onde gastar o tempo vem para aqui inventar. O português é assim por natureza, invejoso e maldoso.
    Vamos entrar na apanha da azeitona, se quiserem dou trabalho e pago razoavelmente.

    ResponderEliminar
  13. A engenharia civil acabou, o que faziam à miúda?

    ResponderEliminar
  14. Nas outras universidades quem não tem horas para lecionar é dispensado. Aqui é diferente porquê? Os professores ficam a receber sem trabalhar porquê? São contratados sem concurso porquê? A reitora é tão séria que ainda vem a terreiro desmentir. Então venham consultar os editais, as actas, etc. Não podem porque não existem.....Bando de mentirosos!

    ResponderEliminar
  15. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  16. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  17. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  18. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  19. DIAP que investigue e Prenda esta Canalha.

    ResponderEliminar
  20. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenha cuidado e não diga disparates. Tem provas do que está a dizer e das afirmações que faz? Eu vou avisar a pessoa para que apresente Queixa-crime contra o proprietário deste blogue e para que se descubra quem foi que escreveu este comentário de baixo nível.

      Eliminar
  21. Isto é uma vergonha para o nosso país. O que é que a Polícia Judiciária anda a fazer?

    ResponderEliminar
  22. Eu já ouvi dizer que quem resolveu botar a boca no trombone e denunciar o que se passa dentro da UÉ são os apoiantes do anterior Reitor Carlos Braumann.

    ResponderEliminar
  23. os anónimos travestdos

    ResponderEliminar
  24. Não se compreende toda esta estupidez. Fonte da Secretaria e Estado do Ensino Superior confirma que existe um número anormalmente excessivo de professores na universidade de Évora. A lista está lá para quem quiser consultar. Alguém se fartou e denunciou. A UTAD dispensou vários docentes por falta de horários. Qual é o drama?

    ResponderEliminar
  25. Évora é linda a nossa cidade.O que temos em Évora?O que faz mexer Évora?
    A Capital do Alentejo.Querem destruir a nossa cidade. E por onde começar?!Onde haja prestigio e crie impacto.Beja, Portalegre, também o desejavam...o título de Património Mundial, o turismo, todo o movimento associado....agora PENSEM.
    Alguém quer destruir o que temos.Não entrem em filmes.

    ResponderEliminar
  26. Vamos a qualquer cidade ou região com Universidade e há uma união entre todos a apoiar a sua instituição quase como um Clube de Futebol de tratasse. Évora é uma excepção!!! Évora é aquela cidade do mal dizer, da inveja, dos partidos, não se conseguem unir em torno de nada. É um provincianismo que até dói e uma mesquinhez de "chicos espertos", Sejam livres, pensem pelas vossas cabeças, não se refugiam nas corporações (partidos), sejam por Évora e Instituições e respeitem o património que vos foi legado pelo passado.

    ResponderEliminar
  27. Tudo bem mas a Ausenda Balbino tem que ser responsabilizada pelos crimes de peculato.

    ResponderEliminar
  28. Anda tudo à briga, tudo a discutir e aos segredos. Digam logo a verdade porra. Quem denunciou as falcatruas da UÉ na PGR foi a ISABEL LEAL MACHADO do Centro Ciência Viva de Estremoz. Para quê tanto segredo.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.