domingo, 20 de julho de 2014

Os Mortos Têm todos a Mesma Pele


Não existem palavras que definam o horror.
O horror não tem cores, não tem raças, não tem história. Tem o cheiro do sangue e das mortes e o sabor do sal.
Do sal que interdita a vida, que seca, que transforma em pó qualquer semente esquecida de humanidade.
Não me falem por favor de religiões, nem de terras prometidas em que o mel escorre das árvores, não me digam nunca que há mortes inevitáveis, necessárias para preservar um qualquer bem maior.
Há mortes simplesmente! E destruição! E dor! E uma raiva surda que cresce nos corações dos homens que se julgam impotentes!
Mas nós não somos impotentes! Somos cúmplices! O nosso silêncio é cúmplice e por isso criminoso! Não é em Gaza que temos de lutar! É cá! Porque com o nosso abandono admitimos como lideres os parceiros criminosos dos criminosos que matam em Gaza.
Ninguém nesta Europa dos “Direitos” se ergue e diz Não? Nenhum dos nossos “eleitos” se atreve a recusar este infame genocídio? Será que nos esquecemos já das guerras que sofremos, dos milhões de mortos? Da fome? Do horror suástico que por inventar uma qualquer precedência na cadeia alimentar, sufocou com sangue o mundo inteiro?
Vistos do espaço, à distância, somos todos muito parecidos, a diferença consiste talvez, e apenas num olhar atento, no facto de uns se alimentarem dos outros...
Há mães que morrem abraçadas aos seus filhos nestes tempos de barbárie.

Em volta um vento que geme e gemendo jura que os mortos têm todos a mesma pele.

55 comentários:

  1. O avião derrubado em território Ucraniano foi alvo de um grupo terrorista,não existem dúvidas para o ocidente que foram os rebeldes pró-russos,acto que todos devem repudiar foram mortos 300 civis inocentes.

    Mas muitos dos que repudiam este acto terrorista estão em silêncio em a relação a Barbárie Terrorista de Israel contra o povo da Palestina.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. «muitos dos que repudiam este acto terrorista estão em silêncio em a relação a Barbárie Terrorista de Israel contra o povo da Palestina»»

      Muitos não só não estão em silêncio como são coniventes ou apoiantes (fornecedores de armas) do regime racista que controla Israel.
      Muitos condenam as vítimas por se tentarem proteger dos algozes, mas poucos condenam os sionistas por continuarem a ocupar território com colunatos expulsando os nativos e proprietários desses terrenos.
      Muitos dizem-se democratas, mas defendem e apoiam criminosos tão nazis como o Hitler…

      Na Ucrânia pode ter sido um acidente ou um acto de um louco, mas em Israel e na Palestina é uma atitude política consciente, que vem sendo praticada há décadas com o apoio do império…

      Eliminar
  2. O que costuma fazer a Europa nestes casos?...
    Neste momento a Europa está ainda mais adormecida ou hibernada.
    A Europa não serve os interesses que devia servir.
    Os interesses políticos são o grande entrave.
    Repare-se que ainda esta semana foi feita uma reunião para escolha de um líder e ao que parece não houve entendimento. Ficou adiado para Setembro...
    Como se isso fosse aceitável...
    Os interesses económicos e políticos são enormes.
    Enquanto isso, as guerras perpetuam-se num tempo que não tem fim, a não ser para aqueles mártires que nasceram na parte errada do mundo e tiveram como lideres, os líderes igualmente errados, que não lhe conseguem proporcionar o maior bem que algum ser humano pode ter que é a paz e a tranquilidade para uma vida terrena que é tão efémera...
    Só quem não tem um mínimo de sensibilidade não fica incomodado com tanto horror, tanto sofrimento, em pessoas, que pudendo viver a sua vida pacatamente dentro dos seu padrões culturais, são selvaticamente tratadas por seres que de humanos parecem ter muito pouco...
    Será que a terra é assim tão pouca que prive alguém de não ter direito a um pedaço para nela viver com dignidade e em paz?...
    Sei que o assunto é muito mais complexo do que o que as palavras que escrevo. No entanto a vontade dos lideres que podiam ter voz ativa para ajudar a resolver a situação não existe, ou é muito pouca.
    Enquanto isto vão caindo como tordos, no meio do maior cenário de terror, que nós, no conforto das nossas casas, jamais poderemos imaginar, apesar das imagens de terror que nos chegam.
    Talvez se tenha banalizado a situação e a europa como outras partes do mundo já não estejam para se preocupar com tanta carnificina, o que é lamentável e deixa o comum dos mortais, perturbado, segundo julgo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em primeiro lugar era preciso saber que entidade singular é essa, denominada EUROPA.
      Em segundo lugar, mesmo imaginando existir uma entidade única EUROPA, era preciso saber o que poderia ela fazer contra os ditames do senhor da guerra e polícia do mundo EUA.

      Eliminar
  3. Por um lado e esquecido devido a campanhas ocultas .

    Os aliados sempre souberam da existência de campos concentração e davam ordem aos pilotos para não lá meterem bombas .

    Depois da guerra , vieram os EUA dar a mão aos judeus mas com o objetivo de por eles , controlarem aquela zona toda .

    Mas é sabido que os judeus tem uma cultura e sentimentos muito piores que tinha Hitler , pois comprova-se que é um povo assassino de outros mais fracos , bem pior que Hitler ?

    Só os judeus !

    Jorge

    ( ciclista )

    ResponderEliminar
  4. "Mas é sabido que os judeus tem uma cultura e sentimentos muito piores que tinha Hitler..." - este Jorge não passa de um acabado idiota; uma das razões porque deixei de visitar o "mais evora" foi pela natureza fascizante dos seus comentários; mas eis que o venho encontrar aqui... enfim. Jorge, se és mesmo ciclista devias é de andar na Volta a França, talvez lá fizesses melhor figura.

    ResponderEliminar
  5. da-se...quando são os filhos da também puta da Jihade islamica não se lê por aqui uma linha do Sampaio...

    Sectaristas da treta...por isso o Bloco de esquerda está a merda que se vê

    ResponderEliminar
  6. Andam a assassinar Cristãos por esse mundo fora todos os dias e nem uma linha deste Sampaio...é de gajos como tu que o Bloco de Esquerda precisa...lolol

    ResponderEliminar
  7. Os separatistas Russos da Ucrânia mandam um supositório para um avião Comercial cheio de simples pecadores aos olhos de deus, e nem uma palavrinha do Sampaio...mais sectarismo...mais Bloco...mais gente alucinada com a ideologia. Aliás naquele Bloco de Esquerda é 50 vezes pior que no PSD ou PS. Bastam 2 Bloquistas juntos, para se começar a conspirar contra um 3º que não está presente

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E tu viste que lançou o supositório, ou ainda acreditas em estórias da carochinha?

      Eliminar
    2. A propósito de abate de aviões comerciais, será que ainda se recordam do Voo 655 da Iran Air (IR655), uma rota comercial entre Teerão e o Dubai?

      Para quem não se recorda, aqui vão algumas notas soltas:

      1. Em 3 de Julho de 1988, a aeronave que fazia o percurso entre Bandar Abbas e Dubai, foi derrubada por dois mísseis antiaéreos disparados a partir da embarcação USS Vincennes, da Marinha dos Estados Unidos;

      2. Desse abate resultou a morte de 290 passageiros, dentre os quais 66 crianças;

      3. À época o Irão estava em guerra com o Iraque e os Estados Unidos apoiavam o governo de Saddam Hussein;

      4. Os EUA sempre mantiveram a versão de que o incidente foi fruto de um erro causado pelo inerente estresse de uma tripulação confrontada a um cenário de guerra. O governo americano disse ter lamentado “a perda de vidas inocentes” mas nunca assumiu a responsabilidade pela tragédia, cuja repercussão acelerou o fim da guerra Irão-Iraque, meses depois;

      5. Os EUA homenagearam com pompa todos os tripulantes do USS Vincennes. O capitão Rogers ganhou até a medalha da Legião do Mérito, uma das mais importantes honrarias militares no país.

      6. A visão americana do acontecimento foi resumida nas palavras do então vice-presidente George Bush, em entrevista à revista Newsweek concedida em agosto de 1988: “Eu nunca pedirei desculpas pelos EUA. Nunca. Não ligo aos factos”.

      Eliminar
    3. A propósito de abate de aviões comerciais, será que ainda se recordam do Voo Kall007 da Corean Airlaines, uma rota comercial entre New York e Seul? Foi abatido, em 1 de Setembro de 1983, por um caça soviético. Desse abate resultou a morte de 269 pessoas, A URSS nunca pediu desculpa pelo acontecimento e lançou toda uma série de justificações e desculpas pelo incidente.
      Entre uns e outros venha o Diabo e escolha. Como se diz no título do post "Os mortos têm todos a mesma pele". Embora haja quem pense o contrário.

      Eliminar
    4. O Voo Kall007 da Corean Airlaines circulava em espaço aéreo soviético sem autorização nem qualquer aviso prévio, num território repleto de instalações militares estratégicas.

      À época, havia um recrudescimento da Guerra Fria, e aeronaves de reconhecimento RC-135 americanas costumavam sobrevoar a área para observar e "testar" as defesas anti-aéreas russas. Os radares soviéticos de Kamchatka não demoraram a detectar o 747 da Korean, e interpretaram o eco como sendo, possivelmente, um RC-135 americano potencialmente hostil. Em termos práticos, isso seria bem possível, já que o RC-135 é bem semelhante em configuração ao Boeing 747: ambos são quadrimotores, de asas em flecha e de grande porte.
      De notar que, no dia anterior ao incidente, um RC-135 americano tinha efetuado uma missão na região, deixando os militares russos em alerta.
      Ou seja para os soviéticos o desvio da rota foi considerado uma provocação dos americanos.

      Quanto ao Voo 655 da Iran Air, abatido pelos americanos, este circulava em espaço aéreo iraniano, muito longe dos Estados Unidos e não podia representar, consequentemente, qualquer ameaça nem provocação.

      Apesar de não aceitar qualquer justificação para atacar e matar civis (a doutrina dos danos colaterais mete-me nojo!), situação que se tornou bem banal desde a 2.ª Guerra Mundial, parece-me que as duas situações ainda assim apresentam algumas diferenças.

      E se em qualquer caso me parece intolerável o abate de aviões civis, considero que os EUA não têm qualquer autoridade moral para criticar quem quer que seja sobre esta matéria.

      Eliminar
    5. ALGUNS CASOS DE AVIÕES CIVIS ABATIDOS:

      21 de Fevereiro de 1973:
      Um Boeing 727 da companhia Libyan Arab Airline rumava do Aeroporto Internacional de Trípoli, na Líbia, para o Aeroporto Internacional de Cairo, no Egipto. Ao entrar no espaço aéreo de Israel devido ao mau tempo e a uma falha nos equipamentos de localização, o avião foi derrubado por caças israelitas sobre o deserto do Sinai.
      Morreram 108 das 113 pessoas a bordo.

      1 de Setembro de 1983:
      um Boeing 747 sul-coreano, que pertencia à Korean Airlines (KAL) foi derrubado por um caça soviético sobre a ilha de Sakhalin, localizada no extremo oriente russo.
      Os 269 passageiros e tripulantes morreram.

      3 de Julho de 1988:
      Um Airbus A-300 da companhia aérea iraniana Iran Air, que voava entre Bandar Abbas, no Irão, e Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, foi abatido logo após sua decolagem por dois mísseis disparados a partir de uma fragata americana (USS Vincennes) que patrulhava o Estreito de Ormuz
      Todos que estavam a borda morreram - 290 pessoas, sendo 66 crianças.

      4 de Outubro de 2001:
      Um avião modelo Tupolev-154, da companhia aérea russa Sibir, que voava de Tel Aviv, em Israel, para Novosibirsk, na Sibéria, explodiu quando sobrevoava o Mar Negro, a menos de 300 km da costa da Crimeia, no sul da Ucrânia. Uma semana depois do incidente, Kiev reconheceu que o desastre tinha sido causado pelo disparo acidental de um míssil ucraniano.
      Todos os tripulantes e passageiros da aeronave morreram: 78 pessoas, sendo a grande maioria israelitas.

      23 de Março de 2007:
      Um avião Ilyushin, pertencente à companhia aérea bielorrussa TransAVIAexport Airlines, foi atingido por um foguete na periferia de Mogadíscio, capital da Somália, durante a Batalha de Mogadishu - confronto militar travado por forças dos Estados Unidos contra milicianos da Somália, ligados a Mohamed Farrah Aidid.
      O avião transportava engenheiros e técnicos de Bielorrússia que iam realizar reparações numa outra aeronave, atingida por um míssil semanas antes. O governo da Somália nega o ataque e diz que o incidente foi acidental.
      As 11 pessoas que estavam na aeronave morreram.

      Eliminar
  8. Sabe-se é que o Camarada PUTIN, o tal que perduou 90% da dívida aos Cubanos, arma até aos dentes os separatistas Russos. Por alguma razão estes separatistas se aprontaram a limpar o quintal dos destroços...

    Quem acredita nas histórias da carochina que é do MCDonalds a culpa de tudo que de mau há no mundo?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabe-se?
      Ou pensas tu que sabes só por ouvires umas patacoadas nos telejornais que se limitam a debitar propaganda das centrais de comunicação.

      Eliminar
    2. histórias da carochinha foram as armas de destruição macissa no Iraque que ainda hoje ninguém sabe onde estão.
      O problema é que por causa dessas estórias da carochinha morrerram, e continuam a morrer, centenas de milhares de inocentes.

      Eliminar
    3. Tá calado jihadista alucinado

      Eliminar
    4. alucinados são aqueles que acreditam em todas as mentiras que lhes contam.
      Como as armas destruição maciça no Iraque que ninguém viu (à excepção do Barroso); ou como as provas de utilização de armas químicas por Hassad, na Síria, que nunca apareceram...

      Eliminar
  9. e quantos pernetas os aviões MIG da URSS deixaram em Angola?
    quantas linhas escreveram os comunistas, os libertários, os anarcas, os PSR's, UDP's PCP's sobre estas atrocidades? Os comunistas então....caladinhos que nem ratos.

    É por isso que a Esquerda em Portugla vale qualquer coisa como zero! São facciosos, sectários, opressores, ceguetas, vesgos, encabrestrados...só conseguem ver apenas um lado da questão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com argumentos desses és imbatível.
      Continua assim, pois há muita procura para inteligências como a tua.

      Eliminar
  10. Vi foi quem andou a limpar a merda...e esses eram teleguiados pelo Putin. Que será que eles querem que a gente não saiba?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viste?
      Ou pensas que viste, só porque te disseram através dos telejornais fabricados em centrais de comunicação.

      Eliminar
    2. Deves ter visto através do mesmo olho que viu as armas de destruição macissa no Iraque.

      Eliminar
    3. a comunalha e a velha propaganda...perdem sempre já repararam?

      Eliminar
    4. Os Media Ocidentais combinaram-se todos...só mesmo da extrema esquerda alucinada

      Eliminar
    5. Os média ocidentais também garantiam a existencia de armas de destruição maciça no Iraque.
      Com garantiram (quase) sempre as muitas mentiras difundidas pelas centrais de propaganda.

      Eliminar
  11. Sete cidadãos da Alemanha de origem palestiniana, entre eles cinco crianças, foram mortos num ataque da Força Aérea israelita contra a Faixa de Gaza, segundo noticia esta terça-feira a Der Spiegel.
    Os mortos eram todos membros de uma mesma família, observa a revista alemã.

    ResponderEliminar
  12. O MH17 foi desviado da rota normal do Sudoeste sobre o Mar de Azov para uma rota sobre o oblast de Donetsk.
    Quem ordenou a alteração do plano de voo?

    A Malaysian Airlines confirma que recebeu instruções para que o MH17 voasse a uma altitude mais baixa sobre o Leste da Ucrânia.
    Quem deu essas instruções?

    Também se sabe que um caça SU-25 ucraniano equipado com mísseis R-60 ar-ar foi detectado a 5-10 km do avião da Malásia, dentro de um corredor aéreo reservado à aviação civil.
    Qual foi a finalidade desta deslocação da força aérea?
    Estava o caça ucraniano a "escoltar" o avião da Malásia numa direcção vinda do Norte rumo à zona de guerra?

    Dúvidas que se esperam ver esclarecidas.

    ResponderEliminar
  13. Tu é que só compras o que os comunistas te dão para ver

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. como por exemplo as armas de destruição maciça.
      Ai não foram os comunistas?...

      Eliminar
    2. o que eu não vejo és tu ou o Sampaio escreverem sobre o assassinato de cristãos na Síria, Iraque ou Nigéria. É porque os odeiam ou são todos filhos da cola cola e do nestum? Vesgos e comunas como são só reconhecem apenas um lado da história

      Eliminar
    3. 07:04
      Não entendeu o sentido do meu post, ou não quis entender...
      Há rótulos, e por trás deles existem preconceitos, e por trás dos preconceitos existe sempre uma visão distorcida das coisas.
      Pouco me importa que sejam judeus ou cristãos, muçulmanos ou hindus, pretos ou amarelos.
      São vítimas! Acima de tudo são vidas que se perdem estupidamente por causa de estúpidos preconceitos que levam ao ódio, e o ódio é sempre irracional.
      É por isso que afirmo que os mortos têm todos a mesma pele, porque a morte é a verdadeira niveladora e perante isso, de pouco servem as raças, os géneros, as religiões...
      São vítimas! E um mundo com vítimas não serve!
      Fiz-me entender?

      Eliminar
    4. Deixa-te de fingimento Sampaio. Nunca escreveste uma linha (nem escreverás) aos assassinatos a cristãos ou vitimas do terrorismo jihadista. Por isso és militante dum partido sectarista e faccioso. Não és neutro em matéria de terrorismo.

      Eliminar
  14. Uns tentam justificar o abate de aviões civis pelos soviéticos ou, mais recentemente, pelos russos. Outros querem justificar o abate pelos americanos ou seus aliados. Tanto uns como os outros não passam de uns grandessíssimos IMBECIS. Para eles, definitivamente, os mortos Não têm todos a mesma pele. Ainda vão concluir que a culpa foi dos passageiros. Da cabecinha desta cambada de atrasados mentais é possível sair tudo. Puta que os pariu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Puta que te pariu também a ti que segues a cantilena oficiosa da acusaçao sem investigação nem provas.
      Ora diz-nos lá como consegues saber que houve aviões "mais recentemente" abatidos "pelos russos" se não foi apresentada qualquer prova.
      E se fosses tu para o local para onde mandas outros: a Puta que te pariu!

      Eliminar
    2. Talvez a culpa também tenha sido de quem permite a manutenção de rotas de aviação civil numa área em conflito militar.
      Mas isso talvez não convenha falar para não comprometer os interesses em jogo. Até porque já sabemos todos que o culpado já foi encontrado, mesmo sem ter havido investigação.

      Razão tinha o Maquiavel quando aconselhava o Príncipe a mentir, porque haverá sempre gente disposta a acreditar nas suas mentiras.

      Eliminar
    3. Puta que te pariu a ti...não percebeste foi nada. Não sabes o que é sectarismo e muito menos facciosismo. São termos que enão existem nessa cabecinha depravada

      Eliminar
  15. Afinal, os EUA não sabem exatamente quem foi que derrubou o Boeing 777 da Malaysia Airlines no leste da Ucrânia, e admitem que o avião fosse destruído por engano por milicianos, disseram a jornalistas nesta quarta-feira representantes de alta patente dos serviços secretos norte-americanos.

    Na terça-feira, as autoridades dos EUA prometeram divulgar os dados dos serviços secretos que confirmassem a versão da culpa das milícias. Aliás, provas documentais sobre o envolvimento de mísseis antiaéreos Buk ou dos milicianos não foram publicadas. Numa conferência de imprensa sobre o tema foi apenas repetida a afirmação de que, de acordo com a ELINT (serviços secretos), o avião tinha sido atingido por um míssil Buk de classe superfície-ar disparado a partir do território controlado pela milícia.

    "Nós não sabemos quem apertou o botão... A explicação mais verossímil é que era um engano e que o míssil foi lançado por uma equipe mal treinada", especificou o agente dos serviços secretos americanos.

    ResponderEliminar
  16. Tens toda a razão. Gostava que esta cambada, ou familiares deles, viajassem num próximo avião civil abatido propositadamente ou por engano. E para a justiça ser perfeita e até poética, o avião seria abatido por vários misseis lançados simultaneamente por americanos, russos, israelitas e palestinianos. Talvez quando viessem a cair e no meio do terror, tivessem tempo para refletir em todas as barbaridades que andam por aqui a bolsar e a tentar justificar o injustificável. E também concordo com a parte final do teu comentário: puta que os pariu. E não vale a pena perder mais tempo com tão reles gentinha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este meu último comentário foi a dar razão ao João Tavares. Para que não se confunda. Tudo serve para justificar o injustificável. Repito, e por aqui me fico: com mais ou menos citações, do Maquiavel ou do Confúcio, não vale a pena perder mais tempo com tão reles gentinha.

      Eliminar
  17. Esta gente só consegue ver um lado da história do terrorismo..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vá lá que tu mostraste com toda a clareza os vários lados do terrorrismo.

      Eliminar
  18. Em 22 de julho, a Rússia entregou oficialmente à UE todos os dados dos meios de controle objetivo sobre a catástrofe do Boeing da Malaysia Airlines na Ucrânia. Tal aconteceu um dia após o Ministério da Defesa da Rússia ter divulgado num briefing em Moscovo dados de estações de controle russos. Militares russos estabeleceram a situação existente no território da região de Donetsk antes da queda da aeronave.

    Esses dados provocaram muitas perguntas de militares russos a Kiev. Em particular, quais foram as razões de atividade intensa dos radares ucranianos na véspera e no dia da tragédia, bem como da ordem de fim do alarme após a catástrofe? Qual era a missão da bateria de sistemas ucranianos de defesa antiaérea Buk que se encontravam antes do desastre no território controlado por rebeldes e por que motivo a bateria foi retirada com urgência logo após a queda do avião? Com que objetivo um SU-25 ucraniano se aproximou do Boeing a uma distância de 3 a 5 km pouco antes da catástrofe e por que razão esse fato foi desmentido por Kiev?

    Kiev não respondeu às perguntas de Moscovo, embora já tivessem passado dois dias. O chefe do Departamento Operacional do Estado-Maior General das Forças Armadas da Rússia, Andrei Kartapolov, ao intervir em Moscovo, fez também aos EUA uma pergunta importante para esclarecer as circunstâncias da queda da aeronave:

    “Segundo declaram representantes dos EUA, eles têm fotos tiradas a partir do espaço, confirmando que o míssil foi lançado em direção ao Boeing por milícias ucranianos. Mas ninguém viu essas fotografias. Se a parte americana dispõe de fotos tiradas via satélite, solicitamos que elas sejam apresentadas à comunidade internacional para seu estudo pormenorizado”.

    Os americanos não apresentaram essas fotos nem à UE, nem a Moscovo, embora prometessem fazê-lo ontem, terça-feira, dia 22 de julho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Clarinho como a água e muito bem explicado: quem atirou o avião abaixo ou foi a Ucrânia ou os apoiantes to Tozé Seguro.

      Eliminar
  19. É o que eu digo. A culpa foi dos passageiros.

    ResponderEliminar
  20. Põe-te a pau por, com tanta inteligência, ainda te vêm buscar para a comissão de inquérito.

    ResponderEliminar
  21. os Russos estão metidos na merda até ao pescoço sobre o massacre aos passageiros

    ResponderEliminar
  22. Existem evidências de que o vôo MH-17 da Malaysian Airlines foi abatido por um míssil ar-ar disparado de um avião militar que se colou ao avião comercial sobre o espaço aéreo da República de Donestsk.
    Ora quem possui aviação naquele conflito não são os rebeldes, mas sim o exército de Kiev.
    Daí a pressa, ao bom estilo da guerra fria, em acusar terceiros sem antes fazer qualquer investigação (e, pior, tudo fazer para evitar ou atrasar as investigações) e... apresentar PROVAS à comunidade internacional.

    ResponderEliminar
  23. Existem evidências de que a culpa foi dos passageiros.

    ResponderEliminar
  24. «“Posso dizer que o avião do presidente russo e o Boeing 777-200 da Malaysia Airline se intersectaram no mesmo ponto e no mesmo nível de voo. Isso aconteceu perto de Varsóvia no nível de voo 330 numa altitude de 10.100 metros. O avião do Vladimir Putin estava lá às 16h21, hora de Moscovo, o avião malaio – às 15h44, hora de Moscovo.
    Os contornos das aeronaves são semelhantes, as dimensões lineares são também muito semelhantes, assim como a pintura e cores usadas, a uma distância bastante remota eles são quase idênticos”, disse à Interfax uma fonte na agência Rosaviatsia (Aviação Russa) que pediu o total anonimato.»

    A verdade começa a aparecer. Provavelmente os caças ucranianos atiraram no avião julgando que fosse o do Presidente Putin.

    ResponderEliminar
  25. Meu Deus, tanto idiota

    ResponderEliminar
  26. O jornalista americano Mike Whitney escreveu o seguinte a 11 de julho no site norte-americano OpEdNews.com sobre o conflito na Ucrânia:

    “…Os EUA têm muito poucas possibilidades de envolver Putin numa luta, e nós devemos aguardar novos acontecimentos fabricados numa escala bastante maior que o incêndio em Odessa. Washington tem de fazer qualquer coisa realmente grave que depois seja atribuída à Rússia.”

    Mike Whitney escreveu isto cinco dias antes da queda do Boeing. Foi uma terrível coincidência…

    ResponderEliminar
  27. Os indícios de que o avião Malaio foi abatido por um caça de Kiev são cada vez mais claros. Esses indícios foram apresentados pelos russos à comunidade internacional há cerca de uma semana e, até agora, ainda ninguém os contrariou. As pretensas provas dos americanos ainda ninguém as viu.

    Também não é certamente por acaso que Kiev reforçou os ataques na zona da queda do avião. Os ataques contrariam a Resolução da ONU e parecem destinados a evitar as investigações das equipas malaias e holandesas que lá se encontram.

    A confirmarem-se estes indícios estamos perante mais uma monstruosa mentira dos americanos, difundida acriticamente pelos papagaios da comunicação social. Que, como é habitual, tentam agora camuflar o assunto.

    ResponderEliminar
  28. Piloto de caça Su-25 da Ucrânia assume ter derrubado Boeing da Malásia

    Um piloto ucraniano, que tripula o avião de ataque Su-25, assumiu a responsabilidade, numa entrevista à edição alemã Wahrheit fuer Deutschland, pela queda do avião da Malaysia Airlines.

    O piloto contou que disparou contra o Boeing 777 de um canhão instalado a bordo do Su-25 e que foi precisamente o seu avião de ataque que alegadamente aparece nas fotos de satélite apresentadas pelo Ministério da Defesa da Rússia. Segundo o piloto, o Su-25 estava equipado não só com mísseis, mas com um canhão de dois canos de 30 milímetros, do qual ele afirma ter partido o disparo. A edição não revela o nome e o apelido do piloto que fez essas revelações.


    Agora ficamos a aguardar a reacção da comunicação social, dita livre e independente. A tal comunicação social que encheu primeiras páginas cheias de falsas acusações, sem ver nem pedir que lhe mostrassem as provas.
    Mas enfim já estamos a ficar habituados às mentiras fabricadas na central de desinformação de Washington.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.