quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Confirma-se: o "Pedro" NÃO exerceu o cargo de deputado em regime de exclusividade...


8 comentários:

  1. O título pretende ser irónico ou é mais uma das cretinices em que o acincotons é fértil?

    É que o drama e o que a declaração reproduzida mostra é que o "Pedro" SIM exerceu o cargo de deputado em regime de exclusividade...

    O que não o impediu de acumular com os avultados rendimentos que recebia mensalmente de uma empresa pouco mais que fantasma, criada exatamente para este tipo de favores. E levar o descaramento ao ponto de solicitar depois à AR o subsídio de reintegração.

    A pretensa imagem de seriedade desmoronou-se. Bem se pode dizer que somos governados por um ladrão. Andou anos a roubar-nos a todos um acréscimo de remuneração por uma exclusividade que não particou nem respeitou.

    ResponderEliminar
  2. Só tu não deves ter percebido a ironia, ó cabeça empedernida e pouco fértil...

    ResponderEliminar
  3. Em Portugal existem leis que com o tempo manda apagar os crimes , é normal em Estados de Direito e Democráticos .

    Tiveram tempo suficiente para meter o homem na cadeia , agora depois de tanto tempo , é que andam como a PIDE/DGS fazia a perseguir o homem .

    Se tinham razão perderam a razão !

    Esfomeados que dão esta notícia são mais criminosos que os assassinos ...


    Jorge

    ( ciclista )

    ResponderEliminar
  4. ACTO CONDENÁVEL COMPROVADO

    por escrito?

    prescrito?

    ou

    proscrito?

    ResponderEliminar
  5. Miguel Relvas e Pedro Passos Coelho são amigos em negócios e malandrices
    Pedro só há um caminho a demissão. Por muito menos do que isso Sampaio demitiu Santana Lopes.
    SE recebeu 5000 euros por Mês da empresa fantasma, onde está a declaração de IRS onde esses valores estão reportados(Fuga ao fisco) para além de receber por exclusividade, trambique em cima de trambique
    Demissão já

    ResponderEliminar
  6. É natural que o governo caia, tal é a embrulhada e falta escandalosa de carácter deste primeiro ministro. Mas um outro problema vai complicar essa situação: o que se passa no PS.

    A estratégia de Seguro em fazer crer que vai separar os negócios da política é das maiores demagogias que se tem ouvido. Constituindo um processo de intenções é logo desmentido pela prática política de muitos autarcas que apoiam Seguro. Gostava de saber, por exemplo, por que é que foram entregues projetos de estruturas de apoio municipal a recém licenciados em arquitetura, filhos de lideres do PS? Será que alguém acredita que o aparelhismo que gera esses favores e está com Seguro vai abdicar do poder de distribuir essas mordomias que lhe dão força?!...

    Tem razão, por isso, Mário Soares, quando pede a Seguro que se demita.
    O combate a essa praga faz-se com legislação apropriada que criminalize a falta de transparência e não com propaganda eleitoral. E essa legislação não depende de intenções, mas de uma maioria no Parlamento que Seguro não conseguirá, porque lhe falta carisma e credibilidade: é, como Passos, um carreirista fabricado no blá...blá... das jotas.

    ResponderEliminar
  7. O que é isto comparado com as patifarias do Sócrates.

    ResponderEliminar
  8. Demita-se Seguro??? Demitam se os políticos todos. Esta gente toda anda aqui há 40 anos a afundar isto. A começar pelas baratas e toupeiras do Partido Comunista que mais não fazem senão boicotar qualquer coisa que mexa em que eles não tenham posto a mão, aos mamões do CDS, do PSD e do PS sempre que tem o poder do arco da governação. Fora com a canalha. Queremos gente nova, sem ideias pré concebidas e honestas. E uma justiça lesta e "justa" que envie de imediato para a prisão todo e aquele que se apropria do bem comum ou que se arme em chico esperto, passando a perna ao Estado.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.