terça-feira, 15 de julho de 2014

Elvas: Rondão Almeida e Elsa Grilo ficam sem pelouros


O presidente da Câmara Municipal de Elvas, Nuno Mocinha, acaba de retirar os pelouros aos vereadores Rondão Almeida e Elsa Grilo.
A decisão foi tomada na reunião extraordinária que está a decorrer nos Paços do Concelho, revela o "Linhas de Elvas"

13 comentários:

  1. Casa onde não há pão, todos ralham e ninguém tem razão...
    Ou:
    Zangam-se as comadres, e descobrem-se as verdades...

    ResponderEliminar
  2. Nuno Mocinha há que retirar o nome do comendador das centenas de ruas e largos da cidade.
    Para serem os próprios que Rondão criou a expulsarem-nos imagino a porcaria que esses dois andaram a fazer durante 20 anos. Este desgraçado de País vota em todo o bicho careca, o Torneiro deve rebolar na tumba afinal o que o Sr denunciava tinha a sua razão de ser e era ele o único e a enfrentar o Rondão na Rondónia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todos os Elvenses sabiam quem era este SENHOR o HOMEM sem medo porque nunca precisou das migalhas que são dadas a tantos, se o Sr Torneiro rebola não será na tumba será sim no ar, pois segundo ouvi dizer não o deixaram ir para uma tumba para continuar a ser livre... não se brinque com coisas sérias, no entanto também comungo da opinião que deverão ser os seus a expulsarem-nos, digo mais, o Sr. sem medo tinha razão... Vou terminar com um grande VIVA o DR. MOCINHA que também vai ficar na história

      Eliminar
  3. Rondão Almeida acusou “o presidente de ao longo de 9 meses gerir a câmara sem nunca ter reunido com os restantes colegas”.
    O vereador com o pelouro das obras, Rondão de Almeida, refere que esta situação vem desde quarta-feira passada quando “voltou a levar a reunião de câmara um ponto que estava parado há três meses”. Segundo o vereador, “Nuno Mocinha não gostou desta atitude a abandonou a reunião”, tendo nessa mesma tarde contactado “Manuel Valério e Tiago Afonso a fim de saber de que lado é que eles se encontravam”.
    “Isto é o mesmo que querer dar uma facada nas costas daquele que nos últimos anos o tratou como um irmão”, referiu.

    Um a pensar que foi eleito presidente, fingindo não saber quem estava em 3.º lugar na lista. E o 3.º membro da lista a pensar que continua a ser o presidente.
    Está engraçada esta brincadeira…

    Só me resta uma dúvida:
    Se houver queda da câmara e eleições antecipadas o Sr. Rondão Almeida já vai poder ser candidato a presidente?

    E, sendo assim, ainda há por aqui algum chico esperto que defenda esta lei absurda?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não duvide. Se houver eleições antecipadas o ex presidente já pode ser candidato novamente. E, se isso acontecer, sabe quem vai ganhar as eleições? Aqui em Elvas há muito que se fala nessa possibilidade e que tudo isto já estava a ser cozinhado no PS local.

      Eliminar
    2. Não não pode. Vá ver a lei.

      Eliminar
    3. Já vi. Pode pode.

      Eliminar
    4. Então viu mal. Não pode.

      Eliminar
  4. Nuno Mocinha: "NÃO FUI ELEITO PARA PRESIDENTE DE FACHADA"

    Nuno Mocinha, presidente na Câmara Municipal de Elvas, considerou, na tarde desta terça-feira, que chegou “ao limite na reunião do passado dia 9 de julho quando o vereador Rondão Almeida apresentou uma série de pontos sem o conhecimento do presidente”.

    “Tinha de tomar uma decisão: ou me demitia ou retirava a confiança política em quem em mim não confia”. “Foi uma decisão muito difícil. De um lado estava a confiança na minha equipa e de outro estava a decisão dos milhares de elvenses que me elegeram em setembro de 2013”.

    "Não fui eleito para presidente de fachada"

    “É com aqueles que estão a meu lado e dentro das condições em que me encontro que vou continuar a liderar esta autarquia”.

    “Acredito porém, que o bom senso irá aparecer e que tudo o que for de bom para a cidade vai ser aprovado por mim e pelos vereadores”.

    "Não me demito"

    Nuno Mocinha diz que só se pronuncia sobre factos. Não comenta a ameça de entrega de pelouros por parte de três dos seus vereadores. "Só falarei sobre isso quando acontecer", adiantando que "não me demito sob qualquer circunstância". Relativamente ao cenário de eleições intercalares, Nuno Mocinha, voltou a reiterar que "ainda não é a altura de falar sobre essa possibilidade".

    QUEM VENCERÁ ESTE BRAÇO DE FERRO?
    Aceitam-se apostas.

    ResponderEliminar
  5. A origem do desentendimento segundo o vereador RONDÃO ALMEIDA:

    Na quarta-feira passada numa reunião da Câmara o vereador Rondão Almeida, depois de 3 meses estar parada uma proposta apresentada à CMElvas, decidiu voltar novamente com a proposta para ser analisada.

    Nessa proposta solicitava que fosse dava informação aos trabalhadores da verdadeira razão porque é que aquela proposta que produzia alguns apoios aos trabalhadores da Câmara estava parada.

    Nesse momento o Sr. Presidente retirou-se da sessão e foi-se embora. A reunião continuou presidida pela Vice-Presidente Elsa Grilo e a proposta foi aprovada na totalidade.


    A origem do desentendimento segundo o Presidente NUNO MOCINHA:

    “cheguei ao limite na reunião do passado dia 9 de julho quando o vereador Rondão Almeida apresentou uma série de pontos sem o conhecimento do presidente”.

    “Tinha de tomar uma decisão: ou me demitia ou retirava a confiança política em quem em mim não confia”. “Foi uma decisão muito difícil. De um lado estava a confiança na minha equipa e de outro estava a decisão dos milhares de elvenses que me elegeram em setembro de 2013”.



    Que grande embrulhada.
    Mas, a ser verdade, não deixa de ter piada que a senhora Vice-Presidente Elsa Grilo se tenha borrifado no actual presidente e tenha continuado ilegalmente uma reunião e feito aprovar propostas apresentadas por um vereador, à revelia do presidente.

    Esta novela promete. Muito melhor que o Odorico de Paraguaçu. Aguardam-se pelos próximos capítulos...

    ResponderEliminar
  6. O PS no seu melhor,venha o Costa ou o Seguro ,a Merda é a mesma..........estes partidos estão Esgotados nada tem para Mudar a sociedade...................

    ResponderEliminar
  7. "Isto deve ser obra da esquerda comunista, marronzista e badernenta"

    ResponderEliminar
  8. "Calunismos. Eu também sou meio socialista. Não da ponta esquerda... mas do meio de campo, caindo p'ra direita!"

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.