sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Câmara de Évora: novas chefias e nova distribuição de pelouros

Carmen Almeida é a nova Chefe da Divisão de Cultura e Património

Na reunião publica da Câmara Municipal de Évora, realizada a 30 de Julho "os eleitos tomaram conhecimento do Despacho do Presidente sobre a distribuição de Pelouros resultante da reestruturação de serviços camarários recentemente aprovada. Assim, o Presidente Carlos Pinto de Sá fica com as seguintes áreas: Coordenação Geral; Apoio à Presidência e Vereação; Relações Institucionais Externas e com a Assembleia Municipal; Administração Geral, Financeira e Pessoal; Desenvolvimento Económico e Planeamento; Área Jurídica, Auditoria e Modernização Organizacional; e Segurança Pública.
À Vereadora Elia Mira compete a Educação e Intervenção Social; Évora Cidade Educadora; Juventude e Desporto; Saúde; e Relações com as Freguesias.
O Vereador Eduardo Luciano é responsável pelo Ordenamento do Território e Reabilitação Urbana; Gestão Urbanística e Obras Particulares; Cultura, Património, Centro Histórico e Promoção Turística; Comunicação e Relações Públicas; e Fiscalização Municipal.
Sob alçada do Vereador João Rodrigues ficam os Serviços Operacionais; Obras Municipais e Fiscalização de Obras Municipais; Abastecimento de Água e Saneamento; Ambiente e Higiene Pública; Mobilidade; Veterinário Municipal; e Proteção Civil.
Foi também dado conhecimento dos dirigentes nomeados, em regime de substituição, para os diversos serviços, na sequência da entrada em vigor da nova estrutura de serviços da Câmara de Évora, que são os seguintes: José Pé-Leve (Diretor do Departamento de Administração e Pessoal); Luis Pires (Chefe da Divisão de Administração Geral e Financeira); Cristina Bernardo (Chefe da Divisão de Gestão de Pessoal); Joaquim Costa (Diretor do Departamento de Serviços Operacionais); Pedro Vieira (Chefe da Divisão de Obras Municipais, Água e Saneamento); Margarida Fernandes (Chefe da Divisão de Ambiente, Higiene e Mobilidade); António Costa (Chefe da Divisão Jurídica); Helena Ferro (Chefe da Divisão de Educação e Intervenção Social); José Conde (Chefe da Divisão de Juventude e Desporto); Cármen Almeida (Chefe da Divisão de Cultura e Património); António Bouça (Chefe da Divisão de Ordenamento e Reabilitação Urbana) e Elsa Carvalho (Chefe da Divisão de Gestão Urbanística).

37 comentários:

  1. E o que aconteceu aos xuxas que lá estavam?

    ResponderEliminar
  2. Será que vão acabar agora as desculpas para não fazerem nada? antes o problema era da incompetência de quem lá foi posto pelos socialistas. Agora com os homens e as mulheres de mão postos nos lugares estratégicos que outra desculpa irão arranjar para o estado vegetativo em que a Câmara de Évora se encontra?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A incompetência resolve-se sem gastar dinheiro. Mas o resto não. Para o resto é preciso dinheiro e dinheiro é coisa que não há. A não ser que alguém compre a dívida de 90 milhões...

      Eliminar
    2. Bem me parecia que, depois do argumento da urgente necessidade de uma reestruturação, voltava o argumento da maldita herança (no final do ano a dívida inscrita no orçamento era de 80.171.522,82 euros, agora já vai nos 90 milhões?). O pessoal agradecia desculpas novas.

      Eliminar
    3. Anónimo das 12:18 não sejas aldrabão, vai ler a ata da assembleia geral que aprovou as contas de 2013, onde o Pinto de Sá reconheceu que a divida herdada foi de 74 milhões, exatamente o mesmo que o PCP tinha deixado em 2001.

      Eliminar
    4. A xuxaria que arruinou a CME não tem falta de memória. O que tem é falta de vergonha na cara.
      Venderam o património todo que existia na câmara, deixaram 90 milhões de dívida, instalaram os serviços em pavilhões alugados (a custar 15.000 euros/mês), deixaram uma negócio ruinoso com as águas (que dá um prejuízo anual de 5 milhões de euros), deixaram um negócio ruinoso com a TREVO (que dava um prejuízo anula de 1 milhão de euros), deixaram a câmara e os eborenses encravados com o empréstimo do PAEL e, agora, cinicamente vêm dizer que a dívida está a aumentar?

      Mas isso não já explicado suficientes vezes?
      Acaso não foram feitas dezenas de intervenções sobre o DESEQUILIBRIO FINANCEIRO ESTRUTURAL (que origina um prejuízo anual de 10 milhões euros) deixado por suas excelências, e explicado que isso vai demorar anos a resolver?
      Acaso não foi falado já centenas de vezes sobre o DESIQUILIBRIO FUNCIONAL dos serviços municipais (que fez com que, em 12 anos de descalabro PS, os operacionais tenham diminuído 20% e os técnicos superiores tenham aumentado 60%!) e agora, cinicamente, querem as ruas limpas, as ervas arrancadas de imediato? Será assim tão difícil de perceber que a resolução de um problema desta natureza vai demorar anos até ser completamente resolvida?

      Felizmente que os sinais da reorganização dos serviços vão no bom sentido.
      E por isso, se percebe o incómodo que isso está a gerar nas hostes de suas excelências...
      milhòes de dívida e

      Eliminar
    5. Ò Secretário tens que te esforçar mais, então o negócio da água só tem despesas? não contabilizas as receitas com a venda da água, e já agora porque não acrecentas aí o negócio feito com a GESAMB, e os custos que o mesmo acarreta para o Municipio para além do cheiro imundo com que atinge a cidade, será porque era Presidente desta empresa o teu dono Pinto de Sá

      Eliminar
    6. 5 MILHÕES é a diferença entre as receitas e as despesas da água.
      5 Milhões de euros é o prejuízo anual que nos dá a negociata PS (Sócrates/Ernesto) com entrega das águas municipais à AdP.

      Percebeste ou queres que te faça um desenho?

      Eliminar
  3. ponham um tacho num comunista e com esse milagre das rosas vão acabar por transformar o comunista no eu pior inimigo. O poder corrompe e todos que eu saiba são corrompidos

    ResponderEliminar
  4. Estamos no bom caminho para o abismo.
    Os neoliberais estendem a sua rede tentacular para pôr o povo a passar fome.
    Revolta já

    Carlos Moedas indicado para comissário europeu.
    Goldman Sachs escolheu este alentejano filho de uma p......renegado
    Depois de ter trabalhado em Paris até 1998, e de ter feito a sua formação naquela escola norte-americana, passou pelo banco Goldman Sachs e regressou a Portugal em 2004, como administrador-delegado da Aguirre Newman. Em 2008, criou a sua própria empresa de investimentos.

    Moedas esteve pelo PSD na negociação do Orçamento do Estado de 2011 e foi, como destaca o portal, "um dos representantes do partido nos encontros com a delegação da UE-FMI-BCE" para a negociação do resgate internacional de Portugal.

    ResponderEliminar
  5. Isto só lá vai com cabeças cortadas.
    Quem brinca com o dinheiro do povo e depois vai ser o povo a salvar os bancos, quem fez isso têm que ser decapitado, porque levar à morte pela fome um povo não é crime, logo o povo se tiver tomates Têm que agir.
    Salgado ajudava os amigos (politicos e entidade reguladora) para ir roubando à vontade quem vai agora suprir com 4000 milhões de euros desse dinheiro que esse canalha esbanjava.
    Este país mete nojo, envergonho-me de ser português com este espírito de rebanho e acéfalo um pouco de néscio fazem de nós o que querem
    MORTE

    ResponderEliminar
  6. Sim senhor, agora é que a cidade vai de vento em popa, perdão; de combóio presidencial. Nem mais nem ontem. Ontem? Pois ontem, já que o menu é requentado e bolorento com insinuantes rapazes e raparigas com decénios de passeio público. Uns com alguma obra (pouca), outros nem por isso. Nem obra, nem competência ou ideias para tal.
    Queres ver um pobre soberbo, dá-lhe a chave de um palheiro!

    ResponderEliminar
  7. Para porem as distintas Margarida Fernandes e Carmen Almeidia e o fugidio Joaquim Costa como chefes não era precisa tanta arruaça.Mas o PC é assim, faz a festa e lança os foguetes, por mais pífia que seja a coisa.

    ResponderEliminar
  8. Esqueceste-te do também fugidio Bouça.... Voltaram todos ao redil. Bastou-lhes o cheiro a palha para abanarem os rabinhos de contentamento.

    ResponderEliminar
  9. Ai que as azias nunca mais passam!

    ResponderEliminar
  10. 17,34 e 17,50 é a realidade ainda falam dos boys socialistas,onde esta a renovação politica,todos estes mencionados são parte do problema sempre lá tiveram e nunca se lhe atribuiu qualquer merito ou menção,mas dizem que estão de forma provisoria até o concurso nacional que vai ser aberto e os que tiverem melhor nota curriculo são os que vão ficar,estou cá para ver esperando que sim,a bem da CIDADE!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A renovação política?
      Então as chefias da função pública deixaram de ser cargos essencialmente técnicos e passaram a ser cargos políticos?

      É por haver mentalidades como a tua, que o país chegou ao estado de ruína em que encontra.

      Eliminar
  11. Grande reestruturação o Pé Leve já lá estava metido pelo Ernesto, a Cristina a mesma coisa á aqui algumas mudanças mas a merda fica na mesma á e ainda falta aqui o Piteirinha aquele que controla o Aerodromo o que aconteceu a esse e ao seu ajudante?
    Continuarão a ter os mesmos tachos que o Ernesto lhes deu se continuam a reestruturação não valeu a pena.
    À e ainda faltam os outros chefes mais pequemos o que foi feito deles nada supostamente nada.
    Pelo que se pode ver não houve qualquer reestruturação pois falta a coragem e essa só alguns têm e pelos vistos o Presidente têm falta dela.

    ResponderEliminar
  12. só ranço...volta tudo ao mesmo

    ResponderEliminar
  13. acreditem,... o crédito do executivo junto dos funcionários da CME ficou afetado com o processo de nomeação dos dirigentes (mesmo os não afetados no processo - direta ou indiretamente - acham incompreensível a forma como alguns tomaram o poder e o ridículo que é o retorno de pessoas em topo de carreira sem vontade ou motivação para fazer melhor...). Porque é disso que se trata... tomar o poder pelo poder e não pelo serviço público ou por qualquer estratégia que beneficie o executivo ou a cidade... nem se trata de tirar seja quem for, nem de guerras de partidos ou de boys, mas sim de interesses pessoais de poderosos que nem sequer pensam na organização ou na forma como a CME vai funcionar... Acho ainda que esse crédito ainda é recuperável caso sejam repostas algumas injustiças nos concursos definitivos....há casos gritantes nestas nomeações de claros tiros no pé do executivo... é incompreensível que algumas chefias jovens, dinâmicas e competentes sejam substituídas por pessoas desatualizadas e sem vontade ou competência, sem os conhecimentos necessários para os cargos e cuja única motivação é a vingança e a vaidade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. «chefias sejam substituídas por pessoas desatualizadas e sem vontade ou competência...»
      As coisas que tu vês, que mais ninguém consegue ver.
      A que chefias jovens "jovens, dinâmicas e competentes" te referes? Sinceramente não consigo ver nenhuma...

      Curiosamente sobre a nova estrutura de organização dos serviços não vi ninguém a escrever sobre o assunto. Tudo se resume a considerações de natureza pessoal sobre o valor das pessoas escolhidas para ocupar os lugares nessa nova estrutura.

      A verdade é que esta reestruturação dos serviços reúne condições para produzir bons resultados. Nomeadamente na separação de áreas que não deviam estar juntas e na junção de áreas que estavam separadas e que se tornavam um entrave ao funcionamento dos serviços. Como, por exemplo, a gestão do espaço público que dependia de dois Departamentos e três Chefias de Divisão diferentes, tornando as acções e tarefas extremamente complexas e consequentemente pouco eficazes (com os tristes resultados que se conhecem e se podem ler em inúmeros comentários que vão sendo diariamente escritos neste e noutros blogues).

      Quanto às novas chefias, só o tempo poderá responder se foram, ou não, boas escolhas. Tudo o que vejo aqui escrito sobre as suas características pessoais dos novos dirigentes, afiguram-se meros palpites nascidos ou envolvidos numa considerável dose de ressabiamento.

      Eliminar
    2. você ainda não percebeu que a CME é agora do PCP- Que têm o munícipes com as decisões da CME? O Partido manda!

      Eliminar
  14. "Boys are Us"

    Funcionalismo Público, queriam o quê? Um Belmiro de Azevedo ou um Amorim, ou quem sabe até um Rui Nabeiro, como chefe por cada funcionário público ainda era pouco...

    ResponderEliminar
  15. .... areia para os olhos do Zé Eborense , tal como dizem lá para o campo .... " mudam as moscas e a m...a é a mesma " .

    O que muda no TERRENO ( quem dá a cara ao Sol e Chuva ) ???


    Jorge

    ( ciclista )

    ResponderEliminar
  16. O Bouça?! Tá tudo lixado...Nunca vi tanta incompetência disfarçada de arrogância.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O José Manuel Pereira sim, esse é que era um exemplo de excelência.
      Não havia frete nem negociata a que se negasse... E no fim o interesse público ficava sempre pra trás e a pagar a conta...

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
  17. O que não se compreende é que a CDU mantenha e promova alguns dos canalhas que não cumpriram o compromisso de honra de defender o interesse do município e dos cidadãos, e que durante 14 anos, assinaram por baixo e aplaudiram, a grande obra de destruição, ruina, endividamento e desgoverno, praticado pelos selvagens do PS/PSD.

    ResponderEliminar
  18. O nosso Povo é meio néscio
    Nada exigente com o poder político, o único interesse do néscio é o futebol, deixam assim os crápulas á vontade

    ResponderEliminar
  19. A Margarida Fernandes, tanto falou, tantos comentários fez no facebook, dizendo que a CDU tinha ganho a Câmara e ela continuava emprateleirada; tanto insistiu, tantas birras fez que conseguiu. Já lhe deram um tacho. Ah valente!

    ResponderEliminar
  20. E o enralado do brilhantina foi colocado adonde?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O enralado, ou o enrabado?

      Eliminar
  21. Évora morre. E nem é de morte lenta. Chapa de chumbo estalinista. Évora morre. E ninguém se importa. Afundamento da cidadania. Tudo é "cargo de confiança política", nada cargo de competência técnica: ou é militante obediente, ou sai; morreu a confiança. Évora? Conforme com a sua natureza de sempre.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A azia está a dar-te cabo dos neurónios. Já não dizes coisa com coisa.

      E, senão, diz-nos lá quais foram os chefes que não foram reconduzidos que tinham "competência técnica"?
      Ao contrário, eu vejo alguns dos chefes "ernestinos" que foram reconduzidos que são de duvidosa competência técnica.
      Para mim a mudança só peca pela escassez. Era preciso mudar mais alguns cancros que por lá continuam...

      Eliminar
  22. No virar do milénio Évora foi assaltada, deixada exangue e moribunda, à beira da estrada.
    Évora estava a morrer.

    A câmara actual está a ressuscitar os serviços municipais, cuidadosamente.
    É preciso uma terapia cuidadosa para não matar o doente com o tratamento.
    É preciso restaurar metabolismos saudáveis sem pôr em causa o que resta de vitalidade.
    Para já, foram afastados, exterminados e deitados no lixo os parasitas mais danosos (sitee, ordenamento, espaços verdes, serviços jurídicos, etc.).
    Aos poucos, de forma cada vez mais firme, o doente há de ganhar forças, reerguer-se saudável, e cumprir o seu objectivo primordial:
    - serviços municipais capazes de apoiar a câmara, desenvolvendo e promovendo as potencialidades de Évora, de forma sustentável;
    - serviços municipais capazes de apoiar a câmara, e Évora, a enfrentar o mundo, preparada para o que der e vier;
    - serviços municipais que voltem a contribuir para colocar Évora no topo da "qualidade de vida" e da "atractividade", para que Évora tem competência, deseja e merece.
    É preciso que todas os sistemas municipais trabalhem em uníssono, num organismo saudável, eficiente, racional, e honesto.
    É preciso que a câmara e as forças vivas concelhias trabalhem em conjunto.

    Em 14 anos arruinaram as finanças e desmembraram os serviços municipais.
    Agora é preciso recuperar o moribundo, e ao mesmo tempo suportar os encargos fixos que os gatunos cá deixaram.
    Há muito trabalho pela frente. É impossível fazer tudo de um dia para o outro. É preciso não desistir, fazer das tripas coração, e ter muita paciência.

    É preciso não fazer como os gatunos, que prometeram a excelência e que, com a maior sobranceria, criminosamente, fizeram precisamente o contrário. É preciso assumir as responsabilidades. É preciso não esquecer o que se prometeu. É preciso não ser autista, abrir-se, conversar, ouvir, não ter medo das críticas.

    ResponderEliminar
  23. Deve ser tanta a sua qualidade e competência que o pedrinho de Montemor ficou no poleiro. Ou serão amizades antigas?

    ResponderEliminar
  24. 35 horas semanais. com ponto religiosamente marcado..vão mas é levar todos nas nalgas comunas

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.