quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Morreu Dinis Vital, antigo jogador do Lusitano de Évora


O antigo futebolista internacional Dinis Vital, que jogou no Lusitano de Évora e no Vitória de Setúbal, nos anos 1950 e 1960 morreu hoje, aos 82 anos, vítima de doença, disse à agência Lusa fonte hospitalar.
Segundo a mesma fonte, o antigo guarda-redes Dinis Vital estava internado numa unidade de cuidados continuados e deu entrada no serviço de urgência do Hospital do Espírito Santo de Évora, na terça-feira à tarde, tendo morrido na madrugada de hoje, devido ao agravamento do seu estado de saúde.
Dinis Vital nasceu a 02 de julho de 1932 na vila alentejana de Grândola.
Iniciou a carreira no clube da sua terra, o Grandolense, mas foi no Lusitano de Évora e no Vitória de Setúbal que se destacou no futebol nacional.
Sagrou-se campeão da II Divisão Nacional e alinhou na I Divisão com a camisola da equipa alentejana.
Mais tarde, transferiu-se para o Vitória de Setúbal, clube ao serviço do qual conquistou uma Taça de Portugal.
Como treinador, passou, entre outras, pelas duas equipas de Évora, Lusitano e Juventude, e esteve no Vitória de Setúbal como treinador de guarda-redes.
Em 1959, Vital vestiu, pela primeira e única vez, a camisola da seleção portuguesa num jogo amigável frente à Suíça, mas representou várias vezes a seleção militar de Portugal. (Lusa)

8 comentários:

  1. Um homem cordato. Paz à sua alma.

    ResponderEliminar
  2. Dinis Martins Vital "El Tigre de Évora" como foi apelidado em 29 de Junho de 1957 por uma importante Revista Desportiva, nasceu a 2 de Julho de 1932 na Vila Alentejana de Grândola.Por muito que se augure de melhor a qualquer criança, jamais os seus ascendentes e conterrâneos pensavam que naquele dia tinha nascido na Vila Morena um dos melhores jogadores do Futebol Português.
    A sua actividade futebolística começou na Época de 1946, quando com 14 anos de idade fez parte de uma Equipa do Grupo Desportivo Grandolense alinhando na posição de médio e interior direito, o que hoje se designa por médio ofensivo.
    Passou posteriormente para a posição de Guarda-Redes, por contingências e vicissitudes de que o próprio futebol é fértil. O Desportivo Grandolense foi fazer um jogo particular a Ermidas Gare uma Localidade vizinha, não tendo comparecido o Guarda Redes titular, pelo que teve que ser escolhido um substituto e em tão boa hora a escolha recaiu em Dinis Vital.
    Contudo tendo tido na sua vida muitos êxitos, não é menos verdade que tal só foi possível com muito trabalho e sacrifícios, a que não faltaram algumas contrariedades, começando desde logo quando devido às suas excelentes qualidades futebolísticas e, a idade não permitir a sua inscrição, ter sido inscrito com o nome de outro jogador sem ser do seu conhecimento e consentimento. Apesar disso quando a situação foi descoberta sofreu o competente castigo, só não sendo a pena mais gravosa, pelo facto de ter alinhado apenas num encontro e pelas atenuantes atrás referidas.
    Depois de cumprido o castigo rumou para Évora ingressando no Lusitano Ginásio Clube na Época de 1951/52 , sagrando-se Campeão Nacional da II Divisão, com consequente subida à 1ª. Divisão Nacional.
    Com a camisola do Lusitano efectuou a sua estreia em jogo de reservas contra o rival Juventude no Campo Sanches de Miranda, por curiosidade o Clube onde viria a iniciar a sua interessante e brilhante carreira como Treinador.
    Subiu à Categoria Principal a meio da Época, substituindo o então titular Manuel Martelo, sendo a partir daí o Dono e Senhor das Redes Lusitanistas até se transferir para o Vitória Futebol Clube de Setúbal na Época de 1966/67.
    Conseguiu com a camisola do Vitória grandes exibições e conquistou variadíssimos troféus, entre os quais uma Taça de Portugal quando os Setubalenses venceram no Estádio Nacional no dia 9 de Junho de 1967 a Associação Académica de Coimbra por 3-2, com golos de Guerreiro, José Maria e Jacinto João para o Vitória, tendo Celestino e Ernesto marcado para a Académica. Num jogo disputadíssimo o vencedor só foi encontrado após dois prolongamentos quando aos 144 minutos Jacinto João marcou o 3º. golo dos Sadinos.
    Se como jogador a sua carreira foi repleta de êxitos também como treinador/jogador e treinador principal conseguiu muitas vitórias, alguns Campeonatos e subidas de divisão em todos os escalões, sendo duas delas ao Campeonato Nacional da 1ª. Divisão.
    Defendeu as cores do Desportivo Grandolense, Lusitano e Vitória de Setúbal como jogador e, as do Juventude e Grupo União Sport de Montemor-o-Novo como Treinador/Jogador.
    Por sua vez como Treinador Principal orientou Juventude, Grupo União Sport, Farense, Ginásio de Alcobaça, Lusitano e Calipolense e, como adjunto e treinador de Guarda-redes o Vitória de Setúbal.
    Durante a sua carreira defendeu as Camisolas de todos os Clubes que representou com a mesma dignidade e honestidade, quaisquer que fossem as situações, bem como o Escalão em que actuavam.
    Por tudo o que foi, o que fez e, o que poderia ter sido pelas suas qualidades naturais e valentia aliadas a um espírito de sacrifício demonstrado nas mais diversas circunstâncias, actuando muitas vezes lesionado desde jogar com costelas partidas, malar e nariz com fracturas, terminamos congratulando-nos pela sua brilhante carreira, dizendo que somos dos que defendemos que tem muitas vezes mais valor merecer as honras e não as ter, do que tê-las e não as merecer, no bom sentido das palavras.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não esquecer o Atlético de Reguengos onde foi treinador durante duas épocas gloriosas , épocas de 1976/77 e 77/78. Paz à sua alma, que descanse em paz.

      Eliminar
  3. Que descanses em Paz amigo. Nunca tive grande relacionamento, era mais bom dia. boa tarde, mas em criança era o meu ídolo o grande guarda redes do Lusitano

    ResponderEliminar
  4. A Juventude é completamente néscia
    Há tertúlias de reflexão sobre o seu futuro, não esquecendo quase 45% de desemprego?
    O seu comportamento está ao nível do pré-primário. Urubus vagueiam de noite pela cidade, cigarro numa mão cerveja na outra humilhando os ainda mais néscios do que eles que se sujeitam a tais sevícias e humilhações.
    As suas atitudes dão vómitos, arrasam jardins , enquanto os gangs de marginais não violarem meia dúzia delas, porque andarem bêbedas e nuas ás 3 quatro da manhã estão sujeitas, embora se isso acontecer elas nem se vão lembrar.
    TENHO vergonha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que tem isto a ver com falecimento do "Grande" Vital ??
      Tenham vergonha...
      MdM

      Eliminar
  5. mesmo que lhe falte a sorte
    nas redes que defende agora
    não é mais suplente - é efetivo

    seu club finalmente a morte
    - incontornável club
    desportivo

    que nada agora lhe falte
    - nem um bom contrato
    nem mais que justa
    chamada à seleção

    ele - que só não defendeu
    o último penalty

    que o atirou
    definitivamente ao chão

    ResponderEliminar
  6. Para quando uma Rua com o nome do Vital?. há por ai ruas com nomes que ninguém conhece, que seria de bom tom, fazer uma justa homenagem a este GRANDE homem.
    Será que Cinco tons pode levar a efeito uma campanha nesse sentido?
    MdM

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.